Nutricionista: esse profissional é mocinho ou vilão?

Por que ainda acreditam que o especialista é um mero prescritor de dieta para emagrecer?

Por: Redação Comunicar erro

No último dia 31 de agosto comemorou-se o dia do nutricionista. A data tem como objetivo a valorização do profissional, reconhecendo seus direitos e deveres e trazendo à tona para a sociedade a necessidade de tê-lo em ambientes hospitalares, escolares, ambulatoriais e de serviços de alimentação coletiva.

O papel do nutricionista não é só fazer as pessoas emagrecerem
Crédito: iSotck/sefa ozelO papel do nutricionista não é só fazer as pessoas emagrecerem

A valorização do nutricionista é necessária nos dias de hoje não apenas por causa da importância da profissão em si, mas também devido à enorme contribuição que nutricionistas podem fazer à vida das pessoas. Infelizmente, porém, essa contribuição ainda é distorcida por meio de estereótipos e sensos comuns.

Afinal, se pesquisarmos por imagens relacionadas à profissão, encontraremos figuras de balanças, fitas métricas, frutas, verduras e legumes.

Estereótipo

Isso significa que, para a maioria das pessoas, o objetivo central do nutricionista ainda está relacionado a uma representação sobre o que significaria “comer saudável” e, sobretudo, à ideia de que a meta do profissional é fazer as pessoas emagrecerem.

Desse estereótipo é um pulo para que muitos entendam o nutricionista como aquele que prescreve dietas mágicas e truques definitivos para modelar o corpo, além de ditatorialmente definir o que se deve ou não comer.

É o popularmente conhecido “três Fs” – “força, foco e fé” –, muitas vezes vinculado ao nosso trabalho. A contagem de calorias e a postura julgadora, aversiva e nada acolhedora ainda parecem pairar no inconsciente quando o assunto é “alimentação saudável” e a necessidade de marcar uma consulta com um nutricionista.

O real papel do nutricionista

Como contraponto ao popularmente conhecido, é preciso aproveitar a data comemorativa para refletir sobre o real papel que nutricionistas têm para ajudar as pessoas a melhorar sua relação com o ato de comer e com seus próprios corpos.

Atuar como nutricionista envolve, na verdade, uma enorme responsabilidade: a de proteger as pessoas da realidade cruel de dietas restritivas e promessas de emagrecimento rápido – exatamente o contrário do que os estereótipos e o senso comum dizem que fazemos.

O conceito de alimentação e corpo perfeitos afeta diretamente a saúde física e mental das pessoas: estima-se que apenas 2% das mulheres no mundo consideram-se bonitas. A insatisfação corporal, na maior parte das vezes, é um efeito colateral do hábito de fazer dietas restritivas.

O trabalho e valor do profissional de nutrição vão além da nutrição celular; na verdade, englobam, por exemplo, a maravilhosa relação do ser humano com o primeiro pedaço do bolo de aniversário do seu melhor amigo; vão além da queima de gordura e das calorias marcadas na esteira; consistem, sobretudo, em valorizar a sopa quentinha que a avó faz nos dias frios e a deliciosa salada de aspargos que um marido prepara para a família no verão.

O papel do nutricionista também está relacionado ao afeto que o ato de comer envolve
Crédito: iStock/LightFieldStudioO papel do nutricionista também está relacionado ao afeto que o ato de comer envolve

Entender a profissão, portanto, é sair dos estereótipos de balança, fita métrica, frutas e verduras, deixando de olhar nutricionistas como xerifes da comida alheia e mágicos do “perca mil quilos em dois dias”.

Trabalhar como nutricionista é, sobretudo, ajudar as pessoas a melhorar sua relação consigo mesmas, fazendo com que elas consigam amar seu corpo e amar comida.

Texto escrito pela nutricionista Marcela Kotait.

Compartilhe:

1 / 8
1
01:40
O que é a Fibromialgia e quais os sintomas?
Você já sentiu dores intensas em algumas partes do corpo? Hoje, a Dra. Luiza Cadioli, médica de família e comunidade, fala …
2
04:15
Quais são os sintomas que indicam diabetes?
Você sente uma fome excessiva, mas não consegue identificar o por quê? Hoje, a Dra. Luiza Cadioli, médica de família e …
3
04:43
Quais são os sintomas da Esquizofrenia?
A esquizofrenia é um dos tipos da psicose, que é um sintoma que descreve condições que afetam a mente. Hoje, o …
4
03:10
Como os fatores sociais impactam a expectativa de vida
Saneamento básico e desemprego são alguns dos fatores que podem impactar diretamente com a nossa longevidade. Hoje, a Dra. Aline de …
5
01:28
Psicose: saiba como identificar
Pensamentos vagos e incoerentes? Como identificar um surto psicótico? Hoje, o Dr. Jair de Jesus Mari, fala sobre os sintomas da …
6
02:11
Saiba como identificar os sintomas da diverticulite
A diverticulite tem se tornado uma doença comum, principalmente para pessoas acima dos 60 anos. Hoje, o Dr. Raul Cutait, médico …
7
03:59
Quais sintomas o álcool pode trazer?
O álcool é usado mundialmente, desde a antiguidade. Mas como saber se o seu uso, está nos afetando? Hoje, o Dr. …
8
02:58
Como se prevenir de doenças
Você sabe o que são as doenças crônicas não transmissíveis? Hoje, a Dra. Aline Oliveira, médica de família, fala sobre ações …