Mulher consegue cirurgia para parar de engravidar após ter 38 filhos

Mariam Nabatanzi natural de Uganda, na África, aos 36 anos, já tinha dado à luz 44 vezes. Seis filhos não sobreviveram

Por: Redação

Mariam Nabatanzi, de 40 anos, conseguiu realizar a cirurgia para parar de engravidar após ter 38 filhos. A mulher natural de Uganda, na África, aos 36 anos, já tinha dado à luz 44 vezes. Seis filhos não sobreviveram. As informações foram obtidas pelo jornal “Extra”.

Crédito: Reprodução/RTPMulher consegue cirurgia para parar de engravidar após ter 38 filhos

Miriam mora em um pobre vilarejo em Uganda e há muitos anos desejava realizar a cirurgia. Ela teve o primeiro par de gêmeos aos 12 anos, não muito tempo após ter se casado com um homem 28 anos mais velho.

Segundo os médicos, Mariam possuía ovários muito grandes, que a permitia ovular múltiplas vezes a cada ciclo menstrual. “O caso dela é predisposição genética para hiperovular, que libera vários óvulos em um ciclo, o que aumenta significativamente a chance de ter múltiplos bebês. É sempre genético”, comentou Charles Kiggundu, médico que cuidou de Mariam.

Aos 23 anos, Mariam já tinha 25 filhos. Já nesse período, a mulher pedia aos médicos que intervissem para que ela deixasse de engravidar. Os médicos diziam a ela que tomar pílula anticoncepcional poderia acarretar sérios problemas de saúde, por causa do tamanho dos ovários.

A mulher ugandense teve seis pares de gêmeos, quatro casos de trigêmeos e três outros de quadrigêmeos, além de gestações com um bebê na barriga.

Mariam foi abandonada pelo marido há cerca de três anos, mesma época do nascimento do seu último par de gêmeos – um deles morreu. Sozinha, ela cria todos os filhos em quatro casebres, onde os filhos dividem camas e outros dormem no chão.

A mulher faz bicos como cabeleireira e decoradora de eventos, recolhe sucatas, participa da colheita de café, produz o próprio gin e medicamentos à base de ervas.

Os mais velhos ajudam a criar os mais novos. “Todo o meu tempo é gasto cuidando dos meus filhos e trabalhando para ganhar algum dinheiro. Assumi responsabilidades de adulta muito cedo. Não me divirto desde que nasci”, disse Mariam, em reportagem publicada no “Daily Mirror”.

A esterilização de Mariam foi feita em hospital de Kampala, capital do país.