Ikea investe em aluguel de móveis para reduzir impacto ambiental

Projeto-piloto começará com móveis de escritório, para testar interesse do consumidor

Por: Redação | Comunicar erro

Se alugar uma casa já é uma realidade há muito tempo, por que não também mesas e cadeiras, por exemplo? A Ikea, rede europeia de artigos para casa no estilo “faça você mesmo”, vai investir no aluguel de móveis. A iniciativa deve promover uma economia circular, reduzindo seu impacto ambiental.

O projeto-piloto será implementado nas lojas da Suíça. A princípio, apenas móveis de escritório serão disponibilizados para aluguel.

Lojas na Suíça passarão a oferecer aluguel de móveis de escritório
Crédito: Divulgação/Ikea PressLojas na Suíça passarão a oferecer aluguel de móveis de escritório

Essa será a primeira tentativa para avaliar o interesse dos consumidores por esse modelo alternativo. Se der certo, a rede pretende alugar, inclusive, móveis de cozinha. Os preços ainda não foram divulgados.

A Ikea pretende se tornar um negócio totalmente circular até 2030 – ou seja, adotar um modelo alternativo ao tradicional (baseado no princípio de fabricar, usar e descartar). Essa proposta visa reduzir o desperdício, incentivando o uso e a reutilização de produtos pelo maior tempo possível.

Loja inaugurada em fevereiro, em Greenwich (Reino Unido), é a primeira sustentável da rede no país, com reuso de água cinza e de chuva e painéis solares
Crédito: Divulgação/Ikea PressLoja inaugurada em fevereiro, em Greenwich (Reino Unido), é a primeira sustentável da rede no país, com reuso de água cinza e de chuva e painéis solares

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

Outras iniciativas para diminuir o impacto ambiental da rede já foram implementadas. No Reino Unido, todas as lojas possuem uma equipe para fazer consertos em produtos danificados em trânsito, para que possam ser vendidos.

Os consumidores também podem solicitar peças de reposição para conserto de seu móvel, sem precisar comprar um novo. O modelo tem sido um sucesso: em 2018, houve mais de um milhão de pedidos de peças para conserto.

Além do aluguel de móveis

Além disso, nas lojas britânicas também é possível entregar itens usados para que sejam revendidos ou doados. No ano passado, 12.240 sofás, camas e eletrodomésticos foram reutilizados ou reciclados. O resultado dessa operação no Reino Unido foi o envio zero de resíduos para aterros, pelo terceiro ano consecutivo, segundo a empresa.

Ainda em fevereiro, a rede inaugurou uma loja em Greenwich, a primeira sustentável no Reino Unido. Ela conta com reúso de água cinza (originada de processos domésticos), tratamento e reúso de água de chuva e painéis solares para geração de energia.

A rede emprega 208 mil colaboradores em diversos países. Em 2018, realizou vendas no valor total de 38,8 bilhões de euros.

Leia também: Tambores de óleo reciclados viram móveis e objetos de decoração

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.

Compartilhe: