Empresário diz que filmava mulheres praticando ioga para ser engraçado

Em depoimento, Ricardo Roriz afirmou que posta gravações há 6 anos nas redes sociais com um 'toque de humor'

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Rir às custas dos outros. É isso que tem feito há seis anos o empresário Ricardo Roriz, investigado por publicar vídeos de mulheres praticando ioga na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio.

O empresário Ricardo Roriz
Crédito: Reprodução O empresário Ricardo Roriz

Ele esteve na 12ª DP para depor sobre um segundo registro de ocorrência realizado por nova vítima que o acusa de filmá-la sem consentimento.

No depoimento, o empresário acusado de postar gravações de mulheres praticando ioga na Lagoa disse que as publicações teriam uma finalidade “humorística”.

Segundo a delegada que cuida do caso, Valéria Aragão, Ricardo Roriz “afirmou que se sente arrependido do que fez e há seis anos ele começou a fazer vídeos e postá-los com toque de humorismo”, disse. “Mas, em momento algum, quis ofender ou expor as pessoas”, ressaltou.

“Ele está excluindo todos aqueles que ele considera ofensivos numa atitude de autocrítica”, frisou Valéria Aragão. “Ele sempre afirma que, na data de uma postagem ofensiva, ele havia ingerido bebida alcoólica.”

Valdo Tavares, advogado de defesa de Roriz, disse ao portal G1 que as publicações com um “toque de humor” de seu cliente em geral se referiam aos amigos dele – caso do “Celsão” que aparece nas gravações. E que as filmagens de mulheres praticando ioga na Lagoa foram um erro que Ricardo reconhece.

“A partir de agora ele não vai fazer mais vídeo mostrando outras pessoas”, afirmou o advogado.

À advogada Mariana Maduro, que fez a primeira denúncia contra Ricardo Roriz, o empresário pediu desculpas em suas redes sociais.

“Venho externar minha solidariedade a quem se sentiu ofendido ou depreciado pela referida postagem [de Mariana praticando ioga na Lagoa com uma amiga]”, escreveu.