1,3 milhão de pessoas se unem em campanha pelo fim das queimadas

Mobilização pede que uma Comissão Parlamentar de Inquérito seja criada para investigar aumento dos incêndios na Amazônia

Por: Change.org (Oficial) Comunicar erro
Crédito: Fernando Frazão/Agência BrasilIncêndios crescem na Floresta Amazônica e geram movimento contra queimadas

Já são 72.843 focos de incêndios florestais registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) desde janeiro. A quantidade, que é 83% maior que a verificada no mesmo período do ano passado, está deixando não só o Brasil, mas o mundo todo em alerta.

A partir de um tuíte viralizado nas redes sociais, o advogado Gabriel Santos de Souza, de 25 anos, decidiu transformar a indignação com o desmonte das políticas ambientais numa grande campanha para pôr fim ao aumento das queimadas na maior floresta tropical do mundo.

AMAZÔNIA PEGANDO FOGO: PROTESTOS VÃO ACONTECER EM TODO BRASIL

Morador de Rio Branco, no Acre, região considerada o “coração da Amazônia”, Gabriel lançou um abaixo-assinado na plataforma Change.org pedindo que uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) seja instalada para investigar a fundo o que está levando ao aumento dos incêndios e responsabilizar os culpados. Em apenas dois dias, a campanha explodiu em alcance, atingindo 1,3 milhão de assinaturas até o meio da tarde desta quinta-feira, 22.

“Eu fiz esse abaixo-assinado após um tuíte meu ter viralizado nas redes sociais sobre as queimadas no Acre. Muita gente me mandou mensagem perguntando como ajudar, daí surgiu a ideia de um abaixo-assinado propondo uma CPI das Queimadas no Congresso Nacional”, explica o jovem advogado. “É um número incrível. Isso representa a preocupação das pessoas com a Amazônia e com a qualidade de vida na região. Precisamos de atitudes práticas do poder público”, comenta Gabriel sobre a importância da mobilização.

O debate em torno da preservação do “pulmão do mundo”, como a Amazônia é chamada, vem se intensificando há meses, em decorrência de feitos e desfeitos do governo federal na área ambiental. Propostas de alterações no Fundo da Amazônia (o maior projeto de preservação da floresta), a negação de dados que revelam o aumento do desmatamento, a exoneração do presidente do Inpe, a perda de recursos da Alemanha e Noruega para o meio ambiente e a recente acusação a ONGs ambientalistas para justificar o crescimento das queimadas compõem a série de polêmicas que levaram à gigante mobilização popular.

“O Brasil sofre um desmonte das políticas ambientais há alguns anos. Não é de hoje que o desmatamento e o número de queimadas cresce, mas é a primeira vez que temos um presidente e um ministro do meio ambiente que declararam guerra aberta contra a Amazônia e o desenvolvimento sustentável. O recado que se passa pro mundo é claro: o Brasil não se importa com o meio ambiente”, indigna-se o autor do abaixo-assinado online.

A repercussão da crise ambiental na Amazônia está indo além das “fronteiras” da floresta. Um exemplo disso é que a campanha criada pelo advogado foi traduzida para o inglês, francês, alemão e espanhol, chegando a coletar parte das assinaturas em países como Colômbia, Peru e Espanha. Confira a petição.

“É o que eu tenho dito, ser contra o desmonte das políticas ambientais não é uma questão ideológica. É questão de bom senso. Como a gente pode ser a favor de medidas que vão prejudicar a qualidade do nosso ar, da nossa água e comida? Isso é insanidade”, desabafa Gabriel, que nasceu na periferia de Rio Branco e lamenta ver idosos e crianças lotarem as unidades de saúde em sua cidade por conta de problemas respiratórios. “Triste também por saber que a nossa floresta está morrendo e estamos de braços cruzados”, acrescenta.

O dia virou noite

O abaixo-assinado do advogado destaca o efeito que a mistura de nuvens carregadas da frente fria com as partículas de fumaça dos incêndios florestais provocou em São Paulo, na última segunda-feira, 19, fazendo o céu escurecer e o dia parecer noite às 15 horas.

“Isso nos fez entender uma coisa: não importa se somos nortistas ou sulistas. Se você é uma criança ribeirinha às margens do rio Acre ou um executivo na Faria Lima. O desmonte das políticas ambientais afetará todos nós”, ressalta trecho da petição criada por Gabriel.

Em meio a toda polêmica e acusação sem provas do presidente Jair Bolsonaro para justificar o aumento das queimadas, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, anunciou no começo desta tarde, pelo Twitter, que irá criar uma comissão externa para acompanhar a questão e outra geral para “avaliar a situação e propor soluções ao governo”

Movimento mundial pela Amazônia

A petição de Gabriel faz parte de um movimento mundial que reúne diversos abaixo-assinados nacionais e internacionais na plataforma Change.org em defesa da Amazônia. O “Ajude a Amazônia – #SaveAmazonRainforest” soma mais de 7,6 milhões de apoiadores. Saiba mais sobre o movimento aqui.

Apesar de enxergar a atual política ambiental com pessimismo, o advogado, que integra três movimentos suprapartidários de renovação política — o Acredito, o RenovaBR e o RAPS (Rede de Ação Política pela Sustentabilidade) — acredita numa breve mudança.

“Existe uma força motriz de insatisfação movendo essa geração. Disseram que a geração anterior foi uma geração perdida, mas hoje, aos 25 anos, vejo que não é bem assim. O atraso, a estupidez, a anti-ciência e o apego às ideias retrógradas estão dando o último suspiro”, aposta.

Por: Change.org (Oficial)

O maior portal de petições online do Brasil. São 280 milhões de pessoas fazendo a diferença em 196 países e 19 milhões só no Brasil. Instagram: https://www.instagram.com/changeorg_br/

Termos da rede:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário Change.org Brasil da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

1 / 8
1
08:59
Lobão analisa a relação de Bolsonaro com seus filhos
Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente …
2
08:31
Lobão explica como funciona a mente de Olavo de Carvalho
Em entrevista ao vivo no estúdio da Catraca Livre para o jornalista Gilberto Dimenstein, o cantor Lobão, ex-afeto de Olavo …
3
03:39
Alter do Chão sofre com incêndio de grandes proporções
As chamas que consomem uma área de preservação ambiental de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, voltaram a se …
4
09:33
Glenn Greenwald: Os limites do jornalismo no governo Bolsonaro
Em entrevista a Gilberto Dimenstein, da Catraca Livre, Glenn Greenwald, fundador do The Intercept Brasil, site responsável pela série de …
5
03:50
Clã Bolsonaro nomeou familiares para cargos de confiança
Uma reportagem publicada pela revista Época mostra que 17 familiares de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro,  foram …
6
10:59
David Miranda x Coaf: Glenn Greenwald fala sobre a investigação
Uma matéria publicada pelo jornal O Globo deu destaque para um relatório do Coaf, em que o deputado federal David …
7
05:12
Glenn Greenwald fala qual foi a matéria mais importante da #VazaJato
Qual foi a matéria mais importante da #VazaJato até agora? Quem responde essa pergunta é o jornalista Glenn Greenwald, do …
8
04:32
É possível apoiar a #VazaJato ao mesmo tempo que a Operação Lava Jato?
O jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, deu uma longa entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein sobre a …