Estudante leva socos em ônibus por homofobia e não recebe ajuda

Jovem ficou espantado com agressão e o fato do motorista ou passageiros não terem reagido.

Por: Redação
Crédito: Ljubaphoto/ iStockEstudante foi vítima de um ataque homofóbico em um ônibus quando ia para a empresa onde estagia

Luiz Crisóstomo, estudante de jornalismo, foi vítima de um ataque homofóbico em um ônibus na quarta-feira, 27, quando ia para a empresa onde estagia, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, zona oeste da capital paulista.

Segundo relatou à Universa, o jovem conversava com uma amiga quando foi surpreendido por passageiro que lhe deu um soco na cabeça e outro no olho. Após desferir os golpes, o homem gritou ofensas como “os gays são responsáveis pela Aids” e que Luiz teria transmitido a doença para ele.

Saiba o que fazer e como denunciar casos de homofobia

“Nunca vi aquele homem na minha vida. Mas, mesmo que tivesse visto, nada justifica essa agressão”, afirmou o estudante, que preferiu não registrar boletim de ocorrência.

Luiz disse que, após o acontecimento, não consegue andar na rua tranquilamente e que ficou espantado não só com a agressão, mas com o fato de o motorista ou outros presentes não tenham ajudado.

“O ônibus estava cheio e as pessoas não fizeram absolutamente, continuaram com seus fones de ouvido, agindo com a maior naturalidade. Um menino mais à frente tentou filmar, mas foi intimidado pelo homem que me deu os socos e guardou o aparelho. Ele foi o único que pareceu se espantar com aquilo”, lembra. Leia a matéria completa.

O Brasil é um país em que a cada 19 horas uma pessoa LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, trans e travestis) morre e que mais mata travestis e trans em todo o mundo.