CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Gestão de resíduos tem avaliação ruim em consulta ONU-Colab

Cidadãos avaliam que coleta de lixo e de materiais recicláveis não avançou nos últimos dois anos, mas há destaques regionais

Por: Colab

De acordo com dados de 2008 do IBGE, apesar de a maioria dos municípios brasileiros contarem com serviços de manejo de resíduos sólidos, mais da metade deles dispunha o lixo em lixões sem medidas de proteção ambiental.

Para enfrentar esses e outros desafios na área dos resíduos, o Brasil aprovou, em 2010, a Lei Nacional dos Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10). Alguns dos objetivos eram a redução do número de lixões, avanço na reciclagem e implantação de logística reversa para recolhimento de resíduos.

Oito anos depois de sua aprovação, os cidadãos avaliam que, em suas cidades, o cenário não vem avançando. Os resultados obtidos até agora na Consulta Pública Cidades Sustentáveis, realizada pelo ONU-Habitat em parceria com o Colab, mostram que 45% dos cidadãos discordam que a qualidade da gestão de resíduos (coleta de lixo e materiais recicláveis em seus municípios está aumentando nos últimos dois anos, enquanto 33% concordam com a afirmação.

45% dos brasileiros diz que a gestão de resíduos não melhorou nos últimos dois anos

Os resultados regionais, no entanto, mostram que há diferenças significativas entre as cidades. Enquanto no Rio de Janeiro 66% dos cidadãos consideram que não houve melhora na gestão de resíduos nos últimos dois anos, em Santo André, cidade do ABC Paulista, 54% das pessoas responderam que houve melhora nesse indicador no mesmo período. Em Teresina, por sua vez, houve empate: 41% concordam que a cidade vem melhorando na gestão do lixo e 41% discordam.

Em Santo André (SP), o cenário é diferente: 54%dos cidadãos acredita que a gestão do lixo está melhor

“Os números do Colab mostram que, na maioria das cidades, ocorrências relacionadas a lixo representam de 10%  15% das interações do cidadão com as prefeituras”, diz Gustavo Maia, CEO do Colab. “Isso mostra que o assunto é de fato uma preocupação do cidadão. Para enfrentar esse desafio, é importante aumentar o diálogo e a participação dos cidadãos, que podem apontar exatamente quais os problemas”, acredita.

Poluição

Quando o assunto é poluição do ar, a avaliação é predominantemente negativa. Em todo o país, 57% dos cidadãos acreditam que o nível de poluição da cidade em que vivem vem aumentando nos últimos dois anos. Apenas 18% das pessoas discordam dessa afirmação.

A poluição do ar é um problema generalizado no país: 57% das pessoas acredita que esse indicador piorou nos últimos dois anos

O destaque negativo, previsivelmente, vem de São Paulo: 81% das pessoas que responderam à consulta concordam com a afirmação de que a poluição em aumentando, contra apenas 7% que discordam. Niterói aparece com uma avaliação melhor que a média nacional. Lá, 53% das pessoas acreditam que está havendo aumento na poluição do ar, enquanto 19% discordam.

São Paulo tem o pior indicador em relação à poluição do ar. Na capital paulista, 81% das pessoas acredita que o problema piorou

A consulta

O Colab e o ONU-Habitat estão realizando no Brasil a consulta pública Cidades Sustentáveis, com 29 questões sobre sustentabilidade e condições de vida nas cidades brasileiras. O objetivo é traçar um diagnóstico do avanço do Brasil nas metas de desenvolvimento urbano sustentável da ONU. Quanto mais cidadãos participarem, mais preciso será esse retrato. A consulta fica no ar até o dia 24 de dezembro.

Até agora, a consulta conta com 6420 participações de cidadãos. Elas vêm de 706 cidades, ou seja, mais de 12% dos municípios do país. Para responder, basta baixar o aplicativo do Colab ou entrar no site www.colab.re. Participe e dê sua contribuição para esse diagnóstico.

A Catraca Livre está publicando, sempre às quartas-feiras, um apanhado sobre os resultados já colhidos na consulta. A cada semana, um tema abordado na consulta será destacado. A ideia é mostrar como os brasileiros avaliam a evolução das suas cidades nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU nos últimos dois anos.

Compartilhe:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.