Festival de Jazz GRATUITO agita o centrão no feriado

Jazz FR/BR toma conta do Teatro Aliança Francesa e da rua General Jardim com música e muita comida de rua!

Por: Redação

Quem quer festival de jazz, aí? No feriado do Dia da Consciência Negra acontece a 3ª edição do JAZZ FR/BR, com atrações no palco do Teatro Aliança Francesa, no hall de entrada do teatro, e na Rua General Jardim.

Além dos shows, comidas, feira de livros e vinis contribuem para difundir a cultura jazzística, seja de modo direto ou por meio das várias vertentes do gênero.

DJ Odara Kadieji está na programação do festival de jazz fr/br
Crédito: Leandro GodoiDJ Odara Kadieji leva seus sets, que transitam entre as sonoridades tropicais, música brasileira, africana e latina, mesclando sons clássicos e obscuros com a modernidade em seus diversos ritmos

O festival de jazz mistura visões e conhecimentos de músicos brasileiros e franceses, referências nos meios musicais em que atuam.

E não é brincadeira, não! Na programação estão só nomes de peso, como DJ Odara Kadieji, Quartabê, Trio Panossian, Fabio Peron Quarteto, além de bandas de rua que foram escolhidas por meio de um edital.

A gastronomia franco-brasileira também vai estar presente com food trucks estacionados em frente ao teatro, enquanto o jazz come solto lá dentro!

quartabê
Crédito: Ilana BarQuartabê anima o festival de jazz na Aliança Francesa

Entre os trucks que estacionam por lá, estão o especializado em crepes Do Chef e o Le Blé D’or, com comidinhas de rua típicas da França.

A Casa Elefante e o Sebo Clepsidra tão responsáveis pela curadoria da venda dos vinis, livros e CDs, todos com o Jazz como tema. Afinal, é um festival de jazz, né não?

A entrada do festival Jazz FR/BR é gratuita e os ingressos para os shows no teatro devem ser retirados uma hora antes do início de cada apresentação, que acontecem entre 14h e 21h, do dia 20 de novembro.

Quer ver a programação? Dá um ligue aqui embaixo?

  • Música

DJ Odara Kadieji
14h15 – 15h (hall)
16h15 – 17h (hall)
18h15 – 19h (hall)

Seus sets transitam entre as sonoridades tropicais, música brasileira, africana e latina, mesclando sons clássicos e obscuros com a modernidade em seus diversos ritmos. Tocou ao lado de artistas como KL JAY, Bixiga 70, Baco Exu do Blues, Duda Beat, BNegão, Russo Passapusso, Anelis Assumpção, Metá Metá, Luedji Luna, Baiana System, Elba Ramalho, Josyara, entre outros.

Caio Chiarini e a Contrabanda
14h30 – 15h30 (rua)

Caio Chiarini e a Contrabanda é o projeto solo do guitarrista, violonista e compositor Caio Chiarini, acompanhado por Alisson Amador (vibrafone), Victor Gagete (contrabaixo) e Arnaldo Nardo (bateria). É um grupo de música instrumental brasileira autoral que atualmente se dedica à finalização do seu primeiro disco com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2019.

Quartabê
15h – 15h50 (teatro)

Mesclando a vanguarda paulista à improvisação livre, passando pelo pop e a música eletrônica. A formação conta com Joana Queiroz (Clarinete e Clarone), Maria Beraldo (Clarinete e Clarone), Mariá Portugal (Bateria) e Chicão (Teclas). A Quartabê também se destaca pela formação composta majoritariamente por mulheres, que além de instrumentistas são também arranjadoras, compositoras, cantoras e improvisadoras. Fato incomum, pois, em um meio musical em que posições de criação e poder ainda são ocupadas, majoritariamente, por homens.

Luíza Strufaldi Quarteto
16h30 – 17h30 (rua)

Quarteto que leva o nome da cantora/compositora: Luíza Strufaldi, formado por Guilherme Hoss na guitarra, Ingrid Cavalcanti no baixo e Andressa Pezzuol na bateria. Adentra o jazz e suas vertentes, trazendo as diferentes expressões do estilo (tanto vibrantes como melancólicas) e sua marcante linguagem de improviso/scat singing.

Trio Panossian
17h – 17h50 (teatro)

O grupo francês é um jazz rock binário com ressonâncias pop e electro. Após 10 anos de existência, o Trio já realizou mais de 350 concertos em 30 países. A banda é composta pelo pianista de jazz Rémi Panossian, Maxime Delporte no contrabaixo e Frédéric Petitprez, na bateria.

Jací Sambô
18h30 – 19h30 (rua)

Jací Sambô trabalha influências da linguagem improvisada do Jazz e do samba, com enfoque nos ritmos afro-brasileiros. O trio propõe releituras instrumentais de canções brasileiras, dos clássicos e dos menos clássicos, sempre com sotaque próprio. O som é orgânico: a bateria é o coração que bate, o saxofone é a voz que vibra, o violão é a pele que envolve. O repertório do grupo conta com músicas escritas por compositores e popularizadas por intérpretes e arranjadores como Elizeth Cardoso, Elis Regina, Baden Powell, Moacir Santos, Djavan, Stan Getz, Paul Desmond, Mario Adnet, etc. Algumas composições próprias também fazem parte do repertório do grupo, que procura uma estética moderna e ao mesmo tempo fiel às suas raízes e influências.

Fabio Peron Quarteto
19h – 20h (teatro)

É um dos grandes expoentes da nova geração de músicos e traz um novo conceito ao virtuosismo, onde ritmo, harmonia e melodia trabalham em função da emoção que o artista passa com seu bandolim. Ao lado de Carlinhos Noronha (contrabaixo), Guilherme Fanti (violão) e Fernando Amaro (bateria), o músico apresenta tanto composições inéditas quanto outras obras de sua autoria já registradas em alguns dos seus álbuns, bem como releituras de temas consagrados do repertório de samba, choro, baião e instrumental. Em uma junção de harmonias rebuscadas com suingue tipicamente brasileiro, o jovem bandolinista comanda um show para todos os públicos.

O currículo extenso do jovem músico inclui shows e gravações ao lado de alguns dos maiores nomes da música brasileira como: Paulo Vanzolini, André Mehmari, Amilton Godoy, Arismar do Espírito Santo, Thiago Espírito Santo, Yamandu Costa, Hamilton de Holanda, Naylor “Proveta” Azevedo, Alessandro Penezzi, Mestrinho, entre muitos outros.

  • Gastronomia

Na rua ficam:

Arepas Picatta SP – comida venezuelana

Le Blé D’or – French street food

Do Chef Creperia

Morrones – vegburger

No hall do teatro ficam:

Sebo Clepsidra

Casa Elefante (vinil)

Espaço Douce France – café e pâtisseries

Firoco Drinks

Mais música no Dia da Consciência Negra:

1
Almoço perfeito em BH no Mercado Novo
Que a comida mineira é uma delícia, todo mundo já sabe, mas almoço perfeito mesmo, é no Mercado Novo de …
2
Bar da Laje: a melhor vista do Rio de Janeiro
Colaí que hoje o passeio é lá no alto! Vamos subir o Morro do Vidigal para conferir tudo sobre o …
3
Ópera do Arame: símbolo emblemático de Curitiba
Entre lagos, vegetação típica e cascatas, numa paisagem singular, está a Ópera do Arame. Colaí que eu vou te contar porque …
4
Cisne Branco: Espaço cultural flutuante em Porto Alegre
Verdadeiro ícone de Porto Alegre, o barco Cisne Branco é referência quando se fala de rolê flutuante! Colaí pra navegar nessas …
5
As obras de Niemeyer espalhadas por BH
Você sabia que há várias obras de Niemeyer espalhadas por BH? Colaí que eu vou mostrar pra você!
6
Poço da Panela: um roteiro imperdível e relax no Recife
Pensando em roteiros diferentes e alternativos para curtir o Recife? Que tal conhecer o histórico bairro do Poço da Panela? …
7
O melhor acarajé de BH é na Feira Hippie
A Feira Hippie é a maior feira da América Latina! Lá você encontra de tudo, inclusive, o melhor acarajé de …
8
Um pulo na ponta do Humaitá e no Forte de Monte Serrat, em Salvador
Um dos lugares mais charmosos de Salvador, com privilegiada vista da Baía de Todos os Santos e um pôr de …