Jambú na comida ou na bebida elimina até cálculos de vesícula

As receitas culinárias mais conhecidas, feitas com jambú são paraenses: tacacá (caldo de mandioca brava, goma de tapioca, jambu e camarões) e pato no tucupi (molho de mandioca brava e jambu cozido). Em muitas casas de ribeirinhos amazônidas, o óleo de jambú é tempero de cozinha e mesa.

Divulgação
Jambú é curinga da biodiversidade brasileira, que merece ser melhor conhecido e mais apreciado entre nós

As versões gastronômicas mais urbanas incluem pizzas, refogados e até cachaça de jambú, devidamente engarrafada e etiquetada como produto artesanal da Amazônia, como a vendida no mercado de Porto Velho (RO).

Em todos esses pratos e bebidas, a marca registrada da planta é fazer os lábios tremerem e causar dormência na língua ou certa ardência, embora um pouco diferente da pimenta. Como alimento, o jambú é rico em cálcio, fósforo, ferro, vitaminas B1, B2, B3 e C.

Mas agora pesquisadores descobriram um novo benefício desta planta tão brasileira. Para saber qual, leia aqui a matéria completa.

Compartilhe: