Ciúme patológico pode causar graves consequências

Por: Redação | Comunicar erro
Tags: #USP

O ciúme é o tema que constantemente vem à tona quando falamos sobre relacionamento afetivo, isso porque dentre as mais diferenciadas emoções humanas essa é uma emoção extremamente comum. Todos nós cultivamos certo grau de ciúme.

Mas em casos extremos, o ciúme pode ter consequências graves num relacionamento, como crimes passionais.

É o caso  de um crime bárbaro que chocou os moradores de São José do Rio Preto, no interior de SP, no último domingo. Duas crianças, de 3 e 4 anos, foram mortas a facadas pelo próprio pai.

Crianças tinham 3 e 4 anos, e foram encontradas na cama junto com o pai
Crianças tinham 3 e 4 anos, e foram encontradas na cama junto com o pai

Após o crime, Hugo Imaizumi, 41 anos, que é zootecnista com mestrado e doutorado na área, tentou cometer suicídio, mas foi encontrado com vida.

Durante a perícia, a polícia encontrou ao lado dos corpos das crianças uma carta escrita à mão por Hugo. No bilhete, o zootecnista expressou decepção por uma suposta traição cometida pela mulher.

Nesta quarta-feira, a mãe das crianças, a fisioterapeuta Juliana Paes, de 39 anos, fez uma revelação mais bárbara ainda: o marido teria gravado o crime com o celular e enviado as imagens para a família por Whatsapp.

Carta deixada pelo zootecnista
Carta deixada pelo zootecnista

Em entrevista a TV TEM, afiliada da Globo,  Juliana conta que estava vivendo um relacionamento conturbado com o marido, que não aceitava o término da relação. E que o crime teria sido motivado por “ciúmes doentio”. “Ele foi cruel para me atingir, não fez pensando nas crianças em momento algum”, disse.

Ciúme patológico

Mas o que fazer quando somos vitimas ou sofremos desse sentimento exagerado? O pessoal do site Minha Vida listou seis formas de combater o ciúme patológico

1 – Colocar-se no lugar do outro, ou pedir ao companheiro que coloque-se em seu lugar a fim de imaginar como é a vida da pessoa que é vitima constante de acusações infundadas,

2 – Reconhecer e admitir as suas qualidades e perceber que se elas não fossem encantadoras, o outro não teria motivos para estar com você;

3 – Adquirir maior segurança (em si e no outro);

4 – Procurar ajuda médica e psicológica quando a patologia estiver caminhando para níveis muito avançados;

5 – Se você é vitima de um ciumento (ou ciumenta) patológico, evite dar as explicações pedidas e permitir que o outro comande a sua vida, porque ao agir dessa forma, você está alimentando as crenças e imaginações e contribuindo para que elas se tornem reais para o outro.

6 – Procure ajuda ou denuncie o seu parceiro (ou parceira) caso você esteja sendo vítima de agressões físicas ou ameaças.

Pesquisa da USP

O Instituto de Psiquiatria da USP (Universidade de São Paulo) disponibiliza vagas para pacientes voluntários em diversos grupos e projetos de pesquisa. Um deles é sobre ciúme patológico.

Podem se inscrever pessoas maiores de 18 anos, que percebam que seu ciúme prejudica o relacionamento amoroso de alguma forma, sendo motivo de brigas ou discussões, com queixas e reclamações sobre o ciúme excessivo do/a parceiro (a).  Informações: (11) 2661-7805 ou e-mail proamiti.secretaria@gmail.com.

Compartilhe: