Parque das Aves reabre para visitação em Foz do Iguaçu

O parque ganhou um viveiro com cerca de 300 periquitos e 20 tucanos --todos resgatados de contrabando, maus-tratos e tráfico animal

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O Parque das Aves, localizado em Foz do Iguaçu, voltou a receber visitantes no dia 1 de setembro. O espaço é a único do mundo focado na conservação das aves da Mata Atlântica, em sua maioria vítima do tráfico.

Nesta retomada, o parque ganhou um viveiro com cerca de 300 periquitos e 20 tucanos –todos resgatados de contrabando, maus-tratos e tráfico animal e que não podem ser inseridos de volta à natureza.

Parque das Aves
Crédito: Divulgação 

O Cecropia, como foi batizado, é o maior viveiro do Brasil e um dos maiores do mundo.

Nele os visitantes podem alimentar periquitos com um mix de sementes, mas são proibidos de tocar nas aves.

Podem participar pessoas de todas as idades, e crianças até 4 anos precisam estar acompanhadas de pais ou responsáveis durante a experiência.

Parque das Aves
Crédito: DivulgaçãoVista do Cecropia, o maior viveiro do Brasil e um dos maiores do mundo

A experiência custa R$ 10 (mediante compra do ingresso para o Parque das Aves) e o pagamento do valor da interação pode ser feito no cartão (crédito ou débito) ou no dinheiro, diretamente no Viveiro Cecropia. A interação acontece de terça a domingo, das 9h30 às 11h30 e das 13h às 17h30;

“Crianças e adultos têm se divertido muito com essa interação tão próxima com os periquitos. E como nosso foco é aproximar as pessoas cada vez mais da natureza, principalmente neste momento em que estamos isolados em nossas casas, acreditamos que essa experiência vai tocar o coração das pessoas”, comenta Camila Martins, gerente do Departamento de Educação Ambiental.

Para garantir a segurança dos visitantes, todas as colheres são higienizadas com álcool após o uso e o uso de máscara durante toda a atividade é obrigatória, inclusive para tirar fotos.

Compartilhe: