Santa Teresa: gastronomia e arte no bairro mais antigo do RJ

Prepare-se para caminhar muito em um dos bairros mais charmosos da Cidade Maravilhosa!

Por: Redação

Se você está atrás de um passeio que misture arte, história, boêmia e gastronomia, que tal explorar o bairro de Santa Teresa? Localizada na região central do Rio de Janeiro, a região é famosa pelo bondinho, em funcionamento desde 1872. Mas há ainda um monte de outras atrações para você aproveitar muito!

Bonde de Santa Teresa, no Rio de Janeiro
Crédito: Henrique FreireSanta Teresa é o único bairro carioca que preserva o uso do bonde

Com uma arquitetura marcadamente francesa, com construções datadas a partir de 1750, prepare-se para encontrar mirantes com vistas deslumbrantes, museus, ateliês de arte, restaurantes e bares dos mais diversos estilos em Santa Teresa. A Catraca Livre preparou uma lista com algumas dicas. Bora lá?

  • Largo do Guimarães
Largo do Guimarães, um dos pontos turísticos de Santa Teresa, no Rio de Janeiro
Crédito: Mike Peel – Wikimedia CommonsO Largo dos Guimarães concentra muitas lojinhas, bares e restaurantes de Santa Teresa

No coração de Santa Teresa, mais especificamente no Largo dos Guimarães, é possível fazer uma viagem no tempo. Lá estão muitos dos atrativos de Santa Teresa, incluindo lojas de artesanato, uma mercearia à moda antiga (daquelas com balança e tudo!), bares, restaurantes e brechós. Vale uma caminhada para observar a arte urbana nos muros e as ruas de paralelepípedos.

  • Parque das Ruínas
Parque das Ruínas, em Santa Teresa
Crédito: Alexandre Macieira/RioturParque das Ruínas tem muita música ao longo da semana

Inaugurado em 1997, o Parque das Ruínas oferece uma vista maravilhosa do bairro e da orla carioca, além de uma intensa programação cultural. Além de exposições, shows dos mais variados estilos ocupam o espaço ao longo de toda semana, do samba aos blues.

Para quem não sabe, o Parque das Ruínas foi instalado no antigo palacete de Laurinda dos Santos Lobo, sobrinha e herdeira de Joaquim Murtinho Nobre, Ministro da Fazenda do governo Campos Sales. Ela organizava saraus e festas que reuniam artistas e intelectuais como Villa Lobos, Tarsila do Amaral, João do Rio e Isadora Duncan, sendo considerada uma importante mecenas das artes cênicas.

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 8h às 18h
Endereço: Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa

  • Museu Chácara do Céu
Museu Chácara do Céu, em Santa Teresa
Crédito: Facebook @museuscastromaya - ReproduçãoMuseu Chácara do Céu abriga o maior acervo público de Portinari

Os amantes de artes plásticas vão pirar no Museu Chácara do Céu. Antiga casa do mecenas Raymundo Ottoni de Castro Maya (1894-1968), o local abriga uma importante coleção de obras de artistas como Matisse, Miró, Degas, Modigliani, Di Cavalcanti, Guinard e muitos outros!

Vale dizer que o museu concentra o maior acervo público de quadros de Portinari e mais de 500 originais de Jean-Baptiste Debret. Isso sem contar os mapas dos séculos 17 e 18 e a biblioteca com um acervo de mais de 8 mil livros de arte, literatura brasileira e europeia (principalmente francesa).

Horário de funcionamento: de quarta a segunda, das 12h às 17h
Endereço: R. Murtinho Nobre 93 – Santa Teresa
Entrada: R$ 6 (inteira), R$ 3 (meia-entrada) e gratuita às quartas

  • Escadaria Selarón
Escadaria Selarón, em Santa Teresa
Crédito: Janko Hoener from Brühl, Alemanha – Creative CommonsEscadaria Selarón liga à Lapa à Santa Teresa

Tombada em 2005 pela prefeitura do Rio de Janeiro, a Escadaria Selarón, que é totalmente instagtramável, é uma obra do artista chileno Jorge Selarón. São 215 Degraus de 125 metros de comprimento cobertos por mais de 2 mil azulejos recolhidos em cerca de 60 países. Mais de 300 peças foram pintadas a mão pelo artista, que se tornou cidadão honorário da Cidade Maravilhosa.

A escadaria liga o boêmio bairro da Lapa a partir da rua Teotônio Regadas ao convento de Santa Teresa. Os azulejos são permanentemente trocados, sempre remetendo aos pintados por Selarón.

  • Largo do Curvelo
Largo do Curvelo, em Santa Teresa
Crédito: Rogerio ZgietLargo do Curvelo é um dos pontos do bonde de Santa Teresa

Um lugar perfeito para jogar conversa fora, disputar partidas de xadrez e ainda um ótimo cenário para encontros artesanais e musicais. Assim é o Largo do Curvelo, um dos pontos do bonde de Santa Teresa. Os visitantes ainda podem apreciar a famosa “casa navio”, construída em 1938 inspirada no convés de uma embarcação.

  • Largo das Neves

Localizado em frente à igreja de Nossa Senhora das Neves, de estilo Neogótico, o Largo das Neves é outro excelente ponto de encontro dos moradores e visitantes de Santa Teresa. Rodeado por casarões do século 19, o local tem alguns restaurantes, barraquinhas de comida e cerveja gelada!

PARA COMER

Um dos mais tradicionais e turísticos restaurantes de Santa Teresa é o Bar do Mineiro (Rua Paschoal Carlos Magno, 99). Espere encontrar pratos como feijoada, pastéis de feijão, linguicinha mineira, leitão à pururuca e moqueca, além de alguma opções vegetarianas e várias opções de cerveja.

Ao lado do Mineiro tem o Bar Simplesmente (Rua Paschoal Carlos Magno 115), que também oferece comida brasileira no cardápio, principalmente petiscos. Destaque para a carne seca com aipim (carro-chefe da casa), para a linguiça acebolada, para o queijo minas temperado e para algumas opções de pizzas.

Se você se amarra mesmo em uma comida nordestina, vá ao Café do Alto (Rua Paschoal Carlos Magno, 143). Tem casquinha de siri, caldinho de feijão, cuscuz com carne seca, macaxeira, tapiocas e até opções veganas.

Tem mais opções veganas neste rolé! Não deixe de provar as pizzas do Tribas Pizza (Rua Paschoal Carlos Magno, 109). Além dos sabores diferentes, os molhos são artesanais e diferenciados, em substituição aos industrializados: catchup de beterraba, mostarda de chuchu, geleia de pimenta, creme de alho com fibras, molho pesto orgânico, creme de tofu e o queijo da casa vegano.

Não deixe de tomar o café camponês ou almoçar aos sábados no Raízes do Brasil (Rua Áurea, 80). O lugar é uma conquista do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e surgiu para integrar agroecologia camponesa e a sociedade urbana, por meio da alimentação saudável, de atividades culturais e hospedagem. Aproveite para conhecer a loja com os produtos do MPA.

Que tal estender a noite na Lapa?

1
BH: Jetiboca tem café incrível a R$ 3, pão de queijo e muito amor
Um dos lugares mais incríveis e inusitados no centro de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é o Mercado Novo. Há …
2
3 trilhas no Rio com vistas de tirar o fôlego
Esse vídeo é para os amantes de ecoturismo, ou mesmo para quem quer começar a fazer trilhas e se conectar …
3
Parque da Pedra Branca no RJ: a maior floresta urbana do país
Pega um calçado confortável, passar protetor e repelente e Colaí nessa caminhada pelas trilhas do Parque da Pedra Branca, a …
4
Roteiro zen para fugir do caos de SP
Viver em SP é estar sempre ligadão no 220. Mas é legal dar uma freada no corre corre, né não? Colaí …
5
3 rolés pra curtir no Baixo Tijuca no Rio de Janeiro
A região do Baixo Tijuca tem muito o que oferecer quando o assunto é cerveja gelada! Colaí que eu tenho as …
6
Arena Digital de Curitiba: cinema e planetário no mesmo lugar
Ver as estrelas, mergulhar no fundo do mar, conhecer de pertinho todo o sistema solar. Tudo isso é possível em …
7
Uma voltinha no Mercado Público de Porto Alegre
Mais do que um ponto turístico, o Mercado Público de Porto Alegre concentra consumo, crença, cultura e tradição no centro …
8
3 jóias gastronômicas antigas de São Paulo
Afinal, panela velha é a que faz comida boa? Se depender da Casa Mathilde, da Padaria Santa Tereza e do …