8 em cada 10 mortos pela polícia no Brasil são negros

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública também mostra que Brasil registrou um estupro a cada 8 minutos em 2019

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A polícia brasileira nunca matou tantas pessoas como em 2019. E elas têm raça: oito a cada dez vítimas de violência policial no ano passado eram negras, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2020 divulgado nesta segunda-feira, 19.

No ano passado, a polícia brasileira matou 6.357 pessoas –um aumento de 2,9% em relação a 2018 (6.175). A maior parte –99%– era formada por homens.

negros mortos
Crédito: Tânia Rêgo/Agência BrasilOito a cada dez vítimas de violência policial no ano passado eram negras

Três a cada quatro negros mortos pela polícia eram jovens, com idades entre 15 a 29 anos: 23,5% tinham entre 15 e 19 anos; 31,2% tinham entre 20 e 24 anos; 19,1% tinham entre 25 e 29 anos.

Os negros também são as principais vítimas de homicídio no Brasil. Em 2019, 74,4% das 39.561 vítimas de homicídio eram negros.

Os negros também engrossam as esteticistas de policiais assassinados em 2019 — dos 172 agentes mortos no ano passado, 65% eram pretos ou pardos.

Entre a população carcerária, os negros também são maioria. A proporção cresceu 14%, enquanto a de brancos diminuiu 19% nos últimos 15 anos no Brasil.

Estupros

No ano passado, ocorreu um estupro a cada 8 minutos no país. Ao todo, segundo Anuário Brasileiro de Segurança Pública, foram registrados 66.123 boletins de ocorrência deste tipo de crime.

Em 84,1% dos casos, o criminoso era conhecido da vítima: familiares ou pessoas de confiança.

sombra de um caso de assédio sexual no trabalho
Crédito: IStock/@baonaque Brasil registrou um estupro a cada 8 minutos em 2019

Dos 66.123 casos de violência sexual, 70,5% foram registrados como estupros de vulnerável, quando a vítima é menor de 14 anos ou não consegue oferecer resistência ao ato, porque está alcoolizada ou por uma enfermidade, por exemplo.

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, a faixa etária das vítimas de estupro e estupro de vulnerável indica que 57,9% delas tinham no máximo 13 anos no momento do registro, um crescimento de 8% em relação a 2018.

Já os casos de lesão corporal em decorrência de violência doméstica aumentaram 5,2%. Em 2019 foi registrada uma agressão física a cada dois minutos: um total de 266.310.

Compartilhe: