Turista que não é turista: formas alternativas de viajar

Viajar em um motorhome é uma das melhores formas de não ser turista

Por: Livre Partida

Você já fez alguma viagem em que sentiu que não era um turista? Chegou ao lugar e tudo o que fez e o que conheceu nada tinha a ver com os principais atrativos que existiam por ali? Pois é sobre essa sensação que quero falar hoje. Existem algumas formas alternativas de viajar que geram esse sentimento.

Ao longo de vários anos de experiência como viajante, percebi que muitos dos destinos que conheci foram aproveitados de forma “não turística”. Vira e mexe, quando as pessoas pedem dicas do que fazer nesses lugares, dou-me conta de que não sei o que dizer! “Mas você não esteve lá?” Sim, estive! Mas não como turista. Às vezes por causa do estilo da viagem; outras pelas circunstâncias ou, ainda, pelas pessoas que conheci.

Crédito: Livre PartidaViajar em um motorhome é uma das melhores formas de não ser turista

Mas, quer saber? Provavelmente, esses foram os que mais gostei de ter conhecido! O fato de estar em um lugar novo e não fazer questão de me comportar como turista faz com que eu sinta como se vivesse ali.

Em Cali, na Colômbia, viajava de carro e acabei passando dias e noites dentro da oficina mecânica da cidade e mal vi as famosas festas regadas a salsa. Em El Calafate, Argentina, tive uma discussão com meu parceiro que me fez querer apenas um sorvete artesanal, ao invés de buscar o famoso glaciar Perito Moreno. Outras vezes, acabei conhecendo pessoas que me convidaram para programas inusitados, longe do agito das atrações turísticas. Ainda, aconteceu de chegar a um lugar e só querer ficar numa boa, descansando deitada na rede, sem ver nada nem ninguém.

Hoje em dia, fujo um pouco do que é comum aos forasteiros. É claro que algumas atrações são imperdíveis – e até por isso constam nos guias e listas de todo mundo – mas, muitas vezes, entendo que o charme de conhecer um novo lugar é, justamente, chegar sem pretensões e me deixar levar pelo que o acaso reservar para mim. Talvez seja apenas conhecer a quitandinha na esquina de um bairro residencial; conversar com o atendente da loja; passear pela praça daquela cidadezinha que parece que parou no tempo, ou, quem sabe, apenas ficar no quarto do hotel, lendo um livro ou jogando tempo fora.

Viajar não é apenas dar um check em itens de uma lista infinita. É viver uma experiência que, nem sempre, sai como planejado. E nem sempre é planejada! Pegar o carro e sair sem destino certo também pode render momentos tão inesquecíveis quanto ver de perto aquele monumento único do outro lado do mundo. Partiu ser viajante sem ser um típico turista pelo mundo?

Por Mariana Beluco 

Junto com seu parceiro, Plácido Salles, já passou por mais de 60 países, publicou um livro, ministra cursos e palestras sobre viagens e vive uma grande aventura pelo Brasil através do seu projeto, Livre Partida.

Compartilhe:

Tags:#Viagem
Por: Livre Partida

Somos Plácido Salles e Mariana Beluco, nômades viajantes desde 2015!Compartilhamos aqui o nosso cotidiano de viagens, dicas e conhecimentos importantes para quem tem o sonho de fazer uma grande viagem. Passamos por 57 países durante a primeira expedição e agora estamos vivendo uma grande aventura de carro pelo Brasil. Temos um livro publicado e ministramos cursos e palestras sobre o tema. Bora viajar junto!

Termos da rede:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário livrepartida da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.