Letrux Aos Prantos: lançamento tem desconto especial na Catraca

Por: Redação
Até de de
Quarta – Quinta – Sexta
– 21h
Preço: Comprar
A partir de R$ 40
20% de desconto
Local: Casa Natura Musical
Rua Artur de Azevedo, 2134 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil
Mais informações:
Telefone: (21) 2265-9933
Site: http://www.funarte.gov.br/espaco-cultural/teatro-cacilda-becker/

O tão aguardado lançamento do álbum Letrux Aos Prantos, o sucessor de Letrux em Noite de Climão (2017), já tem data marcada e ingressos a venda. Os shows de estreia acontecem nos dias 26, 27 e 28 de março, quarta, quinta e sexta, no palco da Casa Natura Musical, em Pinheiros.

Os ingressos podem ser comprados a partir do dia 19 de fevereiro. Para garantir 20% de desconto, use o código CATRACALIVRE20 no site de compras – corra que vai esgotar rapidinho!

Capa de Letrux Aos Prantos

Neste novo trabalho, a cantora, compositora e poeta Letícia Novaes se deixou levar pela potência e pelos significados das diversas emoções que a atravessaram nos últimos três anos para compor as 13 músicas de “Letrux Aos Prantos”.

Suas canções foram inspiradas pela observação das reações muitas vezes superficiais e irônicas e cada vez mais comuns entre as pessoas: uma espécie de fuga do estado emotivo. É um convite para refletir sobre a importância de se aprofundar mais nos sentimentos, a partir do olhar de voyeur e de protagonista do cotidiano que a artista empresta à Letrux, a persona criada por ela.

O novo trabalho chega às plataformas digitais no dia 13 de março, mas enquanto isso já podemos nos deliciar com a capa, resultado de uma união de mãos e cabeças criativas. O quadro é de Maria Flexa, feito a partir da fotografia de seu companheiro, o fotógrafo Victor Jobim, com fotografia de Ana Alexandrino e arte de Pedro Colombo.

Crédito: Ana AlexandrinoLetrux Aos Prantos chega depois do sucesso de “Letrux em noite de climão”

A História da Capa

“Desde criança, choro com o concerto para 2 violinos em Ré menor do Bach. Meu pai tinha alguma coletânea de música clássica (mais tarde @thvivas me ensinou que deveria ser coletânea barroca, risos). Eu amava dar play, ouvir tudo deitada na cama, e tinha a hora exata do pranto. Eu sentia o trajeto da lágrima inteiro dentro de mim e tinha o auge momento de botar pra fora. Passei anos sem ouvir, depois lembrei de tal obra magnânima e que alegria ela sempre existir”, escreveu a artista em sua conta no Instagram.

Para compor a capa, Letrux foi ao ateliê de Maria, levou sua caixinha de som e convocou Bach pra chorar na frente dela e do namorado, que a fotografou (analogicamente), chorando. “Nunca tinha visto Maria nem Victor na vida. Mas chorei na frente deles”, conta a artista que diz sempre ter sido chorona. “Choro de tristeza, de raiva, de horror, de gozo, de saudade, de alegria. Choro com vídeos de superação, luto, bichinhos nascendo, bebês aprendendo algo. Choro de gargalhar (the lícia esse choro)”.

Letrux convocou então Ana Alexandrino, sua fotógrafa oficial, pra fazer o registro dela segurando esse quadro da Maria. “O Climão teve aquele meu carão na capa. Aos prantos tenho outro rosto, em forma de pintura. Sou antiga, não posso evitar cronos pra mim”.

A arte final é assinada por Pedro Colombo, que fez o clipe de “Puro Disfarce”. “Pedro conseguiu reunir elementos dessa fotografia, desse quadro, desse álbum, dessas músicas, da minha água, e elaborar essa belíssima capa do próximo disco”.

O VilaMundo é uma parceria do Instituto Acqua com a Catraca Livre.