Imagem do Topo

SP ganha 4 palcos e 12 horas de festa gratuita no Anhangabaú

Por: Redação Comunicar erro

Quem ama uma boa festa sabe que São Paulo é dona da melhor noite do país. Para comemorar seus 465 anos, a cidade reúne algumas de suas melhores festas em um dia inteiro de pura música, em meio ao Vale do Anhangabaú. O evento acontece no dia do aniversário, sexta, 25 de janeiro, a partir das 12h. A programação é 100% gratuita.

Vale do Anhangabaú é mais uma vez palco das comemorações do aniversário de São Paulo

Ama música negra? Então prepare-se para um encontro de gerações que ocupam o primeiro palco. Por ali passam a DJ Donna, a festa Discopédia convidando Seu Osvaldo e o coletivo Batekoo convidando KL Jay. A galera da música eletrônica pode chegar junto no segundo palco para curtir as festas Gop Tun, Selvagem, ODD e Mamba Negra. Brasilidades não poderiam faltar! Para quem ama um gingado malemolente, a dica é o terceiro palco com as festas Primavera, te amo, Santo Forte, Pilantragi e Desculpa qualquer coisa, além dos DJs do Prato do dia.

DJ Rodrigo Bento leva Pilantragi para a Chapada
DJ Rodrigo Bento leva Pilantragi para a rua mais uma vez!

Além das festas, o Anhangabaú recebe shows de RC na Veia convida Wanderléa, às 12h, Ao Cubo convida Art Popular, às 14h, Paulinho da Viola convida Beatriz Rabello, Fabiana Cozza e Rodrigo Campos, às 16h,
homenagem ao Charlie Brown Jr com Alexandre Abrão, Dinho Ouro Preto (Capital Inicial), Di Ferrero, Digão (Raimundos), Supla e Panda (La Raza), às 18h. Para encerrar, às 20h30, Rael convida Rashid e Pabllo Vittar, e às 23h quem sobe ao palco é Ludmilla.

Saiba mais sobre as atrações:

PALCO #1

  • 12h | DJ Donna

Reconhecida como uma das melhores representantes da cultura urbana e alternativa brasiliense, DJ Donna é a chave para falar sobre mulheres e feminismo na música negra brasileira. Apaixonada por música negra de boa qualidade, seus sets variam entre RAP, Miami Bass, break beat, Afro House , Electro Funk, Kuduro, Dancehall, Charme, R&B e Samba Rock. Foi eleita melhor DJ do ano de 2018 pela Women’s Music Events.

  • 14h | Discopedia convida Seu Osvaldo

Discopédia é uma festa que existe há 6 anos e é totalmente dedicada ao uso e a valorização do vinil comandada pelos Djs Dandan, Marco e Nyack. E o ponto alto da noite é o encontro inédito com Seu Osvaldo, primeiro DJ brasileiro, que no alto dos seus 86 anos mostra sua habilidade nas pickups para colocar a galera pra dançar.

  • 19h | Batekoo convida KLJay

A Batekoo é uma festa feita por negros para o público negro e periférico e tem como cenário as músicas black do Brasil e do mundo. É pra se derreter a pista ao som de rap, hip hop, funk carioca, R&B, trap, urban ou kuduro. Hoje a festa acontece em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte e já passou por Brasília, Goiânia e Recôncavo Baiano. A cereja do bolo é a participação especial de KLJay. Conhecido por ter fundado os Racionais MC’s, em 1989, junto de Edi Rock, Mano Brown e Ice Blue, Kleber Simões começou fazendo bailes com tape decks, fitas cassetes e alguns vinis. Com os Racionais gravou 11 discos, entre álbuns de estúdio e coletâneas.

PALCO #2

  • 12h | Gop Tun

Gop Tun é uma festa, selo e coletivo formado por Bruno Protti, Caio Taborda, Fernando Nascii e Gui Scott. Uma fusão de paixões e ambições, solidificada por um espírito musical complementar e a opinião unânime de que uma festa deve ser uma experiência transformadora. É um sistema coeso de curadores seletivos e curiosos, que nasceu numa era impiedosa da noite paulistana mas que conseguiu seu lugar ao sol e no radar dos amantes da música mundo afora através de uma sólida pesquisa misturando gêneros como house, disco e techno.

  • 15h | Selvagem

Uma das festas mais animadas de eletrônica da cena paulista. O sucesso se deve à originalidade. Tudo surgiu de uma brincadeira que buscava deixar clara a proposta que possuem de buscar no dancefloor a provocação de instintos primitivos. Com o passar dos anos, o som da Selvagem também evoluiu. As variações genuinamente nacionais seguem sendo uma das marcas registradas do projeto, que também sempre flertou com a disco/house. O plus atualmente vem da pesquisa e garimpo por sons de outras partes do mundo, como Polônia, África e Caribe.

  • 18h | ODD

A festa é um dos grandes símbolos desse momento, em que as pessoas estão dispostas a sair de casa e ir para lugares muitas vezes inusitados, conhecer novas pessoas e dançar ao som de artistas que trazem a pista sonoridades avançadas dentro do house, techno e outros estilos. Desde 2014, a ODD já passou por locações abertas e fechadas, com formatos de festas diferentes, sempre pensando na boa experiência do público, um dos grandes pilares da festa criada por Vermelho e que hoje conta com a participação de Davis e Zopelar no time de curadores.

  • 21h | Mamba Negra

Carol Schutzer (a.k.a Cashu) e Laura Diaz (a.k.a carneosso) são as mulheres responsáveis pela Mamba Negra, festa independente que tem tomando as ruas de São Paulo e os corações dos jovens amantes da vida noturna. A festa – que existe há 5 anos – acontece nas ruas, ocupacões e também em locações degradadas da cidade, como fábricas abandonadas. A Mamba surgiu num momento de efervescência cultural e política no centro de São Paulo e traz um espírito de liberdade em suas raízes, com uma vibe misteriosa. Liberdade sexual, de gêneros e de se divertir da maneira que quiser até o sol amanhecer.

 

PALCO #3

  • 12h | Primavera, te amo

A festa é um encontro multicultural para espalhar a alegria e o conhecimento por meio do encontro de pessoas. A iniciativa une música independente, discotecagem em vinil, artesanato e bate-papos sobre diversidade.

  • 14h | Santo Forte

A festa de brasilidades é realizada por Tutu Moraes há 13 anos em São Paulo e outras capitais. O DJ e pesquisador musical Tutu Moraes é hoje um dos nomes mais festejados e atuantes no efervescente cenário da música brasileira. Exímio pesquisador da música popular brasileira em suas diferentes vertentes e sonoridades, tem como uma das características principais em seus projetos garimpar a memória musical do Brasil, mas também apresentar novos nomes musicais e propor um crossover dos ritmos presentes na nossa cultura.

  • 16h | Pilantragi

A Pilantragi é uma das festas brasileiras mais influentes da cena alternativa. Ela surgiu através da criação do Coletivo Pilantragi em 2012, com objetivo de difundir a cultura nacional através da música e da arte. Sob o comando de Rodrigo Bento, a festa arrasta multidões com uma pesquisa da música nacional que extrapolou as fronteiras da capital e já teve quatro turnês internacionais, passando por Portugal, Alemanha e Espanha, entre outros países.

  • 19h | Prato do Dia

O bar da rua Barra Funda ficou pequeno para a pista de dança. E o Prato do Dia ganhou as ruas. Com discotecagem em vinil, a festa reúne nomes de peso como DJ Nuts e Peba Tropical, entre outros com o melhor das vertentes da black music.

  • 22h | Desculpa Qualquer coisa

A Desculpa Qualquer Coisa (DSCP) é um espaço cujo objetivo é promover o protagonismo de mulheres que amam mulheres por meio da música. Criada em 2016, em São Paulo, a DSCP esteve presente em grandes eventos da cidade como Virada Cultural e Parada LGBT. Foi eleita a segunda melhor festa de São Paulo do ano passado, segundo o Guia da Folha De S. Paulo. Desde 2017, a DSCP sai no carnaval paulista puxando o maior bloco de mulheres lésbicas e bissexuais de maneira independente.