A indústria da morte nas estradas federais

Meses após a desativação dos radares móveis nas estradas federais do país, dados revelam um aumento nos casos de acidentes fatais com mortos e feridos.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal obtidos pela Rede Globo, entre 16 de agosto e 31 de outubro deste ano ocorreram 14.629 acidentes, uma alta de 7,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. O registro interrompe um ciclo de 4 anos de quedas consecutivas.

Quando o recorte é acidentes com mortes, o número também subiu. O crescimento foi de 1,19% em comparação com 2018. As ocorrências com feridos foram na mesma linha, com alta de 7,1%.

A retirada dos radares foi uma determinação do presidente Jair Bolsonaro, que justificou a medida como uma forma de evitar o ‘desvirtuamento do caráter educativo’ e ‘a utilização meramente arrecadatória dos aparelhos’.

Veja mais detalhes no vídeo