Últimas notícias:

Loading...

Dança: Cia Sansacroma faz única apresentação de “Vala: Corpos Negros e Sobrevidas”   no Sesc Santo André

O VilaMundo é uma iniciativa do Instituto Acqua em parceria com a Catraca Livre

Por: Redação

Na sexta-feira, dia 11 de março, às 21h, o público do ABC tem a oportunidade única de assistir Vala: Corpos Negros e Sobrevidas, com a Cia Sansacroma, no teatro do Sesc Santo André.  O espetáculo de dança tem como ponto de partida as reflexões do importante filósofo camaronês Achille Mbembe acerca do genocídio da juventude negra no Brasil e das inspirações da coreógrafa Gal Martins após visitar o Instituto dos Pretos Novos na cidade do Rio de Janeiro.

No ensaio “Necropolítica”, Mbembe baseia-se no conceito de biopoder e sua relação com soberania e estado de exceção. O autor apresenta que a expressão máxima da soberania reside no poder e na capacidade de escolher quem pode viver e quem pode morrer, sendo o exercício da soberania explicitado, entre outras possibilidades, no controle sobre a mortalidade.

Instituto dos Pretos Novos

O espaço do Instituto é, na verdade, o Cemitério dos Pretos Novos, que funcionou durante os anos de 1769 a 1830, no bairro da Gamboa, no Rio de janeiro, e é a principal prova material e incontestável, encontrada até hoje, sobre a barbárie ocorrida no período mais intenso do tráfico de cativos africanos para o Brasil.
Foram depositados neste cemitério os restos mortais de dezenas de milhares de africanos. E igualmente bruta também era a forma como seus corpos foram despedaçados, queimados e espalhados pelo terreno, cobertos apenas com algumas pás de terra. Há indícios de que, dada a situação de descarte humano que apresentava o local, moradores daquela época que passavam pela Rua do Cemitério lançavam seu lixo doméstico: restos de comida e fragmentos de louças, cerâmicas e vidros.

Vala: Corpos Negros e Sobrevidas

Gal Martins une todas as suas impressões e experiências relacionadas ao projeto do genocídio e propõe uma concepção coreográfica que deve transpor o corpo negro “aberto”, escancarando suas marcas e que encontra-se mortalmente aprisionado, onde a dramaturgia das cenas, seguirão a ideia de que a limpeza do corpo negro ao longo do tempo foi justificando os novos valores sociais, a urbanidade, a civilidade, a segurança pública, a ordem e que diante disso e ao fato de que a sociedade nos faz acreditar que através de todos os instrumentos de legitimação do Estado que a morte do jovem negro é legítima, e o é por que ele é marginal.
Com quatro momentos, o espetáculo atravessa uma linha poética, por meio da perspectiva de que esses corpos se auto reconstroem como sementes, que negam esse destino dentro da necropolítica, que são vias de sobrevidas constantes e que afirmam a urgência de uma desobediência que é vital, necessária e política.

Ficha Técnica 

Direção Artística, Direção Coreográfica e Concepção do espetáculo: Gal Martins

Assistente de Direção: Djalma Moura

Intérpretes Criadores: Aysha Nascimento, Cristiano Saraiva, Djalma Moura, Erico Santos, Marina Chagas, Regina Santos, Sabrina Dias, Victor Almeida e Tiago Silva

Trilha Sonora: Dani Lova

Figurinos e Adereços: Gil Oliveira

Projeto de Luz e Cenografia: Caio Marinho

Operação de Som: Danilo Santana

Preparação Corporal: Djalma Moura

Fotografia: Lua Santana

Direção de Produção: Vanessa Soares – Movimentar

Produções Assistentes de Produção: Dani Lova e Tonny Antonyo

Mídias Sociais: Elo Negro Comunicação

Assessoria de Imprensa: Lau Francisco

Apoio: Fomento à Dança de São Paulo – 2020

Cia Sansacroma

É um grupo de dança contemporânea da cidade de São Paulo, criado em 2002 pela atriz, dançarina e coreógrafa Gal Martins. Desenvolve trabalhos utilizando, além da dança contemporânea, elementos de poesia e teatro. A companhia tem como foco de seus trabalhos temas sociais polêmicos. Atua na região do extremo sul da cidade de São Paulo, propondo descentralizar e difundir a dança contemporânea na cidade. Sua sede, o Ninho Sansacroma, oferece para a região uma programação de espetáculos de diversas companhias, buscando um elo entre a produção central e a local. Gal Martins, foi a ganhadora do 11º Prêmio Governo do Estado de São Paulo para Artes de 2020 na categoria Cultura Urbana.

SERVIÇO

Espetáculo – Vala: Corpos Negros e Sobrevida

Com Cia Sansacroma

Dia: 11 de março, sexta, às 21h

Classificação: 16 anos

Duração: 60 minutos

Venda de ingressos

Online: no Portal Sesc SP.

Presencial:  nas bilheterias da Rede Sesc SP.

A entrada nas unidades para compra de ingressos segue os protocolos de segurança contra Covid-19.

Valores

R$ 40,00 (inteira) para o público geral e R$ 20,00 (meia-entrada) para público com Credencial Plena válida e categorias elegíveis ao desconto de 50%, de acordo com a legislação vigente.

Estacionamento

R$6,00 – portadores de Credencial Plena válida

R$11,00 – público geral

Sesc Santo André – Rua Tamarutaca, 302 – Vila Guiomar – Santo André

Informações: (11) 4469-1200

DicaVilaMundo: Quer ficar por dentro de mais iniciativas culturais, sociais e sustentáveis? Siga o Instituto Acqua no Facebook e Instagram

Compartilhe:

Tags: #Dança
?>