Chacina em presídio no Pará é a maior desde o Carandiru

A rebelião em Altamira deixou 57 detentos mortos, entre eles 16 decapitados

Por: Redação
presídio
Crédito: Wilson Dias/Agência BrasilEm dois anos e meio, o país teve 227 vítimas fatais em massacres nos presídios

Uma rebelião no Centro de Recuperação Regional de Altamira, no sudoeste do Pará, deixou 57 detentos mortos, entre eles 16 decapitados, na manhã desta segunda-feira, 29, de acordo com informações da Susipe (Superintendência do Sistema Penitenciário do estado).

Segundo o jornal O Globo, o massacre é o maior ocorrido em um mesmo presídio desde o Carandiru, em 1992, quando 111 presos foram assassinados, e o quinto com alta letalidade registrado no sistema prisional brasileiro desde janeiro de 2017 — em dois anos e meio, o país teve 227 vítimas fatais. O caso mais recente aconteceu em unidades prisionais de Manaus, em maio, e deixou 55 mortos.

massacre no carandiru
Crédito: ArquivoO massacre no Carandiru, em 1992, teve 111 presos assassinados

O ocorrido em Altamira teve início por causa de uma briga entre facções criminosas rivais. Dois agentes penitenciários foram mantidos reféns e liberados após negociação envolvendo policiais civis e miliares e promotores de Justiça. Vídeos feitos por detentos antes do fim da rebelião mostram cabeças de detentos sendo jogadas no chão em uma das alas do presídio.

“Tratou-se de uma guerra de facções. Em Altamira, há uma facção local chamada Comando Classe A (CCA) e que divide o presídio com integrantes do Comando Vermelho, e que foram esses vítimas desse ato praticado pelos integrantes da organização criminosa CCA”, disse o secretário extraordinário para assuntos penitenciários, Jarbas Vasconcelos.

Ainda segundo o secretário, o presídio estava com 311 presos, 11 a mais do que sua capacidade. A organização CCA recentemente tornou-se aliada ao PCC (Primeiro Comando da Capital), que disputa com o Comando Vermelho a liderança dos presídios brasileiros.

Providências

Após a rebelião, o governo do Pará determinou a transferência de 46 detentos suspeitos de participação no massacre. Deste número, 10 líderes de facções irão para um presídio federal, em vagas oferecidas pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Os outros serão distribuídos em unidades do estado.

Compartilhe:

1
Joice Hasselmann fala sobre o Pavão Misterioso e o Gabinete do Ódio
Pavão Misterioso, Gabinete do Ódio de Bolsonaro e muitas outras questões foram abordadas no depoimento da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) …
2
Os principais pontos do pacote anticrime de Moro aprovado pela Câmara
A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira, 4, o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro. O conjunto de …
3
Tudo o que se sabe sobre a ação policial em Paraisópolis
No último domingo, 9 jovens morreram supostamente pisoteados durante ação realizada pela Polícia Militar na comunidade de Paraisópolis, em São …
4
PSL pune postura de Eduardo Bolsonaro e de outros 17 parlamentares
O diretório nacional do Partido Social Liberal (PSL) decidiu na terça-feira, 3, punir 18 parlamentares acusados de articular o afastamento …
5
Presidente da Funarte diz que rock leva ao aborto e ao satanismo
O músico Dante Mantovani, nomeado nesta segunda-feira, 2, como o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), possui um canal …
6
Trump decide retomar taxação ao Brasil após desvalorização do real
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um post em sua rede social anunciando o retorno das tarifas de …
7
Entenda todos os desdobramentos das prisões em Alter do Chão
Os quatro brigadistas que haviam sido presos preventivamente na operação Fogo de Sairé, da Polícia Civil do Pará, deixaram a …
8
Ajude a manter vivo o sonho da única orquestra do mundo criada e manti
A Orquestra Sinfônica de Heliópolis é a única orquestra sinfônica do mundo mantida numa favela. Mensalmente são mais de 1.300 …