Puerto Vallarta, destino que cabe no bolso dos brasileiros

Por: Pra Onde vai Agora? | Comunicar erro

Localizada no Estado de Jalisco, no México, a cidade de Puerto Vallarta tem tudo o que a maioria das pessoas ama: mar transparente de águas mornas, calor, belas paisagens e uma aura de festa e alegria permanentes. Destino queridinho de americanos e canadenses, os brasileiros estão apenas começando a descobrir os encantos da linda cidadezinha de pouco mais de 200 mil habitantes, que, além de mil encantos, ainda é bastante em conta. Atualmente o real vale cinco vezes mais do que o peso mexicano.

Mar e sol = felicidade

Para começar, Puerto Vallarta tem o clima perfeito para quem adora o verão. Por lá, as temperaturas mais baixas acontecem entre novembro e fevereiro: 22 a 25°C. E se estes são os meses considerados ‘frios’, no resto do ano a temperatura facilmente chega – e até ultrapassa – os 30°C. Ou seja: Puerto Vallarta une a ‘fome com a vontade de comer’, pois nada mais harmonioso do que sentir calor em uma cidade banhada pelo mar.

Quem é apaixonado por praia e não apenas para ficar curtindo o sol sem fazer nada, encontra na cidade um leque extenso de atividades aquáticas. Desde o snorkel para observar a abundante vida marinha, ao stand up paddle, caiaque, barcos a vela, esqui aquático e surfe.

Já quem prefere mergulhar, vai gostar de saber que Puerto Vallarta é um dos destinos no México mais procurados pelos amantes desta atividade. O Parque Nacional Marinho Os Arcos (ilhas de granito conglomerado salientes na superfície do mar) é um local protegido excelente para mergulho e snorkeling.

Localizado entre as praias de Mismaloya e Las Gemelas, esta maravilha da natureza possui túneis profundos, cavernas e recifes de tirar o fôlego. Sua profundidade média é algo entre 9 e 480 metros e a grande diversidade de vida marinha é o ponto alto do local. Além disso, Os Arcos abrigam diferentes aves marinhas, como pelicanos, atobás e algumas espécies de papagaios.

As águas da Baía de Banderas (não confunda com o município de mesmo nome que fica na região, porém está localizado no estado de Nayarit) também é lar de baleias e golfinhos que podem ser observados durante quase todo o ano em passeios de barco. E acredite: a experiência de se deparar com uma destas encantadoras criaturas marinhas é inesquecível.

Se você faz parte do grupo que adora paisagens paradisíacas, a cidade é cheia delas, mas um lugar especificamente parece ter sido tirado de um filme. A pequenina praia de Colomitos possui águas verde-esmeralda e é cercada por rochas gigantescas que lhe dão uma aparência “selvagem” e isolada. Além disso o local ainda conta com um pequeno riacho e uma cachoeira.

Para chegar até esta maravilha só há duas maneiras: a mais fácil delas é ir de barco a partir de Boca de Tomatlán – qualquer taxi aquático o leva até lá em uma curta viagem de cerca de cinco minutos de duração. Já se você é adepto de atividades ao ar livre, uma ótima pedida é fazer a trilha de pouco mais de 1,5 km saindo de Boca de Tomatlán que pode levar entre 25 e 40 minutos, dependendo do ritmo e disposição de cada um.

Arte Huichol, Catrinas e ótimas opções de passeios e compras

Caminhar pela cidade também é garantia de diversão e o Malecón, nome do calçadão da cidade, é um dos endereços mais badalados. Por toda sua extensão é possível apreciar esculturas ao ar livre, criações de artistas locais. Todas as obras representam aspectos da vida e da cultura da cidade e rendem fotos muito bonitas tendo o mar como pano de fundo.

O Malecón também abriga bares, cafés, restaurantes e inúmeras lojinhas que vendem temperos, tequilas (autênticas mexicanas, claro), comidinhas locais e lembrancinhas para levar para amigos e familiares. E a boa notícia envolvendo compras no México é que por lá (no momento) nosso dinheiro vale cinco vezes mais, portanto é possível fazer boas aquisições a preços bastantes atrativos.

E se existe algo em abundância na cidade e que dificilmente você resistirá em comprar são os artesanatos locais confeccionados pelos índios Huichol. O trançado colorido de miçangas representa as impressões e crenças deste grupo indígena que vive, principalmente, no alto das montanhas de Sierra Madre e também em outros locais dos estados de Jalisco, Nayarit, Durango e Zacatecas.

Segundo a crença Huichol, cada peça simboliza a relação do ser humano com a Mãe Natureza e atrai sorte a quem a recebe. O artesanato desta tribo pode ser encontrado em colares, pulseiras e roupas e ainda em objetos decorativos como vasos e esculturas de animais.

Se você realmente adora comprar produtos locais repletos de significado, a arte Huichol não é o único atrativo que se pode encontrar na cidade. As “Calaveras Catrinas”, esqueletos de elegantes figuras (principalmente femininas), são bastante tradicionais e verdadeiras obras de arte. Segundo consta, a origem destas estátuas vem do ano de 1913 quando o gravurista José Guadalupe Posada fez a primeira escultura do gênero. As imagens criadas pelo artista tinham o objetivo de simbolizar o interior vazio da classe alta com mulheres impecavelmente bem vestidas, porém ‘mortas’.

As Catrinas fizeram muito sucesso sobretudo porque foram inventadas em meio à Revolução Mexicana (1910 – 1920), conflito armado considerado o acontecimento político e social mais importante do século XX no México. A imagem se tornou de certa forma um símbolo da revolução que basicamente foi um conflito motivado pela imensa desigualdade social que o país vivia na época. Enquanto poucos grandes latifundiários eram donos da maioria das terras, a população em geral passava muita necessidade.

Emiliano Zapata e Francisco ‘Pancho Villa’, foram muito emblemáticos no conflito. Por isso, além das tradicionais Catrinas representando damas da sociedade, também são comuns as caveiras na forma dos dois líderes revolucionários camponeses.

Outra opção de passeio imperdível para comprar objetos de arte local por ótimos preços é o Mercado Central da cidade. Localizado próximo ao Malecón, o local conhecido como Mercado das Pulgas é bastante procurado pelos turistas. Por lá é possível encontrar produtos que vão desde as características roupas bordadas mexicanas, a molhos de pimenta, bijuterias e objetos de decoração diversos.

Embora os preços encontrados no local geralmente sejam bons, os comerciantes já esperam que os fregueses pechinchem. Então sinta-se à vontade para negociar os valores daquilo que tiver interesse em comprar pois os preços ainda ficam mais interessantes.

Depois de tanta compra, aproveite para conhecer a belíssima Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, cuja coroa enfeita o horizonte da cidade. A paróquia da padroeira dos mexicanos começou a ser construída em 1918 e está localizada em frente à Praça de Armas e ao Palácio Municipal.

O local guarda belas obras de arte, como um altar de mármore com a imagem da Virgem de Guadalupe, pintada pelo artista Ignacio Ramírez, a Via-crúcis, um comulgatório, um púlpito e os confessionários de madeira lavrada. A coroa original da igreja, construída em cimento, ruiu durante um terremoto em 1995 e foi necessário instalar uma coroa provisória feita de fibra de vidro até que, finalmente em 2009, uma nova peça foi adicionada à estrutura.

Cenário de cinema e de um tórrido romance hollywoodiano

Se quisermos explicar o tamanho da fama e o fascínio que as pessoas sentiam pelo casal de atores Elizabeth Taylor e Richard Burton, talvez possamos dizer que eles são a Angelina e o Brad dos anos 60. E assim, no auge de suas carreiras os dois tiveram um importante período de suas vidas ali em Puerto Vallarta.

Em 1963 Burton chegou à cidade para filmar “A Noite do Iguana” (dirigido por John Huston) e Liz Taylor não demorou a aparecer. Ali, naquele cenário paradisíaco e até então desconhecido, os dois viveram seu romance proibido – já que ambos eram casados com outras pessoas. Bem longe dos holofotes o casal viveu seu tórrido relacionamento repleto de brigas, términos e reconciliações.

No aniversário de 32 anos da atriz, Burton a presenteou com a propriedade “Kimberly House”, atualmente um hotel boutique de extremo luxo na cidade. No terreno vizinho (do outro lado da rua) o ator construiu uma outra casa e as uniu com uma réplica de “A Ponte dos Suspiros” construída em Veneza, na Itália.

Os atores tornaram-se amantes em 1963, durante as filmagens de “Cleópatra”, o primeiro de 12 filmes em que contracenaram. Como eram casados com outras pessoas, a adúltera relação foi chamada de “Le Scandale” e condenada pelo Vaticano. Em 1964 Taylor oficializou a relação com Richard Burton e o casamento terminou em junho de 1974. No ano seguinte, em outubro, Elizabeth e Richard casaram-se novamente, mas desta vez ficaram juntos por menos de um ano. Apesar de separados, os dois mantiveram a chama da paixão acesa até a morte de Burton em 1984 de hemorragia cerebral, aos 58 anos.

Taylor foi dona da Kimberly House até 1990 quando a vendeu com tudo dentro, inclusive seus objetos pessoais. Transformada em hotel, a Casa Kimberly conta com piscina, spa e um restaurante chamado The Iguana, em homenagem ao filme estrelado por Burton. As suítes também seguem a temática dos antigos residentes, tudo decorado com muita sofisticação. A Cleopatra Suite possui pátio privado a Elizabeth Taylor Suite tem um belíssimo candelabro de cristais Swarovski e uma banheira de marfim rosa em formato de coração, feita sob encomenda a pedido da atriz.

Obviamente, se hospedar neste hotel não é para muitos já que o preço da diária pode chegar a quase mil dólares.

A terra da Tequila

Assim como o champagne foi inventado em uma cidade de mesmo nome situada na França, a famosa tequila também surgiu na cidade de… adivinhem… Tequila! Pelas leis mexicanas, esta tão apreciada bebida feita a base de agave só pode ser produzida no estado de Jalisco (onde estão localizadas tanto a cidade de Tequila quanto Puerto Vallarta). Por isso, não é à toa, que por lá é possível encontrar as melhores marcas em qualquer mercadinho.

Por menos de 200 pesos mexicanos (cerca de 36 reais) é possível comprar uma ótima tequila capaz de agradar até mesmo ao mais exigente apreciador da bebida. Portanto se você é parte do time dos tequileiros, peça sugestões das melhores marcas aos locais, pois ninguém entende mais da bebida do que eles.

Como chegar

Não há voos diretos do Brasil para Puerto Vallarta e a opção mais simples é viajar até a Cidade do México, de onde saem muitos voos para a região. Uma das companhia aéreas que disponibilizam voos diretos do Brasil para a Cidade do México é a Aeroméxico, empresa com a qual voamos. O trajeto é feito a partir de Guarulhos e tem duração média de dez horas. Da Cidade do México até Puerto Vallarta o voo é de apenas 1h30min.

Tuka Pereira, do blog Pra Onde Vai Agora?, viajou a convite de Puerto Vallarta e Riviera Nayariti

Compartilhe:

Autor: Pra Onde vai Agora?

Se desta vida não se leva nada, vamos sair pelo mundo e coletar memórias de lugares maravilhosos! Pra onde você vai agora?

Termos da rede:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário Pra Onde vai Agora? da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.