Últimas notícias:

Loading...

Câncer de próstata: exame de toque dura, em média, apenas 7 segundos

Juntamente com a dosagem sanguínea do PSA, o exame de toque é o procedimento básico necessário para o início do rastreamento da doença

Por: Redação

Uma das principais ferramentas clínicas de avaliação e rastreamento do câncer de próstata, o exame de toque ainda é coberto de preconceitos, estigmas e medo.

Uma pesquisa realizada em 2017 pelo Datafolha, a pedido da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), indicou que 21% dos entrevistados do sexo masculino acreditam que o exame de toque retal “não é coisa de homem”. Considerando aqueles com mais de 60 anos (grupo de risco), 38% disseram não achar o procedimento relevante.

O que nem todos sabem, no entanto, é que o diagnóstico precoce aumenta em 90% as chances de cura.

homem segurando um laço azul
Crédito: Rawpixel/istockExame de toque é um das principais formas de prevenir câncer de próstata

“Precisamos esclarecer à sociedade em geral que o exame de toque retal, essencial para a prevenção e detecção do câncer de próstata em estágios iniciais, não precisa ser um tabu. O teste dura em média sete segundos, é simples, não causa dores ou complicações após sua realização e, acima de tudo, é essencial para uma vida saudável”, explica Bruno Ferrari, presidente do Conselho de Administração do Grupo Oncoclínicas.

Para ressaltar como é simples e rápido o exame de toque, o Instituto Oncoclínicas, em conjunto com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), criou um vídeo educativo para promover o Novembro Azul e estimular a população masculina a realizar o exame clínico de toque retal. A peça traz o jornalista e comunicador Marcelo Tas como porta-voz. Confira:

Como é feito o exame de toque para rastreamento do câncer de próstata

Como a glândula fica em frente ao reto, o exame de toque permite ao médico palpar a próstata e perceber se há nódulos (caroços) ou tecidos endurecidos (possível estágio inicial da doença). O toque é feito com o dedo protegido por luva lubrificada. É rápido e indolor.

Além do toque, também existe a dosagem de PSA, um exame complementar de sangue que avalia a quantidade do antígeno prostático específico.

De acordo com informações do INCA, na maioria dos homens, o nível de PSA costuma permanecer abaixo de 4 ng/ml. Alguns pacientes com nível normal de PSA podem ter um tumor maligno, que pode até ser mais agressivo, por isso, esse exame, feito de forma isolada, não pode ser a única forma de diagnóstico.

Em alguns casos, é necessária a realização de exames complementares, já que ambos métodos citados acima não têm 100% de precisão.

Quando fazer o exame

Todos os homens a partir dos 50 anos devem realizar exames de prevenção ao câncer de próstata anualmente. Homens negros ou com histórico familiar da doença devem começar mais cedo, aos 45 anos, já que têm maior predisposição à doença.

Compartilhe: