Últimas notícias:

Loading...

Vai contratar seguro viagem? Então confira estas dicas antes

Alexandre Camargo, country management da Assist Card no Brasil, esclarece algumas dúvidas; confira

Em tempos de pandemia, contratar um seguro viagem antes de fazer as malas pode evitar uma grande dor de cabeça, já que as despesas com tratamento da covid-19 podem ser bastante altas, principalmente se o destino escolhido for internacional.

Por conta do novo coronavírus, muitos países passaram a exigir um seguro viagem que cubra despesas relacionadas a covid-19.  Outros em que a contratação já era obrigatória –como os que fazem parte do Espaço de Schengen–passaram a exigir uma cobertura extra em caso de contaminação.

Seguro Viagem
Crédito: Rfranca/iStockVai contratar seguro viagem? Então confira estas dicas antes

Antes de contratar a assistência, que deve ser feito ainda no Brasil, é bom ficar atento as regras e aos tipos de cobertura do plano escolhido.

Além das despesas médicas e hospitalares já inclusas na assistência, alguns países exigem coberta extra para covid-19 de no mínimo US$ 30 mil ou € 30 mil. Por isto é importante que o seguro viagem contratado englobe as despesas com diárias de hotel e a remarcação de passagens em uma eventual quarenta em caso de teste positivo.

Isto, porquê, antes de retornar ao Brasil, o viajante deve apresentar um teste negativo contra covid-19 –pode ser RT-PCR ou antígeno (os chamados testes rápidos), mesmo sendo cidadão brasileiro.

Conversamos com Alexandre Camargo, country management da Assist Card no Brasil, para tirar algumas dúvidas sobre como contratar e como funciona o seguro viagem.

seguro viagem
Crédito: Shoko Shimabukuro/iStockEm tempos de pandemia, é importante contratar um seguro viagem com cobertura para covid-19

A Assist Card foi a primeira no mundo a incluir cobertura para covid-19 em seus planos. No final do ano passado, com a retomada das viagens internacionais e o aumento de casos provocados pela Ômicron, a empresa passou a oferecer a cobertura “covid extra”, que é adicional.

“Esse novo produto está alinhado com às novas necessidades de viagem na pandemia, principalmente considerando as novas variantes e a obrigatoriedade de apresentar um teste negativa para covid-19 ao retornar ao Brasil”, conta Alexandre.

Tire suas dúvidas antes de contratar o seguro viagem

Uma dica muito importante e que vai evitar dor de cabeça no fim da viagem e um rombo no orçamento: o seguro viagem deve ser contrato antes da viagem.

Outro ponto importante é a duração da viagem. É ela que vai definir o preço do seguro viagem. Ao preencher os dados de sua viagem, insira a data de embarque (a de saída do Brasil) e não a data de chegada ao país de destino. O mesmo deve ser feito com a data de retorno.

Pois, se algo acontecer neste intervalo (saída do Brasil e chegada ao destino, você não estará coberto.

O barato pode sair caro

Uma rápida pesquisa pode te levar a contratar um seguro mais barato e com uma cobertura mais ampla do que a maioria. Ou ao contrário, na maioria das vezes. Então, não tenha preguiça de pesquisar.

Opte por empresas de reputação no mercado, como a Assist Card.  Leia atentamente as coberturas que cada plano oferece. O ideal é contratar um plano com cobertura igual ou superior a US$ 150 mil ou € 150 mil e que ofereça cobertura extra para covid-19.

seguro viagem
Crédito: Cdwheatley/iStockSeguro viagem é muito mais barato do que você imagina

“Na apólice tem todas as condições que o segurado precisa. Por isso, leia atentamente antes da viagem. Fique atento as cláusulas com asteritcos para não ter nenhuma surpresa.

Não são todas as empresas que dão cobertura extra para covid e quarentena, então leia atentamente a descrição do plano.

Despesas e reembolsos

Hoje, a maioria das operadoras de seguro viagem contam com uma rende de médicos e hospitais credenciados para atendimento em quase todos os cantos do planeta.

Em caso de algum imprevisto médico durante a viagem, o country management da Assist Card no Brasil orienta o viajante a entrar em contato primeiro com a empresa que o segurado contratou a apólice. Ele receberá as orientações de como agir e o médico/hospital mais próximo.

“Se o viajante optar por um médico que não seja credenciado, ele pode ter o reembolso negado pela empresa”, conta Alexandre Camargo.

Outra dica é baixar o aplicativo da empresa, assim quase tudo é resolvido de forma online sem a necessidade de ligar para uma central. No app da Assist Card, o viajante consegue marcar consulta, passar por uma avaliação por telemedicina ou solicitar um médico no hotel sem precisar falar com a empresa.

Seguro do cartão de crédito

Se você possui um cartão de crédito, verifique com a operadora se ele dá direito à um seguro de viagem internacional gratuitamente. Em caso de positivo, não esquece de conferir o valor da cobertura e as regras. É obrigatório emitir a apólice, sem ela, o seguro não estará validade. Inclua sempre seu CPF, caso não saiba o número do seu passaporte.

Assim, na hora de usar o seguro e não estiver com o passaporte, o viajante pode se identificar com seu RG. Alexandre recomenda contratar um seguro complementar.

seguro-viagem
Crédito: SHansche/iStockO seguro viagem vale para para destinos nacionais como internacionais

Outra dica importante: não é possível acionar os dois seguros ao mesmo tempo em caso de emergência. Primeiro use totalmente o valor de uma das apólices para depois contatar a outra empresa.

Em caso de teste positivo para covid-19, talvez o segurado tenha que arcar com as despesas do hotel e a remarcação das passagens para depois pedir o reembolso.

Por isto é importante solicitar e guardar todos os comprovantes, inclusive o laudo de onde foi feito o exame de covid-19.

“O seguro viagem vai te proteger para urgências médicas que possam ocorrer durante a viagem, como uma dor de dente. Ele é muito mais barato do que muitos viajantes imaginam e sua contratação é de suma importância”, complementa Alexandre.

As principais coberturas do seguro viagem

  • Atendimento médico e odontológico 24h;
  • Seguro no caso de interrupção ou cancelamento da viagem, em caso de emergência médica;
  • Visita ao segurado hospitalizado;
  • Acompanhante em caso de hospitalização prolongada;
  • Despesas farmacêuticas;
  • Hospedagem após alta hospitalar;
  • Remarcação de passagem para regresso;
  • Repatriação médica e funerária, que garante o retorno do viajante ao Brasil tanto em caso de doença e
  • acidente quanto em caso de falecimento;
  • Assistência funeral;
  • Indenização no caso de morte;
  • Indenização no caso de invalidez permanente ou total;
  • Localização de bagagem extraviada;
  • Indenização no caso de extravio de bagagem;
  • Despesas jurídicas;
  • Pagamento antecipado de fiança.
?>