Últimas notícias:

Loading...

11 destinos que valem a pena viajar na baixa temporada

É mais atrativo viajar nos meses menos procurados pelos turistas; a economia pode ser significativa

Por: Redação

A retomada do turismo após a flexibilização das medidas sanitárias da covid-19 estimulou muitos brasileiros a viajarem, em especial para destinos nacionais.

O aumento da demanda aliado a outros fatores econômicos fez o preço das passagens aéreas subir muito. Em junho, o aumento foi de 11,36%, enquanto que, em 12 meses, a alta é de 123,26%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), prévia da inflação oficial.

Lencois Maranhenses National Park
Crédito: MaRabelo/iStockOs Lençóis Maranhenses são uma das opções para viajar na baixa temporada

Mas, mesmo assim, é possível tirar as tão merecidas férias sem estourar o orçamento. Uma dica é viajar na baixa temporada — de março a junho ou de agosto a novembro. Neste período do ano os preços de hospedagem e passagens aéreas estão mais em conta e dá para curtir as atrações sem muita aglomeração.

Vantagens de viajar na baixa temporada

Um pacote de viagem com aéreo, hospedagem e alimentação incluídos, em hotel cinco estrelas em Porto de Galinhas (PE), pode sair quase R$ 2 mil a menos que na alta temporada.

As vantagens não param por aí: os aeroportos estão mais tranquilos; o trânsito, mais suave, e até as pessoas, muitas vezes, mais receptivas.

Crédito: DivulgaçãoA bela vista da praia que o Solar Porto de Galinhas oferece aos hóspedes

Em alguns destinos, o clima pode ser ainda melhor na baixa temporada, como nos Lençóis Maranhenses, ideal para se visitar de maio a setembro, depois da época das chuvas, quando as lagoas estão cheias.

Já a perda de atrações na baixa, em tese uma desvantagem, em alguns casos pode ser compensada pelo ritmo tranquilo do destino. Os períodos de alta, no entanto, não são fixos, embora se concentrem entre os meses de dezembro, janeiro e julho, além dos feriados.

12 destinos que se destacam na baixa temporada

Litoral nordestino (período: agosto a novembro)

Os pacotes mais procurados do mercado são Fortaleza (CE), Porto Seguro (BA), Maceió (AL), Natal (RN) e Porto de Galinhas (PE).

Igreja de São João Batista, localizado no Quadrado de Trancoso
Crédito: LGMaciel/iStockIgreja de São João Batista, localizado no Quadrado de Trancoso

Além do clima quente praticamente o ano todo, o preço é atraente: na baixa temporada, os pacotes de viagem ficam em média de 30% a 50% mais baratos do que na alta.

Litoral catarinense (período: março a junho)

Uma das melhores estações para se aproveitar as praias de Santa Catarina é o outono, com dias claros e ensolarados, temperatura amena, menos chuva e praias vazias em relação ao verão, além de preços baixos. Florianópolis, Balneário Camboriú, São Francisco do Sul, Laguna e Ibituba são as cidades preferidas dos turistas nessa época, inclusive os surfistas, que ficam muito mais à vontade para aproveitar as ondas.

camburiu
Crédito: Element Films/DivulgaçãoPraia Central, em Balneário Camburiú após alargamento de faixa de areia

A Serra Catarinense, que é próxima ao litoral, também é muito convidativa neste período, especialmente para os adeptos do turismo de aventura.

Cidades históricas de Minas Gerais (período: abril a setembro)

Em abril, as chuvas diminuem no estado, sendo uma boa oportunidade para fazer uma viagem histórica pelo roteiro Minas Colonial, passando por Tiradentes, São João del-Rei, Ouro Preto e Mariana.

Tiradentes, em Minas Gerais
Crédito: Pedro Vilela/MTurCentro Histórico da cidade histórica de Tiradentes, em Minas Gerais

As cidades guardam registros arquitetônicos do barroco, recontam a história do País e exibem monumentos de artistas como Aleijadinho. Se a viagem for mais curta, vale a pena conhecer o centro de Belo Horizonte e Brumadinho, onde fica o Instituto Inhotim, maior museu a céu aberto do mundo, que possui um acervo com mais de 500 obras.

Pantanal (período: abril a setembro)

Divulgação/Visit Brasil
Jacaré da espécia caiman, em rio de Corumbá, no Mato Grosso do Sul

Os períodos de chuva e seca mudam completamente a paisagem pantaneira. Porém, se o objetivo do visitante é conhecer a fauna e a flora do local, observar pássaros, ter uma temperatura mais amena e noites mais estreladas, o melhor período para se conhecer a região é de abril até setembro, quando as águas começam a baixar, aumentando a visibilidade dos animais e vegetação local.

Lençóis Maranhenses (período: maio a setembro)

Após a estação chuvosa, as lagoas entre as dunas ficam cheias e exuberantes. O maior campo de dunas do Brasil é também um dos destinos preferidos para quem gosta de turismo de aventura e contato com a natureza. Para quem prefere caminhadas longas e interação com comunidades tradicionais, pode-se ter a experiência de pernoitar em vilarejos.

Crédito: Gilberto Soares/MMARegião abriga rara beleza natural e espécies importantes, critérios exigidos para o reconhecimento internacional

Para conseguir descontos nessa época, a dica é planejar com pelo menos 60 dias de antecedência. O parque está inserido nos municípios de Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz.

Chapada dos Veadeiros (período: abril e maio)

Com o término das chuvas, a vegetação do cerrado fica exuberante e as cachoeiras são mais seguras, com menos risco de trombas d’agua. Somente o município de Alto Paraíso possui mais de 120 cachoeiras catalogadas.

Chapada dos Veadeiros
Crédito: Rodrigo S Coelho/iStockVale da Lua, uma das atrações da Chapada dos Veadeiros

O clima de misticismo e espiritualidade também é muito presente na região, onde encontram-se pousadas aconchegantes, spas, espaços místicos e templos. É também um destino muito requisitado pelos amantes de esportes e atividades de aventura na natureza.

Jalapão – TO (período: maio a setembro )

É o período de seca em Tocantins, o que melhora o acesso ao parque e aos atrativos. O roteiro, que sai de Palmas e passa pelas cidades de Ponte Alta e Mateiros, costuma durar de três a cinco dias.

Jalapão
Crédito: DivulgaçãoFervedouro do Buriti, no Jalapão

Os principais atrativos são o Fervedouro, um poço de água cristalina onde os banhistas não afundam; as dunas e a cachoeira da Formiga. Porém os preços dos pacotes turísticos não costumam variar muito em relação à alta temporada.

Bonito – MS (período: março a junho)

A observação da fauna marinha com snorkel no Rio da Prata, incluindo o almoço, custa em média R$ 218 por pessoa. Já em baixa temporada, o mesmo passeio sai mais em conta. A cidade tem movimento o ano todo, principalmente nos meses de dezembro a fevereiro.

Divilgação/Fundação de Turismo do MS
Cidade tem movimento o ano todo, principalmente nos meses de dezembro a fevereiro

Apesar de ser um período chuvoso, alguns passeios em balneários ou grutas podem ser prejudicados. Recomenda-se a estadia de sete dias no destino para aproveitar mais de 30 atrativos.

Foz do Iguaçu-PR (período: março a junho)

Os preços das diárias são até 40% mais baratos na baixa temporada, além de os principais atrativos serem menos concorridos, como a queda d’água das Cataratas do Iguaçu, a Trilha do Poço Preto e a visita na Ilha dos Papagaios, onde é possível admirar tanto o nascer quanto o pôr do sol.

Foz do Iguaçu
Crédito: R.M. Nunes/iStockVista das Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, na fronteira com a Argentina

Em feriados prolongados, o Parque costuma reunir cerca de 25 mil turistas no período.

Cânion do Xingó – SE (período: março a junho)

A melhor época para registrar belas imagens durante o passeio de catamarã no Cânion do Xingó é no outono, estação em que os raios solares, ao refletirem sob a água, realçam a tonalidade verde esmeralda do Rio São Francisco.

Divulgação/Visit Brasil
Passeio de catamarã no Cânion do Xingó

O período de chuvas rápidas ocorre no verão e entre os meses de maio a agosto. Entre os principais atrativos no município sergipano estão o passeio na Rota do Canganço, que relembra a história de Lampião e Maria Bonita, a trilha que dá acesso à Gruta de Anjico, local onde Lampião foi morto, e mergulhos em praias fluviais.

Serra Gaúcha (período: fevereiro a maio; agosto a outubro)

A economia nessa época pode chegar a 40%. O movimento nas cidades é tranquilo e é possível conseguir descontos nos ingressos dos parques. Atrativos temáticos, como a Aldeia do Papai Noel e o Parque de Neve, funcionam diariamente ao longo do ano.

Crédito: Agustavop/iStockLago Negro, um dos cartões-postais de Gramado, na Serra Gaúcha

Eventos na baixa temporada: Festa da Colônia em Gramado (agosto); Festa da Uva, em Caxias do Sul (fevereiro e março); Festa da Vindima, em Bento Gonçalves e Garibaldi (janeiro a março); Semana do Bebe de Canela (maio); e Festa Nacional da Música de Gramado (outubro).

?>