Após post racista, marcas se posicionam sobre Júlio Cocielo

Declaração racista de Júlio Cocielo deu o que falar nas redes sociais e marcas se posicionam sobre episódio

Por: Redação

No último sábado, 30, um comentário feito pelo youtuber Júlio Cocielo sobre o jogador francês Kylian Mbappé se tornou um dos assuntos mais falados nas redes sociais brasileiras. O jogador, que teve atuação de gala contra a Argentina, foi citado pelo jovem de forma racista:“mbappé conseguiria fazer uns arrastão top na praia hein.”

Não demorou muito para que uma enxurrada de críticas se voltasse contra o jovem. E como reação, os internautas passaram a questionar as marcas que, em algum momento, trabalharam com Cocielo, marcando o perfil das empresas e exigindo posicionamento.

Reprodução/Twitter
Declaração repercutiu nas redes sociais e internautas lembraram outras declarações racistas feitas pelo youtuber

Considerado uma das dez personalidades que mais influenciam os jovens no Brasil, Cocielo então justificou a postagem: “mano, vc q me acompanha, vc tá ligado que eu sou pela ordem, jamais faria isso! dps vê minhas respostas, eu explico exatamente qual foi minhas ideias. deletei para não decepcionar ngm e n continuar sendo interpretado de forma diferente! não era esse o contexto”. Com mais de 11, 2 milhões de seguidores no Instagram, ele já foi garoto-propaganda de marcas como McDonald´s, Foster, Gillette, Tic-Tac e outras.

Diante da negativa repercussão, algumas marcas se manifestaram sobre o caso: a exemplo do site Submarino, que na noite do último domingo, 1º de julho, afirmou que “repudia veementemente qualquer manifestação racista e que tomará as providências necessárias.”

Segundo informação divulgada pelo Meio & Mensagem, a Coca-Cola, que teve Cocielo durante as Olimpíadas de 2016 como garoto-propaganda, ressaltou que, além de não ter mais nenhuma ligação com o youtuber, não pretende  estabelecer qualquer futura parceria. “O respeito à diversidade é um dos principais valores da nossa companhia, em nossas campanhas celebramos as diferenças e promovemos a união. Manifestações preconceituosas não são toleradas. Repudiamos qualquer forma de racismo, machismo, misoginia ou homofobia”, diz a nota.

Já o Itaú, por meio de comunicado, também afirmou que “repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito. Esperamos que o respeito à diversidade sempre prevaleça.”  Um vídeo feito para a Copa onde Cocielo aparecia já foi substituído. Confira a matéria na íntegra no site do Meio & Mensagem. 

Post atualizado: em nota, O McDonald’s ressalta que nunca teve nenhum tipo de relação contratual com o Júlio Cocielo que sempre produziu conteúdo espontâneo sobre a marca.

 

Compartilhe: