O que é preciso considerar no volta às aulas na pandemia

O retorno das aulas presenciais nas escolas ainda é incerto em muitas cidades do país. Em São Paulo, por exemplo, o prefeito Bruno Covas (PMDB) garantiu que a reabertura não deve acontecer antes do dia 10 de novembro, data em que está prevista a conclusão do inquérito sorológico em de professores, servidores e alunos das escolas municipais para o novo coronavírus. Em outra regiões, a situação não é diferente.

Há uma grande preocupação quanto a capacidade das intuições de ensino garantirem a segurança de todos contra uma possível onda de contágio, afinal, ao se contaminar, o estudante ou o funcionário também correria o risco de  infectar outras pessoas.

O #GiroCatraca falou com o Todos Pela Educação sobre os desafios em torno da retomada das aulas e as consequências de manter os estudante em casa por um tempo tão prolongado.

No processo de reabertura, eles destacaram três pontos essenciais que devem ser considerados:

1- A garantia dos protocolos de segurança;

2- O olhar dedicado à saúde mental dos alunos e funcionário;

3- A consolidação de plano pedagógico estruturado para mitigar as lacunas educacionais agravadas pela pandemia.

Confira no vídeo mais detalhes sobre o assunto.