Durma com o rugido de leões neste ‘glamping’ na África do Sul

Woodbury tem tendas 'all inclusive' e dois safáris para ver os big 5 e dormir com o rugido de leões

Por: ladobviagem

Passar a noite em uma tenda de acampamento na África do Sul para fazer safári foi uma das aventuras mais autênticas que já fiz em viagens.

Durante a madrugada, você ganha de brinde o rugido de leões e uivos de outros animais, afinal, estará na casa desses bichos.

O Woodbury Tented Camp tem tendas para glamping (camping + glamour), a nova moda de viajantes.

Essa modalidade de hospedagem junta aventura de estar acampado na savana ao o conforto de um hotel cheio de estrelas.

Tendas ficam na reserva Amakhala, onde os animais estão no habitat natural na África do Sul
Crédito: Amakhala/DivulgaçãoTendas ficam na reserva Amakhala, onde os animais estão no habitat natural na África do Sul

O acampamento está a 60 km a leste de Port Elizabeth, em uma reserva privada chamada Amakhala Game Reserve, com hotéis e lodges para safari, além vários projetos de sustentabilidade na África do Sul.

Como explica Mark Palmer, gerente da reserva, lá, a vida selvagem segue como deve ser.

“Os animais são selvagens e cuidam de si. O ecossistema natural significa que os predadores (leão, leopardo, chita, etc.) têm que matar para se alimentar”, conta.

Um veterinário é responsável ainda por qualquer problema. A reserva trabalha a  conservação sem interrupção da vida selvagem.

Crédito: Andrea Miramontes/LadobviagemMinha tenda no Woodbury Tended Camp, na África do Sul, onde dormi com o rugido de leões

Como é o Woodbury e quanto custa?

A tenda de lona lembra um quarto de hotel, com cama queen, roupa de cama, eletricidade, banheiro com água aquecida e um megaventilador. Esquenta, gente, estamos na África do Sul.

Uma varandinha dá de cara para a reserva de 8 mil hectares com os animais em seu habitat natural. Uma cerca separa você e sua tenda dos animais na selva –soltos na casa deles.

A Amakhala tem os Big 5 para você encontrar durante os safáris: leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte, que estava com um bebê.

Crédito: Amakhala/DivulgaçãoTenda equipada na reserva Amakhala une a aventura do camping com o luxo de um hotel
Varanda para refeições no Woodbury
Varanda para refeições no Woodbury
Banheiro dentro da tenda
Banheiro dentro da tenda
Varanda para refeições no Woodbury
Varanda para refeições no WoodburyAmakhala/Divulgação

Cada diária  custa 3.010 rands (a moeda local, o que dá R$ 860 aproximadamente), por pessoa em quarto duplo, e inclui dois safáris com guia (ranger ou tracker) na savana.

Em uma pesquisa rápida, achei diária na baixa por cerca de R$ 1.300 por casal.

O rio Bushman corta a reserva e permite que sejam feitos cruzeiros para observação dos animais. Dura uns 40 minutos com comidinhas e bebidas a bordo.

Na hospedagem, estão inclusas todas as refeições, bebidas e a fogueira com drinks à noite, para degustar vinho ou Amarula com chocolate.

Para chegar a qualquer quarto, há uma caminhada pela mata, supercharmosa, que começa depois da área de piscina.

A área é livre de malária e, sinceramente, não vi muitos insetos por lá.

Crédito: Andrea Miramontes/LadobviagemPiscina do acampamento glamping para safari Woodbury , na África do Sul

As refeições são servidas em um lounge principal de pedra e sapé, também de cara para a savana.

Com sorte, seu café da manhã antes das 6h, quando sai o safari, será na companhia de elefantes, que adoram passear por lá.

Crédito: Amakhala/DivulgaçãoCom sorte, elefantes passam pela varanda onde é servido o café da manhã

Amakhala e sustentabilidade

Amakhala é uma reserva privada que tem um trabalho de conservação do ambiente, com os animais e a população local.

No total, são 10 lodges e acampamentos, mas com um controle rígido de número de hóspedes, para não impactar o ambiente.

Também nunca será permitida qualquer interação com os bichos, justamente para protegê-los.

Crédito: Andrea Miramontes/LadobviagemZebra fotografada durante o safari na Amakhala, reserva sul-africana

A reserva tem ainda programas de preservação e estudo de flora e fauna, além de apoiar o programa Isipho HIV/ Aids na aldeia local, chamada Paterson, que fica a 10 km.

O programa cuida de órfãos e crianças ​​ infectadas pelo HIV. Também oferece suporte e educação para adultos que vivem com o vírus.

O dinheiro para os programas, ajuda aos bichos e à comunidade local vem dos turismo, como explica Mark Palmer, gerente geral da Amakhala.

“Turistas desempenham um papel crucial na conservação de áreas selvagens na África, ao visitar e fazer safaris. Sem essa renda, não haveria como arcar com os custos das reservas.”

Crédito: Amakhala/DivulgaçãoCheetah que, com sorte, pode ser fotografada durante o safari

Ele revela também que há lugares que devem ser evitados, como os que permitem interação com bichos.

“Alguns lugares não contribuem para a conservação. Normalmente, são lugares que oferecem contato com filhotes de leão ou passeios de elefante. Exploram e devolvem pouco”.

“Turistas devem verificar os padrões de conservação do estabelecimento. Parques Nacionais, reservas privadas com boa reputação (como Amakhala) e centros de rehabiliação de animais respeitáveis ​​têm diretrizes de conservação transparentes e boas críticas”.

Crédito: Andrea Miramontes/LadobviagemFamílias inteiras flagradas durante o safari na Amakhala, até a mamãe do Bamby estava por lá

Para chegar ao Woodbury, dentro dessa reserva, você  voa para a África do Sul por Joanesburgo, e, de lá, outro avião leva a Port Elizabeth.

Caso queira, pode contratar um transporte do aeroporto até a reserva e acampamento, com eles, pago à parte.

Neste link, conto sobre a moeda local e sua chegada à porta de entrada na África do Sul, Joanesburgo.

Como protetora de animais e jornalista de viagens, digo, sem dúvida nenhuma, que a experiência de ver os animais no habitat deles foi simplesmente uma das melhores que já tive.

O Lado B Viagem viajou a convite da South African Tourism e Latam Airlines.

Compartilhe:

Por: ladobviagem

Andrea Miramontes, jornalista, viajante e curiosa. Sou vegetariana e jamais divulgo atrações que escravizem animais :) Faço os blogs Lado B Viagem e Patas ao Alto. Seja muito bem-vindo!

Termos da rede:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário Lado B Viagem da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

1
03:32
Viva Chile: um passeio pela beleza da Cordilheira dos Andes
Está com viagem marcada para Santiago e ainda não faz ideia do que fazer na capital chilena? Então, antes de …
2
05:22
Conheça os brinquedos mais radicais dos parques de Orlando
A Catraca Livre foi para a Flórida, nos Estados Unidos, conhecer os parques mais divertidos da região a convite do …
3
03:24
Vovó deixa presídio e ensina como viajar pelo mundo
"As Melhores Surpresas do Mundo" é  o programa que discute as coisas mais inovadoras e surpreendentes que o mundo oferece. -------------------------------------------------------- DIREÇÃO: …
4
02:25
9 lugares incríveis para visitar de graça em Belo Horizonte
O Circuito Liberdade é um grande complexo cultural localizado em Belo Horizonte. Prédios públicos ganharam novos usos para hospedar arte …
5
01:49
9 lugares com uma vista incrível no Rio de Janeiro para você fotografar
Conheça 9 lugares incríveis e de graça para você curtir as paisagens do Rio de Janeiro e ainda tirar fotos …
6
01:31
O que fazer em caso de bagagem extraviada pela companhia aérea?
Um dos maiores medos de que vai pegar o avião é perder a bagagem. Saiba como proceder em uma situação …
7
01:17
Sky Costanera, o maior observatório da América Latina
O Sky Costanera é considerado o maior observatório da América Latina e fica em Santiago, no Chile. Nele é possível …
8
01:01
Zipflyer: a tirolesa só para quem tem MUITA coragem
A Zipflyer, é considerada a maior tirolesa do mundo e fica localizada em Pokhara, no Nepal. Ela conta com 1850 …