Últimas notícias:

Loading...

Conheça a selvagem Atins, nos Lençóis Maranhenses

@entaovah te leva para conhecer Atins, uma região selvagem nos Lençóis Maranhenses.

Ouça este conteúdo

Muito se escuta falar dos Lençóis Maranhenses, mas pouco se fala o que te espera quando chegar lá! Já foi para Atins? Entaovah!

Atins é hoje o melhor vilarejo para conhecer a sério e a fundo os Lençóis Maranhenses, nas suas entranhas mesmo. Mas algumas coisas devem ser ditas e estou aqui para isso. Para contar tudo o que não encontrei!

Vila de Atins @entaovah
Crédito: @entaovahVila de Atins @entaovah

Lembre que estamos em meio a uma pandemia mundial. Faça seu exame antes de viajar para comunidades pequenas ou para qualquer lugar. Vamos juntos preservar o nosso Brasil, que muitas vezes não tem a menor estrutura de saúde. Você volta, mas eles ficam. As minhas escolhas foram baseadas na situação que vivemos.

Atins x Barreirinhas

Essa pra mim é bem mais fácil de responder ou de explicar. Barreirinhas é uma cidade e Atins é um vilarejo roots. Simples assim! Faça sua escolha consciente, levando em consideração o que você prefere. Mas note, de Barreirinhas você faz passeios aos Lençóis Maranhenses e pode ficar bem cansativo se quiser ir ao parque mais de uma vez (o que fortemente recomendo).

Porto Barreirinhas @entaovah
Crédito: @entaovahPorto em Barreirinhas @entaovah

Quando digo cidade, não é como São Paulo ou Rio! É uma cidade um tanto caótica, de trânsito bagunçado e uma rua bem turística, a do Porto. É dali que saem todos os passeios para os Lençóis e também os transfers para Atins, além de restaurantes, bares e lojas.

Se você me acompanha nessas outras matérias, sabe que eu nem pensei e me joguei em Atins, para conhecer a cultura caiçara riquíssima que vive ali.

Dona Maria, uma caiçara de amor @entaovah
Crédito: @entaovahDona Maria <3 @entaovah

Ainda sim, considerando o cenário pandêmico, ficar em lugares mais isolados e sem aglomê é sempre melhor.

Estações em Lençóis Maranhenses

Quando ir é sempre uma escolha do viajante. Mas tem que ser uma escolha consciente! Às baixas temporadas sempre acho mais encantadoras. É possível se conectar com os locais de uma maneira diferente, com mais tempo e menos vuvuco.

Para essa escolha, acredito que duas situações devem ser consideradas, a cheia das lagoas e o vento pro kite.

De janeiro a maio é a estação de chuvas, onde as lagoas estão enchendo.

Lençois @entaovah
Crédito: @entaovahLençois @entaovah

De maio a setembro você vai encontrar as lagoas cheias em todos os sentidos. Cheias de água e cheias de gente! Em maio e junho pode chover.

De outubro a dezembro é a seca, você não vai ver aquele cenário inundado, mas ainda sim, encontra boas lagoas para curtir e entender o que é um oásis, no meio do deserto.

Entre julho e dezembro é a estação ideal de vento em Atins, que é um dos melhores lugares do Mundo para aprender e praticar kitesurf.

Kite em Atins @entaovah
Crédito: @entaovahKite @entaovah

Por dentro de Atins

É importante lembrar que Atins, nos Lençóis Maranhenses, é uma vila selvagem, extrema e remota com aproximadamente 1.500 habitantes. Hoje esses moradores estão longe de ser apenas maranhenses locais e são uma miscelânea desse Brasil e do Mundo afora, apesar de ainda ter muita cultura local.

Localizado na Foz do Rio Preguiça em encontro com o mar com ventos fortes, Atins é realmente para quem dá conta da natureza e entende seu poder e limitantes. Muitas casas e hotéis em Atins já foram destruídos pelo poder da natureza e está aí um assunto pouco comentado por lá. O mar dá, mas o mar leva.

Chegando em Atins @entaovah
Crédito: @entaovahChegando em Atins @entaovah

Outro ponto de atenção é que tudo ali é de areia fofa, o que torna nada muito perto. 350m de distância adquire outro tempo e esforço para caminhar, principalmente sob o sol quente dos Lençóis Maranhenses. Entre 11h e 15h, caminhar é uma tarefa que beira o impossível entre as ruas de Atins. Então, se organize.

Areia fofa! @entaovah
Crédito: @entaovahAreia fofa @entaovah

Ta! Então como eu faço? Taí uma coisa que só descobri chegando lá. Quadriciclo é a resposta. O tempo todo e toda hora. Eles chamam de quadri táxi e custa cada perna R$10,00 para qualquer lugar e por pessoa. Alugar um para ficar com você tem valores astronômicos, até para manter os quadris táxis operantes, já que movimenta uma boa grana. Outro lance é deixar combinado um horário e um local, já que você pode facilmente ficar sem internet. Porque sinal de telefone, ahhhh, esse não existe. <3

Quadri taxi @entaovah
Crédito: @entaovahQuadritaxi @entaovah

Outra coisa pouco falada em Atins, mas bem importante é que lá não tem um centro onde você faz tudo, como Jeri por exemplo. As coisas estão espalhadas pela vila toda, com restaurantes e bares nos extremos da vila. O que é bom porque gera oportunidades a todos, mas é ruim porque não é tão fácil mudar de opção e de ideia. É sempre importante checar (na baixa temporada) se onde você quer ir estará aberto e até que horas.

Atins é uma das portas de entrada para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Lembre, Lençóis não é uma cidade (pelo menos, não no Maranhão!), é um Parque Nacional, com algumas vilas que dão acesso ao nosso deserto brasileiro, com mais de 1.000 metros quadrados e pouquíssimo habitado. É preciso a contratação de passeios e/ou guias para conhecer e conto um pouco mais para frente. Não ache que você chega em Atins tropeçando em Lençóis.

Passeio nos Lençóis @entaovah
Crédito: @entaovahPasseio nos Lençóis @entaovah

Como chegar

Atins é longe como todo paraíso. Tenha isso em mente para definir quantos dias vai ficar e o que quer fazer. Realmente sugiro uma semana para fazer tudo com calma e poder se entregar ao esporte e ao assunto mais comentado da Vila, o Kite. Menos que isso acho bem desgastante.


#DicaCatraca: sempre lembre de usar a máscara de proteção, andar com álcool em gel, respeitar o distanciamento social e sair de casa somente se necessário! Caso pertença ao grupo de risco ou conviva com alguém que precise de maiores cuidados, evite passeios presenciais. A situação é séria! Vamos nos cuidar para sair desta pandemia o mais rápido possível. Combinado?


Tudo tem que ser cronometrado para não ter que parar e dormir pelo caminho, antes de chegar ao seu destino final. 1. Voo até São Luis; 2. carro até Barreirinhas por umas 4 horas por paisagens lindas e realidades difíceis; 3. Lancha até Atins por uma hora pelo Rio Preguiça (já considere um passeio porque é lindo demais).

Caminho pra Atins @entaovah
Crédito: @entaovahCaminho de Atins @entaovah

Note que se você quiser ir de lancha de linha que custa R$60,00 por pessoa e leva uma hora e meia, só tem em dois horários, ao meio dia e às quatro da tarde, então seu voo tem que ser escolhido pensando nisso.

Caso você esteja em mais viajantes ou com medo do Corona, acredito que a lancha privada seja uma excelente opção, já que custa R$400,00, sai a hora que for bom para você e ainda para no Restaurante do Dudu, em Caburé, uma das comunidades da região. Das duas opções que te surgirem, acreditem em Caburé! Comemos bem com o pezinho no Rio e depois demos o primeiro banho para o Saravá tão esperado. Quem nos levou foi Everton Turismo, que recomendo até o último fio do cabelo.

Almoço à beira do Rio! @entaovah
Crédito: @entaovahAlmoço à beira do Rio! @entaovah

Foram aproximadamente 12 horas para chegar, entre sair de casa e chegar na Pousada.

Onde ficar

Entaovah escolheu duas opções diferentes para passar esses dias e tudo depende da vibe que você curte e eu realmente indico as duas opções.

O Santa Maria Atins te recebe com o querido e calmo Ignácio, que te ajuda a entender que tudo tem seu tempo e suas realidades. Te dá o tempo de Atins. Um lugar sem frescura, mas que te coloca frente ao mar com o encontro do rio. Dormir ao som das ondas e do vento, não tem preço, bem como o café da manhã com a sensação de estar em cima da água. O restaurante também é ótimo.

Santa Maria Atins @entaovah
Crédito: @entaovahSanta Maria Atins @entaovah

O Vila Aty Lodge é para quem busca conforto, sem perder a autenticidade de Atins. Quem te recebe é Marina sem defeitos (se ela não se chama assim, deveria!) com café e bolo. <3

Vila Aty @entaovah
Crédito: @entaovahVila Aty @entaovah

Uma pousada com piscina, bar, restaurante, massagem ao ar livre e com quadri à disposição dos hóspedes, o que ajuda e muito.

O café da manhã é absurdo e muito completo, com tudo o que você pode querer e claro, personalizado, exatamente como se quer. Eles oferecem pela manhã uma aula de yoga e meditação no jardim.

Café da manhã Vila Aty @entaovah
Crédito: @entaovahCafé da manhã Vila Aty @entaovah

Outra opção é a Pousada Velho Bateau, que também tem o quadri a disposição, já que fica bem mais longe. Ali você encontra diferentes opções de hospedagem, entre elas, o redário e o hostel meio ao ar livre e cabe no bolso dos mochileiros.

Velho Bateau @entaovah
Crédito: @entaovahVelho Bateau @entaovah

Kitesurf

O Kite é a estrela de Atins e o que dá vida à praia. Nas horas do vento é que a praia bomba e fica com aquela característica imagem de Atins, com as pipas no céu.

Tem muitas opções, mas apenas uma que eu recomendo. Kite Point Atins é do astro Marquinhos. Um menino prodígio e muito querido, que ensinou metade dos locais a velejar. Ele sabe tudo e é nativo, o que valorizo muito quando viajo. Valorizar o trabalho e os negócios dos locais é um ato de responsabilidade durante uma viagem. Nunca podemos esquecer que esses paraísos são deles e devem ter espaço no turismo. Viva a resistência local.

Marquinhos @entaovah
Crédito: @entaovahMarquinhos @entaovah

Além disso, ele é um cara muito responsável e pode ter certeza que você não vai passar um perrengue chic com ele. Nada é feito com pressa para você poder instagramar com a prancha no pé. O Kite é um esporte radical e de risco, por isso, valorizo tanto o cuidado que o Marquinhos teve em me ensinar. Um dos pontos altos da viagem para mim foi a prática!

Tudo começa com a teoria do esporte, que é de suma importância, já que estamos falando em uma pipa no vento e que pode te levar pelos ares, se você não tiver com alguns conceitos fixos na cabeça. Direção do vento, conhecer o equipamento, o que não deve fazer e quesitos de segurança frescos o tempo todo na cabeça.

Conhecendo o vento @entaovah
Crédito: @entaovahConhecendo o vento @entaovah

Passada a teoria, vamos para areia, sentados começar a sentir a pipa e o vento. Muito importante é meditar de uma maneira ativa, onde só se tem uma coisa na cabeça, o kite. Ali que se toma consciência do esporte, com Marquinhos sempre preso no seu colete para qualquer dificuldade. Virar o kite, descer e subir a pipa e notar que são com movimentos leves que se leva a vida, digo, a pipa!

Kite na areia @entaovah
Crédito: @entaovahKite na areia @entaovah

O próximo passo é o bodydrag já na água. Primeira grande vitória! Nada mais é do que conseguir velejar ainda sem a prancha (pra beber menos água e ganhar confiança e experiência). Que trem gostoso de fazer! Aí eu já estava apaixonada pelo esporte, querendo morar ali e ligando na companhia para trocar o voo. Nessa etapa, o atento e divertido Marquinhos ainda está conectado em você.

Bodydrag @entaovah
Crédito: @entaovahBodydrag @entaovah

Depois disso, quando você está no controle e não o vento, o Marquinhos te libera para ganhar a praia de Atins e se misturar entre outras pipas participando do cenário. Daí é só alegria e aquela sensação única de conseguir fazer uma coisa nova!

Não para por aí, já que ali não é só o point do kite, é um point das melhores pessoas da vila que se misturam para treinar, trocar ideias, fazer um som e curtir um luau.

Kite! @entaovah
Crédito: @entaovahKite! @entaovah

Obrigada Marquinhos, por tudo e por tanto! Voltarei em breve, mestre.

Aqui vale mais uma dica para quem quer eternizar seu velejo, o JP, um moleque bom de prancha e de foto faz isso para você, com excelência!

Recomendo doses diárias de kite em Atins, por umas duas horas todo dia.

Passeios nos Lençóis

Quem me ajudou com essas opções e com as melhores combinações foi a Nadna Barros, que faz roteiros personalizados. Quem operou tudo foi Everton Turismo Atins com excelência e entendendo exatamente o que procurávamos, cuidando em nos entregar o que era importante pra gente. No caso, lugares perfeitos, com calma e com doses de adrenalina!

Na baixa, parada obrigatória é a Lagoa do Piador, das lagoas que mais estão cheias de água e encontramos um total de zero pessoas. Realmente tivemos a lagoa só pra gente! Um visual incrível, realmente o que se espera de Lençóis. Cadeiras e guarda sol foram colocados para não torrarmos no sol Maranhense. Ali também é possível praticar kite.

Lagoa do Piador @entaovah
Crédito: @entaovahLagoa do Piador @entaovah

Fiz o combo todo, nadei, boiei, tomei sol, subi às dunas e desci correndo direto na água.

Um passeio de dia todo, feito em um carro 4X4. Mas não, você não vai dentro, eles tem aquelas estruturas de safári para que você possa apreciar os lençóis e o cenário desértico.

Eu amo caminhos e os cenários mudam bastante. Tem que estar atento para apreciar cada detalhe e ver beleza em tudo que é grão de areia.Esse passeio te dá idéia dos diferentes cenários, já que passamos por praia, dunas e lagoas.

Paisagens @entaovah
Crédito: @entaovahPaisagens @entaovah

O combinado era almoçar no Canto do Atins, um lugar já bem turístico. Mas, eu quis adentrar ao Parque e almoçar dentro de Baixa Grande, uma pequena comunidade local. Eles prontamente me atenderam e combinaram com um casal fofo nosso almoço, na casa deles. Comemos muito bem e tivemos horas de prosa e café sobre os desafios de morar em um local tão remoto. Uma experiência incrível e inesquecível.

Parada em Seu Zé em Barra Grande @entaovah
Crédito: @entaovahParada em Seu Zé em Barra Grande @entaovah

Terminamos o passeio com um pôr do Sol em uma das dunas. Mais uma vez mudamos o combinado já que não queríamos nenhum tipo de aglomeração. O bom de um lugar desse é escolher onde você se sente melhor, parar e curtir. Portanto, nossa duna não tinha nome, mas apelidei de entaovah!

Pôr do Sol Lençóis Maranhenses @entaovah
Crédito: @entaovahPôr do Sol Lençóis Maranhenses @entaovah

Eu amo velocidade, então o passeio de quadriciclo não poderia ficar de fora. Nosso Guia era o Uelton, também do Everton Turismo, que conhece cada cantinho na palma da mão. Menino criado em Atins.

Logo depois do almoço, pegamos nossos quadris e fomos explorar os Pequenos Lençóis Maranhenses, passando por trilhas off road, riozinhos e muita areia, com a velocidade livre.

Passeio de Quadri com adrena! @entaovah
Crédito: @entaovahPasseio de Quadri com adrena! @entaovah

Eu estava em êxtase! A primeira parada foi em Mandacaru, um vilarejo ao lado de Atins (um lugar em franca expansão) para ver o farol, tomar uma água de coco e levar uns presentinhos feitos por mulheres locais, que vem com uma tag com o nome de quem fez. <3

Lembranças @entaovah
Crédito: @entaovahLembranças @entaovah

Para seguir viagem, é preciso atravessar o rio com uma balsa de quadriciclo. Dessa vez, ninguém botou fé na minha direção e tive que entregar ao Uelton para subir na balsa. Mas te digo, na volta foi diferente (risos confiantes). Fomos em direção ao parque eólico para ver de perto aqueles ventiladores incríveis que geram energia com baixo impacto à natureza. Achei incrível ver a dimensão daquilo e a tecnologia envolvida. Bom, a energia não vai atender aquela população, o que é um absurdo. Mas isso é outra conversa.

Parque eólico @entaoavah
Crédito: @entaoavahParque eólico @entaoavah

De lá, direto para o encontro do rio com o mar, na Praia da Brasilia. Muito massa ver Atins de outra perspectiva, com suas pipas ao vento, essa praia fica exatamente de frente para a Praia de Atins. Almoçamos na única barraca que tem ali, com zero estrutura, mas ainda sim, perfeita e confortável de Dona Maria, que nos fez um peixe na brasa delicioso. Servia uma cerveja inacreditavelmente gelada. Se dirigir, não beba (!) e eu segui a indicação.

Almoço na Dona Maria @entaovah
Crédito: @entaovahAlmoço na Praia de Brasilia @entaovah

Fiz também a Revoada Dos Guarás de barco, passando por caminhos lindos no rio, pelas dunas e o Pôr do Sol para compor o cenário. Recomendo para pessoas calmas e contemplativas. Se essa não for sua pegada, o Lar Doce Mar te espera!

Revoada dos Guarás @entaovah
Crédito: @entaovahRevoada dos Guarás @entaovah

As cores dos guarás são incríveis e dá para ver a diferença de idade entre as aves conforme eles vão atravessando o céu.

Outro passeio que gostei e em horário inusitado, à noite foi a saída para o Parque Dos Lençóis Maranhenses, em um ponto bem próximo de Atins para avistamento das estrelas no alto de uma duna, também de quadriciclo. Apesar de próximo, gostei da adrena de subir e descer a duna a noite de quadri! Eles deixam a gente ficar ali um tempão, admirando o céu, as estrelas cadentes e o silêncio da imensidão dos Lençóis.

Quadri a noite! @entaovah
Crédito: @entaovahQuadri a noite @entaovah

Em seguida fomos conferir plânctons no mar. Esse passeio não sai sempre, já que precisa de pouca lua e pouca luz para acontecer. Se você nunca viu, esses plânctons fazem com que água brilhe, como luz mesmo! Vá de biquíni e leve uma toalha. Sem medo mesmo e nade na água iluminada! Foto só com altíssima exposição.

Onde Comer

Pininga é o melhor restaurante da vila de alta gastronomia extremamente bem apresentado. Um menu novo todo dia usando ingredientes frescos e locais, com o melhor disponível na estação. Se posicionam como uma cozinha criativa, afetiva e autoral e não erram em nada. O afeto está ali em cada garfada proporcionada pela Chef Jéssica.

Restaurante Pininga foto de @ricardobrrazb_files
Crédito: @ricardobrrazb_filesRestaurante Pininga foto de @ricardobrrazb_files

Aberto de quinta a domingo, apenas no jantar. Escolha seu drink ou seu vinho e aproveite a experiência cuidadosamente montada sob as estrelas.

O Vila Aty faz uma já famosa pizzada com música local ao vivo e fica bem animado. É o lugar para se estar nessa noite sem dúvidas. Peça pelo whisky sour e entre no clima! Tudo com muito carinho e cuidado. Hoje, a melhor opção para quem busca conforto e doses de luxo acessível!

Drink no Vila Aty @entaovah
Crédito: @entaovahDrink no Vila Aty @entaovah

Quem comanda a cozinha do Velho Bateau, é o querido Chef Biel. Um garoto que trabalha com muito carinho e história. Tive a possibilidade de vê-lo fazer a mágica, contando com muito amor de onde vem sua paixão pela cozinha, de sua mãe.

Chef Biel @entaovah
Crédito: @entaovahChef Biel @entaovah

Vale a pena ir até lá conhecer suas criações enquanto toma um vinho ou uma cerveja gelada. Ele fez um risoto com camarões no ponto correto e um queijo coalho de chorar de emoção.

O Restaurante Mangue serve almoço e jantar e é pau pra toda obra. De cardápio variado, do peixe à carne! Não deixe de experimentar o famoso arroz de cuxá maranhense. Honesto e no meio da vila, próximo a praia ele salva para um almoço rápido.

Jungle Burger é uma das estrelas de Atins. Uma excelente opção para uns bons drinks em seus tapetes espalhados pela casa e sua decoração foférrima! Os burgers são deliciosos e ali pode ousar sem se arrepender e com isso quero dizer misturar burger com goiabada. Além de ser um ponto de encontro no fim do dia com música boa e a melhor turma do Atins.

Jungle burger @entaovah
Crédito: @entaovahJungle burger @entaovah

Urra! Beer é uma cervejaria que produz seis rótulos diferentes e igualmente deliciosos. Perfeito para um jantar rápido e de porções grandes.

Urra! Beer @entaovah
Crédito: @entaovahUrra!Beer @entaovah

Lar Doce Mar é o point de Atins no pós praia, Ficar ali curtindo um reggae maranhense e vendo os astros do kite no pôr do sol, faz você realmente se sentir em Atins!

Esse foi meu giro por Atins! Voltarei com certeza para realizar alguns sonhos que ficaram na listinha. Se puder, inclua no seu rolê uma travessia a pé pelos Lençóis, com os Filhos da Areia ou com o Nonato. Paraquedas nos Lençóis e o nascer do sol nas dunas com a Nadna.

Oi Atins @entaovah
Crédito: @entaovahTchau Atins @entaovah

Já foi planejar sua viagem para Atins? Entaovah!

Você saca todas as minhas outras experiências pro Catraca Livre nesse link!

Em parceria com entaovah

Viajante por natureza, partilho pequenas descobertas.Roteiros com amor para você realizar seus sonhos ?‍♀️❤Já foi? Então vah

Compartilhe:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário entaovah

A Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.