Museu Casa Guilherme de Almeida oferece visita virtual

Uma alternativa para tempos de quarentena, museu-casa possibilita visita on-line

Por: Redação

Guilherme de Almeida foi muitos. Atuou como poeta, tradutor, jornalista e crítico de cinema. Por décadas, foi considerado o mais popular poeta paulista. Nascido em 1890, foi a partir de 1946 que residiu na casa da rua Macapá, no Pacaembu, até o ano de sua morte, em 1979. Dez anos depois de seu falecimento, a casa tornou-se o museu biográfico e literário do autor que também pode ser visitado virtualmente.

Crédito: DivulgaçãoConheça o Museu Casa Guilherme de Almeida sem sair de casa

Como as atividades do museu estão suspensas devido às ações de combate ao coronavírus (Covid-19), uma alternativa é conhecer o espaço por meio da visita virtual. Isso porque a casa integra o Google Art Project, que possibilita visitar à distância todos os ambientes do museu.

A ferramenta oferece uma nova forma de interação com os objetos e obras de arte expostas, na qual, além de criar seu próprio roteiro no ambiente de exposição, o visitante pode também selecionar qualquer uma das obras disponibilizadas para saber mais sobre sua história e até mesmo visualizá-la em altíssima resolução. Clique aqui para conhecer.

A casa em que Guilherme morou com sua esposa Baby de Almeida possui uma significativa coleção de obras de artistas do modernismo brasileiro e uma ampla e diversificada biblioteca, um dos grandes atrativos da casa. O acervo também contempla o mobiliário original da residência e objetos pessoais de rico valor histórico.

Crédito: André HoffA Casa Guilherme de Almeida possibilita uma visita virtual por todo o espaço do museu-casa

A Casa

Inaugurada em 1979, a Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, está instalada na residência onde viveu o poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro.

Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. Hoje, o museu oferece uma série de atividades gratuitas relacionadas a todas as áreas de atuação de Guilherme de Almeida, da literatura traduzida ao cinema, passando pelo jornalismo e pelo teatro. Trata-se da primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país.