Ação corrige erro histórico com imagem de Machado de Assis negro

Faculdade Zumbi dos Palmares e agência Grey disponibilizam fotos do escritor para que substituam as que o embranqueceram nos livros didáticos

Por: Redação Comunicar erro

Tentaram mudar as cores da História. Porém, nunca é tarde para reparar erros que mostram que o racismo está até na literatura. Uma campanha da Faculdade Zumbi dos Palmares nos lembra de que o maior escritor brasileiro de todos os tempos não era branco. Machado de Assis era negro.

Catraca Livre criou o projeto Causando, apoiado pelo Carrefour, para mostrar como as marcas desenvolvem e assumem causas.

Atenção, livros de história e literatura: Machado de Assis foi negro
Crédito: Reprodução/Machado de Assis RealAtenção, livros de história e literatura: Machado de Assis era negro

E assim deveria ser retratado nos livros didáticos. Mas eles o empalideceram. Por isso, o movimento “Machado de Assis Real” quer reparar essa injustiça.

Em sua página oficial, a ação, desenhada pela agência Grey, é definida como “a primeira errata feita para corrigir o racismo na literatura brasileira”.

Dessa maneira, o portal disponibiliza para download imagens em vários formatos do Machado de Assis negro, assim verdadeiro. Isso com o objetivo de serem inseridas em cima das antigas nos livros.

“Para encorajar novos escritores negros”, justifica o texto do site. “Para dar a chance de a sociedade se retratar com o maior autor do Brasil. E para que todas as gerações reconheçam a pessoa genial e negra que ele foi.”

A campanha também organizou um abaixo-assinado “para que as editoras e livrarias deixem de imprimir, publicar e comercializar livros em que o escritor aparece embranquecido”.

Leia também: Turma da Mônica põe personagem autista André em capa de revista

Compartilhe: