Últimas notícias:

Loading...

Funcionária humilhada em padaria de SP chora lembrando da agressão

'Isso dói para todo mundo', afirmou Luane da Silva Lopes, emocionada ao lembrar do ocorrido

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Luane da Silva Lopes, funcionária da padaria Dona Deôla, na Pompeia, Zona Oeste de São Paulo, chorou ao lembrar da humilhação que sofreu por Lidiane Brandão Biezok, que afirma ser advogada, na última sexta-feira, 20, durante atendimento no estabelecimento.

Luane Lopes funcionária da padaria Dona Deola
Crédito: Reprodução/TVGloboFuncionária humilhada em padaria de SP chora lembrando da agressão

Apesar da agressão ter ocorrido na sexta-feira, as imagens passaram a circular nas redes sociais e ganharam força neste fim de semana. Além de ofender, a mulher arremessa objetos e estapeia a vítima. Ela também fez declarações racistas.

“Isso dói para todo mundo”, afirmou a funcionária emocionada durante entrevista à TV Globo. Veja o vídeo aqui.

Justiça de São Paulo autoriza que homofóbica cumpra prisão domiciliar

Nas primeiras imagens que viralizaram pelas redes, ela aparece agredindo um cliente na padaria Dona Deôla, na Pompeia. Outras gravações gravações, divulgadas pela empresa, mostraram que houve um desentendimento com funcionários, incluindo outras falas homofóbicas. Apesar da situação exibidas nos vídeos, Lidiane alega que foi vítima no caso e que tem sido ameaçada na web.

A Polícia Civil investiga o caso depois que duas vítimas registraram boletim de ocorrência contra a agressora no 91º Distrito Policial (DP), Ceasa. Ao G1, Lidiane se defendeu, e alegou que foi provocada por dois clientes quando estava comendo um sanduíche. Disse que reagiu, admitindo que se excedeu e usou inclusive termos homofóbicos contra eles. A mulher ainda afirmou que não tem nada contra gays. E negou que tenha utilizado termos racistas contra as pessoas da padaria.

“Eu não tive a mínima intenção em ofender ninguém. Eu me senti acuada, me senti uma vitima ali de uma situação que eu não tinha como sair. Fui agressiva e estúpida mas não tenho nada contra homossexuais. Peço desculpas”, disse a advogada ao G1.