Anvisa recolhe lenços umedecidos contaminados por bactéria

Dois lotes de marcas da Kimberly-Clark, que oferecem risco a pessoas com baixa imunidade, foram retirados de circulação; quem já os comprou pode trocá-los

Por: Redação

Sabe quando as montadoras de automóveis fazem um “recall” para trocar peças com defeito de fabricação? Isso é feito para evitar acidentes e danos ao motorista. Pois algo parecido foi feito agora por uma fabricante de lenços umedecidos. Ela alertou a Anvisa sobre a necessidade de recolher dois lotes do produto que estão contaminados por uma bactéria.

A empresa de lenços umedecidos não lavou as mãos para o problema
Crédito: AdamRadosavljevic/iStockA empresa de lenços umedecidos não lavou as mãos para o problema

o micro-organismo é a Enterobacter gergoviae. Ela está presente em dois lotes de duas marcas da Kimberly-Clark Brasil.

São eles: o de número 219/2019 da marca Huggies Max Clean e o 024/2019 da marca Baby Wipes.

Os que ainda não chegaram ao consumidor final terão a sua comercialização e a distribuição suspensas.

Como a própria Anvisa informou, o problema foi descoberto pelo controle de qualidade da própria Kimberly-Clark, que o comunicou à agência.

Aliás, de acordo com a fabricante, a bactéria não oferece risco para pessoas saudáveis, mas pode causar infecções graves em quem está com o sistema imunológico em baixa.

Assim, quem comprou os lenços umedecidos de um dos lotes contaminados pode entrar em contato com a empresa para trocar o produto, sem qualquer custo.

Os consumidores podem obter informações pelo telefone 0800-709-5599 ou pelo site da Kimberly-Clark.

Afinal, o “recall” serve para evitar danos à saúde do cliente. Seja ele dono de um carro ou usuário de lenços umedecidos.

Leia também: Videos com promessas falsas de cura do câncer geram lucro no YouTube

Compartilhe: