Bolsonaro critica ‘governadores paraíbas’ sem saber que é gravado

Em uma clara demonstração de preconceito contra o povo nordestino, o Presidente da República gerou desconforto entre os nove governadores da região

Por: Redação

Alô, pessoal do nordeste. Durante café da manhã com jornalistas estrangeiros nesta sexta-feira, 19, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não conseguiu passar ileso de um preconceito deslavado. Em conversa com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, sem saber que era gravado, o presidente se referiu aos governadores nordestinos como “governadores de paraíba”.

“Entre aqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”, disse Bolsonaro. Atualmente, o governador do Maranhão é Flavio Dino, do PCdoB.

bolsonaro e onyx lorenzoni
Crédito: ReproduçãoBolsonaro é gravado sem saber e tece críticas a “governadores paraíbas”

Em resposta, o governador Flávio Dino se manifestou nas redes sociais, lamentando o ataque gratuito do presidente ao povo nordestino.

“Neste vídeo, ouvi mais claramente o que disse o presidente da República. Parece chamar todos os nordestinos de “paraíba” e me ameaça, com estranha raiva. Lamento e espero explicações, pois isso é algo realmente inédito e incompatível com a Constituição. #Nordeste”, escreveu.

Em represália, os governadores da região Nordeste do Brasil se reuniram e emitiram uma carta de repúdio conjunta:

“Nós, governadores do Nordeste, em respeito à Constituição e à democracia, sempre buscamos manter produtiva relação institucional com o Governo Federal. Independentemente de normais diferenças políticas, o princípio federativo exige que os governos mantenham diálogo e convergências, a fim de que metas administrativas sejam concretizadas visando sempre melhorar a vida da população.

Recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional. Aguardamos esclarecimentos por parte da presidência da República e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia”, aponta o texto, assinado por todos os nove governadores.

E a fome no Brasil?

No mesmo café da manhã, Bolsonaro afirmou aos jornalistas estrangeiros que “passar fome no Brasil é uma grande mentira“, e foi execrado tanto por apoiadores do governo quanto por opositores.

Mais tarde, o presidente decidiu reaver seu comentário esdrúxulo, e se exaltou com uma jornalista brasileira durante coletiva de imprensa, dizendo aos berros que “uma pequena parte [do Brasil] passa fome”.

Compartilhe: