Novo exame de câncer de próstata é mais preciso e menos invasivo

Pesquisadores acreditam que novo teste diminua os falsos resultados, além de evitar biópsias invasivas

Por: Redação

Um novo e simples exame de sangue foi descoberto para detectar de maneira eficiente e precisa a presença de câncer de próstata agressivo, de acordo com um estudo realizado pela Universidade Queen Mary de Londres.

Em combinação com o atual teste de antígeno prostático específico (PSA), o novo teste pode ajudar os homens a evitar biópsias invasivas.

Vale dizer, no entanto, que este exame não exclui a necessidade do toque retal na prevenção da doença, ele apenas confirma a suspeita de um diagnóstico. 

exame de sangue
Crédito: PredragImages/istockNovo exame de câncer de próstata detecta células cancerígenas precoces no sangue

O câncer de próstata é o câncer mais comum nos homens ocidentais, com 1,3 milhão de novos casos sendo diagnosticados a cada ano em todo o mundo. Atualmente, é detectado usando um exame de sangue que mede os níveis de PSA. Embora ele forneça diagnóstico precoce, o exame de sangue do PSA tem uma baixa especificidade (muitos falsos positivos), com cerca de 75% de todos os resultados positivos do PSA, terminando com biópsias negativas que não detectam o câncer.

Quando um nível alto de PSA no sangue é detectado, o paciente é submetido a uma biópsia invasiva de tecido da próstata. Na biópsia, a maioria dos pacientes com níveis elevados de PSA não apresenta câncer.

Células tumorais circulantes

O novo exame de câncer de próstata detecta células cancerígenas precoces – ou células tumorais circulantes (CTCs) – que deixaram o tumor original e entraram na corrente sanguínea, de onde poderão se espalhar pelo corpo.

Quantificar as células cancerígenas vivas intactas no sangue do paciente, em vez da proteína PSA – que pode estar presente no sangue por outras razões que não o câncer – resulta em um exame mais preciso.

ilustração da próstata
Crédito: MedicalArtInc/istockPesquisadores avaliaram o teste em centenas de pacientes

O estudo, publicado no Journal of Urology, analisou o uso do teste CTC em 98 pacientes pré-biópsia e 155 pacientes com câncer de próstata recém-diagnosticados.

A equipe de pesquisa descobriu que a presença de CTCs nas amostras de sangue pré-biópsia eram indicativas da presença de câncer de próstata agressivo e previu de forma eficiente e não invasiva o resultado posterior dos resultados da biópsia.

Compartilhe: