Últimas notícias:

Loading...

Conta de Luz: governo Bolsonaro cria nova taxa para consumidor pagar

Entenda como isso vai impactar no seu bolso:

Por: Redação

Com apoio do governo Bolsonaro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta terça-feira, 15, que o novo empréstimo feito por bancos públicos e privados ao setor elétrico para cobrir os custos da crise energética de 2021, vai resultar em uma nova taxa extra na conta de luz dos consumidores.

nova taxa na conta de luz pros consumidores pagarem em 2023
Crédito: Istock/coldsnowstormConta de Luz: governo Bolsonaro cria nova taxa para consumidor pagar

A manobra aprovada pela Aneel já havia sido determinada por medida provisória e um decreto presidencial.

O empréstimo feito pelo governo para as distribuidores de energia conta com cobrança de juros e será pago pelos consumidores. Isso mesmo, o governo pede o empréstimo, envia ás distribuidores e quem paga é você, através de um novo encargo aplicado à conta de luz a partir de 2023.

O empréstimo de R$ 10,5 bilhões foi dividido em duas partes. A 1ª,  regulamentada nesta terça, será de até R$ 5,3 bilhões, à vista.

Esse dinheiro será para cobrir o saldo negativo das bandeiras tarifárias que não arrecadaram o suficiente (R$ 540 milhões); o custo do bônus pago aos consumidores que economizaram energia no fim do ano passado (R$ 1,68 bilhão); a postergação de cobranças pelas distribuidoras (R$ 2,33 bilhões); a importação de energia, entre julho e agosto do ano passado (R$ 790 milhões).

Já a segunda parte – estimada em R$ 5,2 bilhões – será para pagar parte do custo da contratação emergencial de energia, realizada em leilão simplificado no ano passado e com período de fornecimento a partir de 1º de maio deste ano.

Que se pese as críticas, atualmente, a lógica dos contratos com as distribuidoras é que esses gastos extras gerados pela baixa geração de energia, um serviço essencial, não devem ser cobertos por elas, mas sim pelo governo, por nós consumidores.

O objetivo do governo com o empréstimo é diluir ao longo do tempo o custo ainda não pago da crise energética de 2021.

O empréstimo será direcionado às distribuidoras de energia, pois elas são consideradas o “caixa” do sistema elétrico, por arrecadarem os valores junto aos consumidores através da conta de luz e, então, pagam os geradores e transmissores de energia.

O valor exato que cada consumidor pagará a mais na conta de luz com a nova taxa, à partir de 2023, ainda não foi definido.

Compartilhe:

?>