Candidata trans ao Miss Rio sente mais preconceito na internet

"Parece que algumas pessoas realmente detestam a minha condição de gênero e não conseguem tolerar a minha existência", contou Náthalie

Por: Redação Comunicar erro

Ao andar pelas ruas, Náthalie de Oliveira, de 24 anos, não é vista como trans, mas como cisgênero – ou seja, o gênero correspondente ao do designado no nascimento. Na internet, por ter a redesignação sexual exposta, segundo ela, o preconceito é maior.

“Já viajei para a Tailândia e a Europa, e as pessoas que não me conhecem não têm a capacidade de olhar para mim e identificar fisicamente que pertenci ao sexo masculino quando nasci”, disse em entrevista ao jornal “O Globo”. “Mas tenho um canal no YouTube em que conto essas vivências e faço questão de me anunciar como mulher transexual, porque acho que não devemos nos omitir, e as pessoas têm que nos respeitar.”

“Recebo muito amor dos seguidores, mas também há comentários bastante odiosos. Parece que algumas pessoas realmente detestam a minha condição de gênero e não conseguem tolerar a minha existência. Elas carregam mesmo nos comentários. É onde sinto mais preconceito.”

No canal do YouTube, Princess Online, ela debate abertamente a diversidade e fala de viagem, estilo, moda, cabelo e maquiagem.

Náthalie, primeira candidata transexual a participar do Miss Rio de Janeiro, filha de um motorista e uma diarista, contou um pouco de sua história para o jornal.

Ela disse que entrou nos concursos de beleza para conseguir arcar com os custos de sua cirurgia de redesignação sexual. A transição, iniciada aos 14 anos, foi completa quando ela venceu o Miss T Brasil, em 2015.

“O que despertou o meu interesse de verdade foi o fato de o Miss T Brasil premiar a vencedora com uma cirurgia de redesignação sexual”, declarou na entrevista. “E foi assim que consegui fazer a operação, porque sou de família humilde. Ganhei o concurso em 2015 e fiz a cirurgia em outubro de 2016, na Tailândia.”

Náthalie interrompeu a faculdade enfermagem para se dedicar à carreira de modelo. A jovem deseja usar o concurso de Miss Rio para falar de representatividade. Clique aqui para ler a reportagem completa.

1 / 8
1
08:59
Lobão analisa a relação de Bolsonaro com seus filhos
Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente …
2
08:31
Lobão explica como funciona a mente de Olavo de Carvalho
Em entrevista ao vivo no estúdio da Catraca Livre para o jornalista Gilberto Dimenstein, o cantor Lobão, ex-afeto de Olavo …
3
03:39
Alter do Chão sofre com incêndio de grandes proporções
As chamas que consomem uma área de preservação ambiental de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, voltaram a se …
4
09:33
Glenn Greenwald: Os limites do jornalismo no governo Bolsonaro
Em entrevista a Gilberto Dimenstein, da Catraca Livre, Glenn Greenwald, fundador do The Intercept Brasil, site responsável pela série de …
5
03:50
Clã Bolsonaro nomeou familiares para cargos de confiança
Uma reportagem publicada pela revista Época mostra que 17 familiares de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro,  foram …
6
10:59
David Miranda x Coaf: Glenn Greenwald fala sobre a investigação
Uma matéria publicada pelo jornal O Globo deu destaque para um relatório do Coaf, em que o deputado federal David …
7
05:12
Glenn Greenwald fala qual foi a matéria mais importante da #VazaJato
Qual foi a matéria mais importante da #VazaJato até agora? Quem responde essa pergunta é o jornalista Glenn Greenwald, do …
8
04:32
É possível apoiar a #VazaJato ao mesmo tempo que a Operação Lava Jato?
O jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, deu uma longa entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein sobre a …