5 motivos para visitar o Museu da Gente Sergipana em Aracaju

Por: oviajante | Comunicar erro

Se você estiver planejando visitar Aracaju e fizer uma busca sobre o que fazer por lá, é certo que vai se deparar com o Museu da Gente Sergipana.

Não sendo este um tema muito comum de museus, você pode se perguntar: mas, afinal, o que tem lá? Vale a visita?Pois bem, eu conheci o museu e, depois de me surpreender, resolvi listar cinco motivos pelos quais você também deve visitar esse interessante local.1 – O prédioO prédio que abriga o museu já é uma atração por si só. Construído em 1926 para abrigar o Colégio Atheneu Dom Pedro II, funcionou como escola até 1969.
Fachada do Museu da Gente Sergipana, em Aracaju

Com a mudança do colégio, o prédio foi ocupado por algumas instituições públicas até ser completamente desativado em 1996. Apesar de ter sido tombado em 1985, a desativação deixou o prédio em completo abandono, começando um período de total degradação das estruturas e uso do local como abrigo para moradores de rua.

Em 2009 se inicia o processo de restauração do prédio, que, seguindo o projeto original, recompôs seus elementos históricos unindo-os a outros modernos.

Toda esta história do prédio pode ser conhecida em painéis logo na entrada, agregando valor ao museu.

2 – Multimídia

O espaço multimídia do museu é de última geração e, assim como o prédio, une o tradicional ao moderno.

O espaço multimídia do museu é de última geração

A fauna e a flora do estado, por exemplo, são apresentadas em um túnel com projeção 360° por onde, sentado em um barco, o visitante pode conhecer praias, mar, agreste, mangue, sertão e Mata Atlântica. Já as cidades do estado são apresentadas em um lúdico carrossel.

Interagir com um vendedor virtual, montar pratos típicos adivinhando seus ingredientes, cuidar de fazendas com animais e plantas são algumas outras atividades que se pode fazer em multimídia e dão ao museu uma atmosfera viva, deixando a experiência ainda mais interessante.

3 – A visita é leve

Detalhes de cordéis expostos no museu

A cada parte do museu você encontrará um funcionário disposto a lhe dar uma explicação, caso seja da sua vontade.

Assim, você se sente livre para olhar os espaços como desejar, interagir com as atrações no seu próprio tempo e aproveitar as informações dos guias quando achar que lhe convêm (mas, acredite, elas valem a pena!).

Detalhes de uma das alas do museu

Isso transforma a visita em uma experiência muito leve, gostosa mesmo, fora dos padrões tradicionais de museu.

4 – Te faz voltar a infância (e agrada quem ainda está nela)

Já começo dizendo que amei pular amarelinha (chamada de macacão no Sergipe) em um museu. Jogar peão, ver fotos em monóculos, brincar de jogo da memória, se movimentar em frente a um espelho e ver trajes típicos fazendo o mesmo… Todos estes recursos, organizados em plataformas multimídia, são utilizados para apresentar elementos do estado.

Jogos apresentam elementos da cultura do estado

É informação aliada a diversão e, para os mais velhos, uma viagem no tempo.

5 – A gente sergipana (claro!)

Além dos funcionários do museu já citados, que representam muito bem a simpatia do estado, toda a exposição nos remete ao povo sergipano, sua história e seu modo de vida.

Exposição remete ao povo sergipano, sua história, seu modo de vida e seus costumes

As paredes trazem expressões locais que te prendem por um bom tempo, já que você fica imerso na comparação com sua própria maneira de falar e tentando, inutilmente, decorar algumas delas. Atrações como “Nossos cabras” apresentam personalidades locais, entre elas o famoso Lampião. A sala de literatura de cordel traz estórias que valem investir um tempo.

Essa imersão faz o visitante sair, assim como eu, sentindo o povo sergipano como um grande amigo.

E, se estes motivos já não fossem mais do que suficientes, há um adicional: o Museu (assim como o estacionamento) é de graça!

Então, não perca esta oportunidade e ao visitar Aracaju, não deixe de fora o Museu da Gente Sergipana.

Museu da Gente Sergipana
Onde: Av. Ivo do Prado, 398, Centro. Tel.: (79) 3218-1551
Horário: terças a sextas, das 10h às 16h, sábados, domingos e feriado, das 10h às 15h
Quando: grátis
Sitewww.museudagentesergipana.com.br

Por Débora Rodrigues

Compartilhe:

Tags: #Nordeste
1 / 8
1
04:53
Netflix e KondZilla lançam ‘Sintonia’, da periferia para o mundo
KondZilla tem razão quando afirma: "A favela venceu". “Sintonia”, a nova série da Netflix, prova isso. A ideia original é dele …
2
04:21
Sinais que indicam problemas no estômago
Ter tosse seca pode ser um sinal que o seu estômago não vai muito bem. Hoje, o Dr. Raul Cutait, médico …
3
03:43
O estrago de Frota é maior que o Bolsonaro poderia acreditar
Após ser expulso do PSL, o deputado federal Alexandre Frota confirmou sua filiação ao PSDB, partido de João Doria, governador …
4
03:03
Câmara aprova projeto de lei sobre abuso de autoridade
A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que define quais situações configuram abuso de autoridade. Agora, o texto …
5
04:07
Um pedido de desculpas à Angela Merkel pelas ofensas de Bolsonaro
Depois de dizer a um repórter que ele deveria fazer cocô dia sim, dia não para preservar o meio ambiente, …
6
03:26
Mortes provocadas pelo fim dos radares deveriam ter nome de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro determinou nesta quinta-feira, 15, a suspensão dos radares de fiscalização de velocidade móveis em rodovias federais …
7
04:56
‘Risk’, na Netflix, vaza a imagem não autorizada de Julian Assange
Será que, em um ato de coragem, você arriscaria sua própria liberdade para trazer à tona realidades que manipulam a …
8
07:44
Saiba tudo sobre os métodos anticoncepcionais
Prevenção é essencial quando o assunto é relação sexual. Hoje, há outros modos de prevenção que vão além da pílula e …