Com Marielle Franco, tentaram calar a voz de 46.502 eleitores

Já é possível afirmar que Marielle foi vítima de um poder clandestino que se vale da certeza da impunidade para agir

Por: Paula Lago | Comunicar erro

Ao menos quatro projéteis acertaram em cheio a cabeça de Marielle Franco, em uma emboscada ao carro em que ela estava na noite desta quarta-feira, 14. A vereadora do PSOL, que foi a quinta mais votada no Rio de Janeiro em 2016 e estava em seu primeiro mandato, não resistiu.

Crédito: Reprodução / FacebookMarielle Franco durante debate

Marielle era mais do que vereadora. É mãe de Luyara, de 18 anos. Defensora dos direitos humanos, lutava pela causa negra e pelo feminismo e era uma liderança atuante dos moradores da Maré, onde nasceu. Foi nomeada relatora da comissão da Câmara Municipal que vai fiscalizar a intervenção militar na cidade. Denunciava a ação violenta de policiais.

Embora a investigação do crime ainda esteja no início, já é possível afirmar que Marielle foi vítima de um poder clandestino que se vale da certeza da impunidade para agir livremente e, neste caso, de um bônus: criar uma onda de medo que cale, ou tente calar, a voz de 46.502 cidadãos do Rio que a elegeram.

Os tiros direcionados a Marielle atingiram não somente esses 46.502 eleitores, mas todos o que defendem preceitos básicos de cidadania e convívio em sociedade. Passada a comoção por uma morte tão violenta, será o momento de retomarmos as lutas defendidas pela vereadora e de cobrarmos uma investigação séria sobre o assassinato.

Após as tantas e belas palavras ditas por presidente, governador e prefeito, como sempre acontece em casos como este, teremos também de cobrar resultados.

Com Marielle, a democracia brasileira morre (mais) um pouco. e a impunidade se fortalece. Como ela mesma perguntou: até quando?

  • Leia também:

‘Quantos mais precisarão morrer?’, tuitou Marielle um dia antes de ser assassinada
Brasil vai às ruas pedir justiça pela morte de Marielle Franca
O que a polícia já apurou sobre o assassinato de Marielle Franca
Personalidades lamentam a morte de Marielle Franco na internet

Compartilhe:

Autor: Paula Lago

Editora de Cidadania, Assuntos Gerais e Parcerias. Jornalista, torcedora de futebol, mochileira e futura vendedora de sanduíche natural numa praia qualquer.

1 / 8
1
03:54
Bancada do PSL passa vergonha ao convocar e desconvocar Glen Greenwald
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) apresentou na quarta-feira, dia 12, um requerimento na Comissão de Segurança Pública da Câmara …
2
03:48
O melhor jornal do mundo faz a pior reportagem para Bolsonaro
Essa é a pior reportagem já publicada num jornal estrangeiro contra Jair Bolsonaro. Por dois motivos: saiu no mais importante …
3
03:47
A estranha conexão entre o caso Najila Trindade e Sérgio Moro
O jornalista Gilberto Dimenstein publicou em sua coluna no site Catraca Livre um texto em que conecta dois casos de …
4
03:04
Entendas os possíveis impactos do vazamento das mensagens de Moro
O site The Intercept Brasil divulgou trechos de mensagens trocadas entre o então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, …
5
02:00
Tire todas as dúvidas sobre a doação de sangue
O frio chegou para te lembrar sobre a importância de doar sangue. Uma simples doação pode ajudar até quatro pessoas! Durante …
6
02:58
O que revela a foto de Bolsonaro ao lado de Neymar
O presidente Jair Bolsonaro postou uma foto ao lado de Neymar após o amistoso entre Brasil e Qatar, que aconteceu …
7
05:25
Projeto pode acabar com multa no transporte de criança sem cadeirinha
De acordo com o projeto de lei entregue pessoalmente pelo presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados nesta terça-feira, dia …
8
02:00
Maior parte dos brasileiros é contra flexibilização das armas
Uma pesquisa divulgada pelo Ibope aponta que a maior parte dos brasileiros não apoia a flexibilização do porte e da …