Últimas notícias:

Loading...

Cuidado com a falsa promessa dos suplementos alimentares

Suplementos não substituem comida; ao contrário, apenas criam a falsa sensação de saúde

Por: Marcela Kotait
copo com suplemento ao lado
Crédito: Iprogressman/istockAté que ponto são necessários tantos shakes, pó e vitaminas para ser mais saudável?

São cada vez mais comuns anúncios e propagandas de suplementos alimentares. Vendidos com a promessa de melhorar a saúde, suplementos de todos os tipos – de óleos a cápsulas, de vitaminas a shakes – reforçam o mito de que para ser saudável basta querer, tornando a suplementação indispensável para uma boa nutrição.

Parece que o consumo de um óleo é suficiente para se ter mais disposição; de uma vitamina, para se viver mais; e de um pó, para se ter músculos mais rijos. No entanto, a realidade é muito mais complexa.

A alimentação é composta de aspectos psicológicos, emocionais, culturais, familiares, ambientais e, é claro, nutricionais. Todos aspectos são importantes. É preocupante enxergar a alimentação de modo estritamente funcional e instrumental. Ainda que cada nutriente desempenhe seu papel, a comida tem outras funções. Ela nos conecta com nossa cultura, com nossa comunidade e com nosso corpo.

Comer de maneira verdadeiramente saudável significa comer bem e com permissão incondicional. Em outras palavras, comer de tudo e de forma prazerosa, respeitando sinais internos de fome e saciedade.

prato com arroz e feijão
Crédito: Juanmonino/istockNada substitui o prazer de comer comida de verdade

Não existem cápsulas ou óleos capazes de substituir o prazer de comer um prato com arroz soltinho e feijão fresquinho. Ali, estarão muito mais do que nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo.

Suplementações devem ser indicadas somente por profissionais capacitados. Sem a análise meticulosa de um especialista, deve-se priorizar o simples no ato de comer, resgatando uma relação natural com os alimentos.

Comer comida de verdade não apenas nutre células, mas também alimenta o corpo e a alma, o que é tão importante quanto.

Texto escrito pela nutricionista Marcela Kotait. 

Compartilhe: