Informar

Patinete elétrico compartilhado chega a SP para driblar trânsito

Em São Paulo, startup testa modelo que transita pelas ciclovias e terá sistema de pagamento por tempo de uso

Por: Redação

Integrar modais de transporte para o deslocamento nas grandes cidades tem sido preocupação não apenas do poder público mas também de iniciativas privadas, que procuram desenvolver modelos que ajudem a desafogar o trânsito nas vias urbanas. Assim, quando você olhar para o volume de veículos à sua frente e bater aquele desespero, saiba que existe agora uma nova opção, bem mais ágil e ecológica, para substituir o carro: um patinete elétrico compartilhado.

O patinete elétrico compartilhado já é opção de transporte na cidade de São Paulo
Crédito: DivulgaçãoO patinete elétrico compartilhado já é opção de transporte na cidade de São Paulo

A novidade chegou às ruas de São Paulo no último dia 11 de agosto pelas mãos – ou seria pelos pés? – da startup SCOO e ainda está em fase de testes, que deve durar até 90 dias – o prazo não está totalmente definido.

Nesse período de experiência, o paulistano pode usar o patinete elétrico compartilhado de graça. Para isso, deve, por enquanto, fazer um pré-cadastro no site da SCOO, por meio do qual obtém uma senha para a liberação do veículo, que precisa ser retirado em um endereço fixo – r. Haddock Lobo, 595, nos Jardins, zona oeste.

A partir de setembro, o cadastro será feito em um app, que também servirá para o bloqueio e o desbloqueio do patinete. São cerca de 100 unidades do modelo para uso na capital paulista, as quais estarão disponíveis nas regiões próximas de ciclovias, como as das avenidas Paulista, Brigadeiro Faria Lima (zona oeste) e Amaral Gurgel (centro), e em parques como o Ibirapuera e o Villa-Lobos.

Para dirigir o patinete elétrico compartilhado, é obrigatório o uso de capacete
Crédito: DivulgaçãoPara dirigir o patinete elétrico compartilhado, é obrigatório o uso de capacete

Não é necessário ter carteira de motorista para andar de patinete elétrico compartilhado – ele obedece à legislação que regula o tráfego de bikes nas ciclovias e é só nesse espaço que pode circular. Se dirigi-lo fora dele, o usuário estará sujeito a uma multa de R$ 574,62.

No quesito segurança, o veículo é certificado pelo fabricante e possui freios ABS; suas baterias passam por testes em um laboratório de padrões de segurança eletrônica. O condutor, por sua vez, tem de usar capacete, a ser disponibilizado gratuitamente pela SCOO. É necessário ter 18 anos ou mais e pesar até 120 quilos para dirigir o patinete elétrico, que atinge uma velocidade de até 25 km/h.

Após a fase de testes, usar esse meio de transporte alternativo vai custar R$ 0,25 por minuto, a partir do 5º minuto, além de uma taxa de R$ 1 para o desbloqueio do patinete e o uso pelos primeiros quatro minutos. Um deslocamento da avenida Paulista (Consolação) até o Shopping Pátio Paulista, por exemplo, dura cerca de 8 minutos.

Leia também: Bicicleta compartilhada pode ser entregue em qualquer lugar de SP

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.