Causando
Causando

Causando

Campanha #CarnavalSemAssédio se estende pelo país

Criado pela Catraca Livre, o programa visa combater a violência contra a mulher e a comunidade LGBT 

Se você estiver em um bloco e encontrar um anjo, pode confiar: trata-se de uma pessoa da campanha #CarnavalSemAssédio.

Beijos forçados, encoxadas ou corpos tocados sem consentimento, agressão física, agressão verbal ou abuso? É só falar com ela.

Treinada e voluntária, essa pessoa acolherá e orientará vítimas de assédio. Também vai, do alto de trios elétricos de blocos parceiros, ajudar a identificar assediadores.

Catraca Livre criou o projeto Causando, apoiado pelo Carrefour, para mostrar como as marcas desenvolvem e assumem causas.

A campanha #CarnavalSemAssédio ganhou as ruas de diversas capitais brasileiras

A força-tarefa Anjos do Carnaval é uma iniciativa da Catraca Livre, em parceria com a produtora Rua Livre e a Prefeitura de São Paulo, com apoio oficial da 99.

Pelo segundo ano consecutivo, a ação de conscientização e apoio para combater a violência contra a mulher e a comunidade LGBT vai para as ruas.

E, desta vez, não apenas nas avenidas paulistanas. Os voluntários também estarão presentes em blocos de Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro e Salvador.

A ação será desenvolvida em todos os dias do Carnaval desde sábado até terça-feira, sempre próxima aos blocos com maior concentração de foliões.

Voluntária entrega adesivos da campanha #CarnavalSemAssédio
Crédito: Gabriel Nogueira/Catraca LivreVoluntária entrega adesivos da campanha #CarnavalSemAssédio

Além de aumentar o número de praças, o programa #CarnavalSemAssédio – que entra no seu quinto ano – também ampliou o escopo de voluntários. Pela primeira vez, homens héteros serão incluídos na ação.

Todos vão para os blocos após treinamento do consultor Sérgio Barbosa, especialista em masculinidades e violência de gênero.

Também serão distribuídos 100 mil adesivos da campanha em todas as cidades participantes.

Acolhimento

São Paulo terá também o Ônibus Lilás, cedido pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, e outros cinco pontos de atendimento fixo.

Ônibus Lilás, durante campanha #CarnavalSemAssédio
Crédito: Paula Lago/Catraca LivreÔnibus Lilás, durante campanha #CarnavalSemAssédio em São Paulo

Neles, técnicas da prefeitura vão orientar e atender vítimas de assédio.

Todas as vítimas de assédio ou violência atendidas pela ação na capital paulista poderão ser encaminhadas à Casa da Mulher Brasileira, programa de combate à violência contra a mulher.

Lá, poderão registrar o Boletim de Ocorrência e receber mais informações sobre a rede de atendimento para vítimas de violência de gênero.

“Assédio não deve ser tolerado em situação nenhuma e nosso objetivo é mostrar que isso deve ser aplicado a cada bloco, a cada desfile, a cada baile”, afirma Paula Lago, responsável pela campanha #CarnavalSemAssédio da Catraca Livre.

Além da Catraca Livre, da Rua Livre e da prefeitura, a ação conta com uma ampla rede de parceiros que inclui o Ministério Público do Estado de São Paulo, a ONU Mulheres, a Comissão da Mulher Advogada (OAB), os coletivos Não é Não e Mete a Colher, a ONG Engajamundo, a Rede Nossas e a Change.Org.

Campanha #CarnavalSemAssédio: História

A campanha #CarnavalSemAssédio foi criada em 2016 e ganhou repercussão em todo o país.

Já teve o apoio da revista “Azmina”, dos coletivos “Agora é que são elas”, “Nós, Mulheres da Periferia” e “Vamos juntas?” e blocos de rua de todo o Brasil, incluindo os feministas Mulheres Rodadas e Maria Vem com as Outras.