Diretor da Gaviões é demitido após participar de ato pela democracia

Emerson Osasco ganhou apoio nas redes sociais e conseguiu assessoria jurídica e um novo trabalho

Por: Redação

Emerson Osasco, diretor da Gaviões da Fiel e desenvolvedor de software, foi demitido depois de participar de um protesto contra o fascismo e em defesa da democracia no último domingo, 31 de maio, na avenida Paulista.

Crédito: Reprodução/Twitter Emerson Osasco, diretor da Gaviões, durante protesto na av. Paulista

Emerson se transformou num dos símbolos do protesto ao repetir o gesto do grupo Panteras Negras, o punho cerrado erguido, símbolo de enfrentamento e resistência, em vídeo, enquanto dizia: “Não vamos recuar, nenhum passo pra trás. Aqui é democracia”. Enquanto isso, era cercado e xingado por manifestantes que apoiam o governo Jair Bolsonaro.

O vídeo viralizou e, segundo ele contou ao repórter Adriano Wilkson, do UOL, chegou à empresa para a qual trabalhava como terceirizado, a multinacional mexicana Softtek. Ele conta que o contrato foi rescindido um dia depois do protesto e que o gerente comentou que o motivo da demissão era a participação no protesto e um vídeo em que aparece com o ex-presidente Lula.

Policial cita ‘glamourização do militarismo’ e critica ‘radicalização’ da PM em atos

“Vou entrar com uma ação na Justiça porque foi uma perseguição política. Ficou evidente para mim que foi por causa disso”, afirmou o diretor da Gaviões ao portal.

Segundo ele, até a semana passada, só recebia elogios no trabalho. A empresa negou que a rescisão tenha acontecido por motivos políticos e afirmou que a política de RH “cumpre regulamentos” e está alinhada “ao nosso código de ética”.

A notícia da demissão ganhou a internet e fez surgir uma onda de apoio ao desenvolvedor. Famosos tuitaram cobrando uma justificativa para a Softtek, Emerson ganhou apoio jurídico e, também, um novo emprego. Confira as reações:

Veja mensagem de Emerson dada em entrevista à Catraca sobre racismo e os protestos: