Marca cria bonecas e bonecos com Down para inspirar as crianças

Por: Renata Penzani

A brincadeira é a linguagem universal das crianças. Brincando, os pequenos assimilam as informações do mundo e constroem seus primeiros referenciais do outro e de si mesmas. Por isso, é essencial pensar em qual perfil de brinquedo oferecemos à criança, afinal, quanto mais diversidade existir neste momento, mais ampla será sua visão de mundo. A educadora e pesquisadora Waldorf Nina Veiga explica que “a boneca é uma expressão da linguagem, é uma maneira de expressar simbolicamente aquilo que nos cerca”.

É desse entendimento que surgem bonecas de perfis variados, como a coleção de Barbies presidentas, criadas com o intuito de inspirar meninas a aspirar carreiras de liderança e subverter, ou mesmo as bonecas criadas pelas próprias famílias, na intenção de estimular os filhos a se sentirem representados naquele brinquedo, como a mãe que costurou uma boneca com manchas na pele para a filha.

Agora, a marca australiana Leave It To Leslie – Conhecendo necessidades específicas na primeira infância, especializada em brinquedos de assistência à infância, inclusivos e multiculturais, lançou uma linha de bonecas e bonecos com características físicas de pessoas com síndrome de Down.

Quanto mais as crianças aprendem como é o outro, melhor ela desenvolve o respeito e a empatia pelo diferente.

Com isso, o brinquedo funciona não só como elemento de identificação para crianças com essa condição genética, mas também como propulsor de uma maior diversidade para as outras crianças. Afinal, o respeito, a tolerância e a empatia começam na infância.

Na página de apresentação do brinquedo, com linguagem bem didática e acessível, há uma descrição explicando o que é a síndrome, para estimular as famílias e começar um diálogo sobre o assunto.

“Nossos corpos são compostos por milhões de células. Em cada célula há 46 cromossomos. O DNA em nossos cromossomos determina como nos desenvolvemos. A síndrome de Down é causada quando há um cromossomo extra. As pessoas com síndrome de Down têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46. Eles têm um cromossomo extra 21, razão pela qual a síndrome de Down também é conhecida como trissomia 21.”

Por enquanto, a boneca é comercializada somente pela internet, por meio do site da empresa, mas pode servir de inspiração para marcas brasileiras que se preocupem em oferecer brinquedos inclusivos e representativos da diversidade da infância.

Leia mais:

1
Brumadinho: relatos lembram a maior tragédia socioambiental do Brasil
Há um ano, a cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) viveria um pesadelo difícil de ser esquecido. Era …
2
Brumadinho: relatos lembram a maior tragédia socioambiental do Brasil
Há um ano, a cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) viveria um pesadelo difícil de ser esquecido. Era …
3
Denúncia contra Glenn Greenwald é um ataque à liberdade de imprensa?
Uma denúncia realizada pelo Ministério Público Federal foi vista como um ataque direto à liberdade de imprensa no Brasil. O …
4
9 pontos polêmicos que Sergio Moro se esquivou no Roda Viva
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi o primeiro entrevistado da nova temporada do programa Roda Viva, …
5
‘Noivado’ de Regina Duarte com Bolsonaro divide opiniões
“Nós vamos noivar, vou ficar noiva, vou lá conhecer onde eu vou habitar, com quem que eu vou conviver, quais …
6
A queda: entenda a polêmica que custou o cargo de Roberto Alvim
Após praticamente reproduzir um discurso do ministro nazista Joseph Goebbels, o ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim, protagonizou uma polêmica que …
7
Impunidade de Victor não é caso isolado no Brasil de Bolsonaro
Victor Chavez, cantor sertanejo da extinta dupla Victor e Léo, foi condenado por agredir a esposa grávida de quatro meses …
8
Anarquia da ponte pra lá: a história do punk na periferia de SP
Autor do livro My Way, Valo Velho é história viva da cena anarcopunk de São Paulo. A Catraca Livre foi até …