Últimas notícias:

Loading...

Dono da Havan: ‘Petista não aguenta trabalhar na minha empresa’

O empresário ficou conhecido por aparecer em vídeo coagindo seus funcionários a votarem em Bolsonaro

Por: Redação
O empresário Luciano Hang
Crédito: Reprodução/YouTubeO empresário Luciano Hang

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, conseguiu destaque na imprensa nacional por seu incondicional apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro, além de seu antipetismo. Agora, ele voltou a criticar os eleitores do Partido dos Trabalhadores, afirmando que os petistas “não aguentariam trabalhar” em sua empresa.

A declaração foi feita por Hang durante entrevista ao programa “Pânico”, da Rádio Jovem Pan, nesta segunda-feira, 22.

Na ocasião, ele falou sobre o polêmico vídeo em que aparece coagindo seus milhares de funcionários a votarem em Bolsonaro, sob risco de serem demitidos. Hang chegou a ser notificado pelo Ministério Público do Trabalho.

“Até acho que pelo modelo de negócio que temos, é tão competitivo, que um petista não aguenta trabalhar na minha empresa, ele não aguenta trabalha com a gente, sai de graça porque tem que trabalhar muito”, declarou.

Luciano Hang completou dizendo que “o voto é secreto”. “Como eu iria na urna com meus 15 mil colaboradores, a Havan é uma empresa fantástica, é de marketing que até vende uns produtos, me comunico muito bem com eles, palestras motivacionais (…), é como se fosse uma igreja”, concluiu.

WhatsApp

Crédito: Reprodução/FacebookBolsonaro com Luciano Hang

O nome de Luciano Hang consta na lista de empresários denunciadas pelo Folha de S.Paulo que estariam financiando um esquema ilegal de disparos de mensagens em massa no WhatsApp para difamar Fernando Haddad (PT) em uma ação que visa beneficiar Jair Bolsonaro (PSL) na disputa pela Presidência.

De acordo com o jornal, a ação, que configura caixa 2 por se tratar de doação ilegal de empresários à campanha de partidos, e é considerada criminosa, envolveu o montante de até R$ 12 milhões para enviar mensagens mentirosas sobre o petista uma semana antes da votação do primeiro turno.

A denuncia está sendo investigada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e pela Polícia Federal. Tanto Hang quanto Bolsonaro negam participação no caso.

Compartilhe: