Mitos e verdades sobre o uso de preservativos femininos

Por: Redação | Comunicar erro

O preservativo feminino chegou ao mercado brasileiro no final de 1997, quando a Anvisa aprovou seu registro para comercialização, como informa o site do Ministério da Saúde.

Vinte anos depois, seu uso ainda não é tão difundido.

Crédito: Getty Images/iStockphotoApesar de estar há 20 anos no mercado, busca ainda é pequena

Segundo o ministério, o Brasil é o país que mais compra o produto no mundo, via governo federal. Mais de 10 milhões de camisinhas femininas são distribuídas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) anualmente.

Apesar disso, o uso desse método é pequeno perto da busca por preservativos masculinos.

Em 2016, só o SUS distribuiu 375 milhões de camisinhas masculinas gratuitamente, sem contar os dados de pessoas que adquiriram o preservativo em comércios.

A camisinha feminina é maior que a masculina – tem cerca de 15 centímetros de comprimento e oito de diâmetro e possui dois anéis flexíveis-  já que cobre o colo do útero e os grandes lábios.

Ele é tão eficaz quanto a camisinha masculina, tanto como método contraceptivo como de prevenção da transmissão de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) e Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Como usar?

A camisinha feminina possui uma extremidade fechada, que contém um anel flexível e móvel. Ele serve de guia para inserir a camisinha no fundo da vagina.

O anel (da parte fechada) deve ser apertado e introduzido na vagina, use o dedo indicador para empurrá-lo o mais fundo possível, para alcançar o colo do útero. A extremidade aberta camisinha possui outro anel flexível, que vai cobrir a vulva, essa argola deve ficar aproximadamente 3 cm para fora da vagina.

O anel (da parte fechada) deve ser apertado e introduzido na vagina, use o dedo indicador para empurrá-lo o mais fundo possível, para alcançar o colo do útero

Na hora da penetração o pênis deve ser guiado para o centro do anel externo. Com o movimento do pênis, é normal que a camisinha também se mova um pouco. Uma vez terminada a relação sexual, a camisinha deve ser retirada apertando e torcendo o anel externo, para garantir a manutenção do esperma no interior da camisinha. Depois, basta puxar o preservativo para fora delicadamente.

Vantagens do uso do preservativo feminino

Segundo o Ministério da Saúde, uma dos maiores benefícios é que a camisinha feminina é dispositivo de prevenção que está sob o controle da mulher, porque é usado no seu corpo e, por isso, dá maior autonomia às mulheres em relação às escolhas preventivas na sua vida sexual.

Mas as vantagens não terminam aí, já que o preservativo feminino:

  • É resistente, confortável e mais fininho
  • É antialérgico, feito de borracha nitrílica, podendo ser usado por pessoas alérgicas ao látex
  • Pode ser colocado algumas horas antes da relação sexual
  • Não necessita aguardar a ereção do pênis
  • Por ser bem lubrificado, proporciona às mulheres maior conforto e prazer durante a relação sexual
  • Algumas mulheres afirmam que sua utilização é prazerosa por ter um anel flexível que massageia levemente o clitóris
  • O preservativo feminino também pode ser usado no sexo oral
  • O preservativo feminino previne também outras ISTs

Veja o vídeo do Ministério da Saúde sobre os mitos e verdades em torno da camisinha feminina:

Compartilhe:

1 / 8
1
02:42
Reconheça facilmente os níveis da depressão
Dr. Jair de Jesus Mari, professor titular de psiquiatria da UNIFESP , fala sobre os principais sinais da ansiedade. Esse vídeo …
2
03:20
Saiba o que é a doença “Pescoço de Texto”
Juliana Santos, Terapeuta Manual de dores crônicas e agudas fala sobre a doença de Pescoço de Texto. Esse vídeo faz parte …
3
05:29
Sinais de que o bebê vai nascer
Claudio Basbaum, obstetra na Maternidade de São Luiz, é conhecido como o médico que implantou no Brasil o parto humanizado. Esse …
4
04:28
Os principais sinais de que ansiedade está afetando sua saúde
Dr. Jair de Jesus Mari, professor titular de psiquiatria da UNIFESP , fala sobre os principais sinais da ansiedade. Esse vídeo …
5
03:46
Sinais que indicam câncer no estômago
Professor associado da Faculdade de Medicina da USP e cirurgião especializado em aparelho digestivo, Raul Cutait mostra nesse vídeo quais …
6
02:18
Conheça o programa “É Melhor Prevenir”
Conheça a série  “Melhor Prevenir” da Catraca Livre para melhorar a qualidade de vida. Os videos ensinam a identificar sinais de …
7
02:37
Os principais sinais da depressão
Dr. Jair de Jesus Mari, professor titular de psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo, ensina sobre os principais sinais …
8
03:28
A receita do prazer sexual na gravidez
Claudio Basbaum, ginecologista e obstetra da maternidade São Luiz,  compartilha a receita do prazer sexual na gravidez.