Caminhada São Paulo Negra conta histórias esquecidas da Liberdade

O bairro hoje associado à comunidade nipo-brasileira foi um reduto negro nos séculos XVIII e XIX

Por: Redação Comunicar erro

São Paulo é a cidade com a maior população negra do Brasil e as histórias negras estão por toda a cidade, no centro e em todas as esquinas (inclusive na Ipiranga com São João, a mais famosa delas), apesar de muitas vezes não serem contadas. Para narrar o que é silenciado, a Caminhada São Paulo Negra apresenta um roteiro cheio de história e ancestralidade.

público na caminhada são paulo negra, na liberdade
Crédito: Henrique CarraraA São Paulo Negra revela os lugares importantes da cultura negra, como o bairro da Liberdade

O passeio vai apresentar lugares importantes da história dos negros na cidade, como é o caso da Igreja Nossa Senhora Rosário dos Pretos, a estátua da mãe preta, a Igreja Nossa Senhora dos Enforcados, do antigo Pelourinho e do antigo Morro da Forca, no bairro da Liberdade.

A caminhada começa no bairro da Liberdade, um reduto negro nos séculos XVIII e XIX e termina no Largo do Arouche, e conta a história de personagens negros importantes, que foram  invisibilizados em vários espaços, como é o caso da escritora Carolina Maria de Jesus, do jornalista, advogado, poeta e patrono da abolição Luiz Gama e o arquiteto Joaquim Pinto de Oliveira, o Tebas.

Também fazem parte das histórias a migração africana atual, a música e movimentos negros modernos. O percurso é conduzido pelo jornalista Guilherme Soares Dias, pela relações públicas Luciana Paulino e também pelo fotógrafo e produtor cultural Heitor Salatiel.

Público da caminha são paulo negra posa para foto no centro de são paulo
Crédito: Henrique CarraraPercurso da Caminhada São Paulo Negra é conduzido pelo jornalista Guilherme Soares Dias, pela relações públicas Luciana Paulino e também pelo fotógrafo e produtor cultural Heitor Salatiel

A Caminhada São Paulo Negra acontece no dia 17 de março, às 10h. O ponto de encontro é a igreja que fica no número 238 da Praça do Metrô Liberdade. O passeio histórico custa R$ 50 e para participar, o interessado deve reservar seu ingresso no site Diáspora Black.