Reforma da Previdência avança sem eliminar privilégios

A texto-base da reforma da Previdência foi encaminhado para votação na Câmara dos Deputados e precisa de pelo menos 308 votos favoráveis para ser aprovado e seguir para o Senado.

Para o jornalista Gilberto Dimesntein, a proposta apresentada não elimina os privilégios de determinadas categorias, como políticos e servidores públicos. Logo, não promove a igualdade entre os trabalhadores brasileiros.

Dimenstein reconhece a necessidade da reforma para a manutenção da situação financeira do país, mas critica pontos do modelo que deve ser aprovado.