O que leva jovens a abrirem fogo em escolas?

Tragédias como as da escola de Suzano chamam atenção para questões emocionais e bullying

Por: Redação | Comunicar erro
Ex-alunos abriram fogo em escola e se mataram na sequência

O ataque à escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, deixou ao menos 10 mortos nesta quarta-feira (13). Após atirar nos estudantes e funcionários, os atiradores, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, ambos ex-alunos da escola, se mataram ainda dentro do colégio.

Massacres com armas de fogo em escolas acontecem com frequência nos Estados Unidos. De acordo com a BBC, o ano passado foi o mais mortal em relação a esse tipo de ataque, com 113 vítimas. No Brasil, casos parecidos já aconteceram pelo menos 8 vezes. O mais emblemático foi o de Realengo, no Rio de Janeiro, ocorrido 2011, em que 12 pessoas morreram.  E o que leva jovens a abrirem fogo em escolas?

guilherme taucci com símbolo de arma na cabeça
Crédito: reprodução/FacebookUm dos atiradores, Guilherme Taucci publicou fotos nas redes sociais pouco antes do ataque

Várias ciências podem especular sobre as causas e motivos que levam jovens a fazer isso. Nesses casos, é necessário traçar o perfil psicológico dos atiradores e entender se sofriam algum transtorno mental psicótico.  Históricos de bullying também são comumente ligados a reações violentas como essa.

O fato de a escola ter sido escolhida como cenário para o crime poderia ser um indicativo da existência de algum problema dos atiradores com o ambiente escolar. Mas, segundo o secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, ainda é cedo afirmar isso, já que ainda  não se conhece o perfil dos atiradores. “Sobre Luiz Henrique, não temos o acesso nem ao histórico escolar. Já sobre Guilherme, conversamos com professores, mas não soubemos de nada que poderia despertar esse comportamento”, afirmou.

Nas redes sociais atribuídas a Guilherme e Henrique, as fotos revelam admiração por armas de fogo. Pouco tempo antes do ataque acontecer, o perfil de Guilherme Taucci havia sido atualizado com 30 fotos em que ele aparecia vestindo a mesma roupa usada no crime.

Em uma das fotos, Guilherme apontava seu dedo para a cabeça, em um sinal de arma. Nas demais, estava com uma bandana de caveira na boca e com uma arma apontando para a câmera.

atirador de suzano com arma na mão
Crédito: reprodução/FacebookGuilherme Taucci postou fotos pouco tempo antes do massacre

A psicóloga Roselene Espírito Santo Wagner busca na Psicanálise uma possível explicação e aponta o bullying como um dos motivos desencadeadores de massacres como esse. “Dentro da teoria psicanalítica, a gente toma como base os extremos e os opostos, lidamos com um mundo paradoxal que nos habita. Geralmente são pessoas fracas e oprimidas que não são vistas pela sociedade, também pessoas que sofrem bullying. Pessoas que estão sempre nos bastidores e nunca são protagonistas. É como se fosse seu último ato. É o momento do fraco se fazer forte. Ele entra com uma cena apoteótica descontando toda dor e invisibilidade.”

Para o filósofo e pesquisador Fabiano de Abreu, que já escreveu diversas teorias sobre temas como bullying e comportamento infanto-juvenil, a solução para se evitar tais tragédias está em casa e na escola. “Essa sociedade “avançada” em que a internet é a companheira inseparável e que o trabalho está à frente da família, a falta de atenção aos jovens coloca em risco suas atitudes”.

Para evitar tragédias como essa, Abreu também defende uma educação socioemocional nas escolas e a presença de mais psicólogos para atendimento individual dos estudantes.

Compartilhe:

1 / 8
1
03:08
Será que você tem sinestesia?
Ouvir um som e sentir um gosto na boca; ver o número 8 como roxo. Nada disso é loucura: tratam-se …
2
02:23
Banho do Bebê – Sikana
Esse vídeo integra o capítulo “Higiene do Bebê” e contou com o apoio técnico de profissionais de saúde da Perinatal, …
3
02:13
Os benefícios da camisinha feminina
Muitos talvez não saibam, mas a camisinha feminina conta com uma série de benefícios. Além de prevenir a gravidez, protege …
4
05:54
Maternidade e sexo – Ana Paula Xongani
A criadora de conteúdos e empresária Ana Paula Xongani contou o que mudou na sua vida sexual após a maternidade.
5
04:55
Prazer das minas – Thaís Mayume Higa
A escritora e editora Thaís Mayume Higa conversou com a gente sobre os tabus envolvendo a sexualidade das minas.
6
07:03
Saúde LGBT – Thaís Machado e Iran Giusti
Conversamos com a médica da família e comunidade, Thaís Machado, e o fundador da Casa 1, Iran Giusti, para falar …
7
04:27
Sexo 60+ – Rita Cadillac
Conversamos com a Rita Cadillac para abordar o sexo após 60 anos de idade.
8
06:40
Dominatrix – BDSM
Estivemos em uma casa de BDSM para desvendar o que está por trás destas quatro letras e entender este universo …