Advogados LGBTQI+ defendem criminalização da homo e transfobia

Três advogados gays, uma advogada lésbica e outra transexual embasaram as ações em avaliação no mais alto escalão da Justiça no país

Por: Redação | Comunicar erro
Crédito: Rosinei Coutinho/SCO/STFO Supremo Tribunal Federal (STF) realiza sessão plenária para o julgamento de processos sobre criminalização da homofobia.

Três advogados gays, uma advogada lésbica e outra transexual defenderam as ações a favor da criminalização da homofobia e transfobia na tribuna do Supremo Tribunal Federal (STF), na tarde de quarta-feira, 13, tornando este um dia histórico no país. O julgamento segue nesta quinta-feira, 14.

A criminalização de todas as formas de ofensas, individuais e coletivas, homicídios, agressões e discriminações motivadas pela orientação sexual e/ou identidade de gênero é pedida em duas ações. Uma do Partido Popular Socialista (PPS) e outra da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT).

Depois da leitura do relatório (resumo dos pedidos das ações) pelos ministros relatores, Celso de Mello e Edson Fachin, os advogados começaram a sustentar suas posições na tribuna.

Paulo Iotti, gay, doutor em Direito Constitucional e autor das ações, citou casos de violência contra a população LGBTQI+. “A Constituição exige a criminalização do racismo, da violência doméstica, para quê? Para proteger os grupos raciais minoritários, a mulher. Então, entendendo-se que a Constituição exige a criminalização da homotransfobia, ela o faz para proteger a população LGBTI em seus direitos fundamentais”, afirmou.

A Frente Parlamentar Mista da Família e Apoio à Vida defendeu contra a criminalização e a advogada lésbica Ananda Rodrigues, do Grupo Dignidade – Pela Cidadania de Gays, Lésbicas e Transgêneros, disse que o objetivo não é atentar contra a liberdade religiosa de ninguém, argumentou inclusive que muitas pessoas homossexuais e transexuais são cristãs.

Por fim, a advogada Maria Eduarda Aguiar, primeira trans com carteirinha da OAB-RJ com nome social destacou que “É inadmissível pessoas subirem aqui para tripudiar da dor de pessoas LGBTQI+. É lamentável”, disse ela.

As informações são do site Gay1.

1 / 8
1
03:46
‘Pretendo beneficiar um filho meu, sim’ diz Bolsonaro sobre embaixada
Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a nomeação de seu filho, …
2
03:15
Num ato de coragem, MBL pede desculpas publicamente
O jornalista Gilberto Dimenstein e a Catraca Livre já foram diversas vezes vítimas das milícias digitais do MBL com as …
3
03:04
O real motivo do ataque de Bolsonaro ao filme de Bruna Surfistinha
Jair Bolsonaro decidiu atacar o filme realizado por Deborah Secco sobre a ex-prostituta Bruna Surfistinha. Motivo oficial: o filme, usando …
4
02:13
Entenda os desdobramentos do caso Tabata Amaral no PDT
O PDT suspendeu a deputada federal Tabata Amaral e outros sete parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, …
5
02:03
Incêndio em estúdio de animação em Japão deixa dezenas de mortos
Dezenas de pessoas morreram durante um incêndio criminoso que tomou conta do estúdio de animação da Kyoto Animation, na cidade …
6
02:19
Barragem abandonada corre risco de rompimento no interior de SP
Uma matéria publicada pelo G1 alerta para o risco de rompimento da barragem de água em Iaras, no interior de …
7
02:30
O que significa a gargalhada de Caetano Veloso?
Um vídeo do cantor Caetano Veloso gargalhando está viralizando nas redes sociais. O motivo da piada é a entrevista que …
8
01:51
Site ‘Não me Perturbe’ permite bloquear ligações de telemarketing
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou o Não me Perturbe, site que permite bloquear ligações de telemarketing. O sistema …