10 verdades sobre o coletor menstrual que você precisa saber

Texto escrito por Luisa Rodrigues e publicado no Superela

Por: Superela

coletor menstrual se tornou um queridinho entre as mulheres que não aguentam mais usar absorvente. Feito de silicone medicinal, essa coisinha maravilhosa pode ser reutilizada por até 10 anos (esse é um número geral, mas é interessante pesquisar sobre o seu próprio coletor para saber mais sobre sua durabilidade).

Parecendo-se com um copinho, ele “coleta” a sua menstruação de um jeito que não vai ter cheirinho desagradável nem lambanças (a menos que sejam acidentais).

Acontece que pegar o jeito da coisa pode demorar um tempinho. Afinal, o coletor menstrual é uma novidade que exige bastante técnica. Do contrário, ele pode vazar, incomodar e até mesmo criar um vácuo tão grande que você vai achar que seu útero vai acabar saindo junto com ele.

Mas relaxa. Hoje eu vim aqui falar um pouquinho mais sobre essa maravilha, apresentando 10 verdades que serão MUITO úteis para quem quiser entrar para a “irmandade do coletor menstrual“.

1. Benefícios financeiros

A linha do tempo até o coletor

Quando você se deparar com o preço de um coletor menstrual, pode ser que os números deem um susto. Cada um custa, geralmente, em torno de R$ 70 a R$ 80. Só que é bacana pensar uma coisa: pelo menos uma vez ao mês, compramos um pacotinho de absorventes, sejam eles normais ou internos.

A Inciclo, que é uma marca de coletor menstrual, fez a seguinte conta:

Por mês, gastamos em média R$ 20 com absorventes internos

ou R$ 11 com absorventes externos.

Se você é uma adepta dos famosos “OB’s”, em quatro meses você já gastou o preço de um coletor. Se você curte mais os externos, oito meses de uso e descarte valeriam o preço de um coletor.

Levando em conta que um coletor menstrual dura, em média, 10 anos, façamos a seguinte conta: em 10 anos de uso de absorventes internos, você terá um gasto de aproximadamente R$ 2.700. Se forem os externos, serão aproximadamente R$ 1.500.

Então assim: quando você pensa no longo prazo, um coletor menstrual é uma excelente opção para poupar uma graninha BOA!

E psiu: se quiser saber mais sobre essas continhas, pode espiar tudo clicando aqui.

2. Não dá para sentir o coletor dentro de você

Jout Jout

Se posicionado de forma correta, você não vai sentir MESMO a presença do coletor menstrual. Agora, assim como o absorvente interno, se ele for colocado de forma errada, pode acabar até machucando. A verdade é que o mecanismo dele, na hora de introduzir no canal vaginal, é similar ao do O.B.

Acontece que nosso canal é inclinadinho para trás. Então na hora de colocar o coletor, coloque-o da mesma forma que você introduz um absorvente interno, ou seja, introduzi-lo em direção às costas, como se você estivesse apontando para ela.  Além disso, para que ele entre de forma confortável, é preciso aprender algumas dobrinhas que podemos fazer com eles. Assim que estiver lá dentro, ele vai abrir sozinho. Esse vídeo aqui explica direitinho COMO colocar o copinho e ainda ensina cada uma das dobrinhas.

3. Mulheres virgens podem usar o coletor menstrual

Virgindade é uma coisa bastante relativa, né? Se a gente considerar a perda de virgindade como “o rompimento do hímen”, PODE SER que ele se rompa na hora de colocar o coletor menstrual. Mas há relatos de MUITAS mulheres que se adaptaram bem ao coletor mesmo não tendo nenhum tipo de relação sexual. Acontece que a parede do nosso canal vaginal é flexível, ou seja, ela pode esticar, fazendo com que o copinho entre direitinho.

Então assim: se por algum tipo de convicção, você prezar por sua virgindade de forma inclusive anatômica, é melhor deixar para usar o coletor menstrual depois da primeira relação sexual. Agora, se você não tem problemas com isso, vai do corpo de cada uma. Às vezes o que é confortável para sua amiga pode não ser para você. Por isso que conhecer nosso próprio corpo é TÃO importante. Tire um tempo, tente se acostumar ao novo método e, se por acaso não der certo, tente novamente quando estiver mais preparada.

4. O cabinho do coletor pode incomodar

Coletor menstrual

Veja mais verdades aqui: 10 verdades sobre o coletor menstrual que você precisa saber

Compartilhe:

1
Câncer de próstata: saiba o que é e como se prevenir da doença
O câncer de próstata é o segundo tipo de tumor mais comum entre os brasileiros. De acordo com informações do …
2
03:38
Cuidados e prevenções para a saúde das mulheres
Dores menstruais parecem típicas, mas podem ser um sinal de endometriose. Hoje, a Dra. Luiza Cadioli, médica de família e comunidade, …
3
02:37
Saiba quais são os sintomas do Transtorno bipolar
O transtorno bipolar vai além das variações de humores. Hoje, o Dr. Jair de Jesus Mari, psiquiatra e professor da Unifesp, …
4
01:40
O que é a Fibromialgia e quais os sintomas?
Você já sentiu dores intensas em algumas partes do corpo? Hoje, a Dra. Luiza Cadioli, médica de família e comunidade, fala …
5
04:15
Quais são os sintomas que indicam diabetes?
Você sente uma fome excessiva, mas não consegue identificar o por quê? Hoje, a Dra. Luiza Cadioli, médica de família e …
6
04:43
Quais são os sintomas da Esquizofrenia?
A esquizofrenia é um dos tipos da psicose, que é um sintoma que descreve condições que afetam a mente. Hoje, o …
7
03:10
Como os fatores sociais impactam a expectativa de vida
Saneamento básico e desemprego são alguns dos fatores que podem impactar diretamente com a nossa longevidade. Hoje, a Dra. Aline de …
8
01:28
Psicose: saiba como identificar
Pensamentos vagos e incoerentes? Como identificar um surto psicótico? Hoje, o Dr. Jair de Jesus Mari, fala sobre os sintomas da …