Informar

Ensaio mostra diferenças entre assédio e flerte no Carnaval

Por "Vamos Juntas?"

Por: Redação | Comunicar erro

Em uma época que deveria ser extremamente gostosa, existe muito desrespeito e violência contra a mulher.

“Se a mulher está com uma roupa curta, está pedindo para ser assediada”, “Se está flertando com um cara, merecia levar mão na bunda”. Ouvimos muito essas frases e precisamos deixar claro: nada justifica violência contra a mulher.

A mulher pode usar a roupa que quiser, sim. Pode flertar, sim. Pode transar, sim. Tudo isso, SE ELA QUISER. A palavra de ordem deve ser CONSENTIMENTO. Ela quis, perfeito. Ela não quis, sai fora!

Muitos homens comentam que “não sabem exatamente o que pode” ou então que “acharam que ela queria”. Por isso, o “Vamos juntas?” e a Brenda Matos Fotografia criaram essas cenas para que fique claro o que pode e o que não pode, mas, principalmente, para ajudar os homens a entenderem o que para nós é óbvio: NÃO é NÃO e ele pode ser dito de muitas formas.

O ensaio fotográfico faz parte da campanha #CarnavalSemAssédio
O ensaio fotográfico faz parte da campanha #CarnavalSemAssédio

Por um Carnaval mais seguro, vamos juntas? Participe do grupo Vamos juntas? pra Folia!.

Idealização: Vamos juntas?; Direção e fotografia: Brenda Matos Fotografia; Modelos: Tatiane Poulain, Beatriz Nerol, Tamara Nascimento, Sista Katia, DJ Nai Sena, Raissa Xavier.

Confira algumas fotos — a galeria completa pode ser acessada aqui!

#CarnavalSemAssédio

Pelo segundo ano consecutivo, o Catraca Livre promove a campanha #CarnavalSemAssédio com o objetivo de lutar por respeito na folia e pelo fim da violência contra a mulher. Quem está com a gente: a revista “Azmina” e os coletivos “Agora é que são elas”, “Nós, Mulheres da Periferia” e “Vamos juntas?”.

  • Como parte da campanha, produzimos vários materiais que podem ser compartilhados nas redes sociais com a hashtag #CarnavalSemAssédio. Participe você também. Confira o conteúdo neste link.

Compartilhe: